Notícias

20/04/2010 | 15h14m - Publicado por: Flávia Almeida | Foto: Divulgação/TV Globo

Guilherme Fontes se defende da condenação por sonegação fiscal

Guilherme Fontes se defende da condenação por sonegação fiscal

Guilherme Fontes se defende da condenação por sonegação fiscal  - Divulgação/TV Globo

Há mais de 15 anos que Guilherme Fontes tenta concluir o filme Chatô, o Rei do Brasil. E a cada ano, uma novidade aparece sobre a celeuma. A mais recente, foi a condenação a serviços comunitários, por três anos, determinada pela juíza da 19ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, Denise Vaccari Machado Paes. Guilherme é acusado de sonegação fiscal. O trabalho comunitário seria feito em sete horas semanais, e o ator teria ainda que pagar 12 cestas básicas de R$ 1 mil para instituições sociais no Rio.

Em conversa com a reportagem de O Fuxico, o ator se defende.

“A perseguição continua. Essa prestação de serviços comunitários, metade dela, já está prescrita. Não deixei de pagar imposto. Ele foi pago, em outra cidade, e a prefeitura do Rio de Janeiro não reconhece isso”, explica.

O ator e diretor, que pretende lançar o filme em breve, destaca ainda que não deixou de pagar o Imposto sobre Serviço (ISS) por querer.

“Todo o patrocínio que recebi, eles queriam entenderam que eu teria que pagar ISS. Eu não paguei, não porque não quis, e sim porque não sou obrigado a pagar. Na época, não sei se ainda vigora, havia uma lei isentando produções cinematográficas”, afirma.

Segundo Guilherme, o caso ainda cabe recurso, e ele está conversando com seus advogados, para saber qual atitude tomar.

Entenda o caso

Em 1995, a Guilherme Fontes Filmes Ltda – empresa do ator em sociedade com Yolanda Machado Medina Coeli - iniciou a captação de recursos para a realização do filme Chatô, o Rei do Brasil. Conforme fonts explicou, na época, os impostos foram pagos for a do Rio de Janeiro, e sim em São Paulo. Com isso, não houve recolhimento de ISS.

 

 

O chamado "dossiê Chato", que eclodiu em maio de 1999. Guilherme Fontes havia captado durante três anos pela Lei do Audiovisual mais de R$ 7 milhões. A megaprodução parou suas filmagens após consumir R$ 10 ilhões de reais, alegando falta de recursos.

 

 

Em 22 de fevereiro de 2008 foi determinado pela Controladoria-Geral da União (CGU) que Guilherme e sua sócia na produtora Guilherme Fontes Filmes, teriam que devolver mais de R$ 36,5 milhões aos cofres públicos.

 

 

 

 Tudo sobre famosos você encontra em O Fuxico, o site que é referência em celebridades.
Instagram

Instagram

  • Repost @estherrocha : Delícia de visita com direito a um@montão se brigadeiros deliciosos que adoçou a redação e o meu coração... Esses dois lindos são os idealizadores do @empoderadxsbr , um site lindo, bem feito e do bem que é o novo parceiro de @site_ofuxico . E eu só festejando os amigos que a vida@me dá🙏😘😍
  • A @clau_music fez questão de divulgar seu mais recente videoclipe, feito para a música Pouca Pausa, para os seguidores de #OFuxico. Confira!
  • Ainda na noite da última quarta-feira (13), @danielsaboya agitou o YouTube Space, no Rio de Janeiro, comemorando, entre outras coisas, seus dez milhões de inscritos, no YouTube, sendo dono do maior canal de dança do mundo. Confira um pouco do que aconteceu, no evento!
  • Nossa deliciosa tarde de festinha junina... clima gostoso na redação.
  • @ararocha20 trouxe complemento gostoso para nosso  Almocinho festa junina na redação...
  • Almocinho festa junina na redação...
  • @joaoguilherme divulga música inédita e manda recado ao OFuxico!!!

OFuxico