Carnaval às 07:51

Adriane Galisteu beija Mirella Santos e destaca enredo da Portela

Adriane Galisteu dando um selinho em Mirella Santos
Adriane Galisteu dando um selinho em Mirella Santos – Brazil News

Adriane Galisteu já é nome consagrado no Carnaval e fez seu nome mais uma vez na Sapucaí. A apresentadora, que estava com o filho Vittorio a tiracolo, desfilou como musa da Portela e falou sobre a emoção de representar o enredo deste ano.

“Esse ano meu coração está a milhão, porque sempre parece a primeira vez, apesar de serem 20 anos de Sapucaí, mas esse ano a gente vem falando de um enredo tão forte, de uma história tão poderosa pra contar”, disse Galisteu, que tinha nomes de várias mulheres mulheres negras.

Mestre de Bateria da Portela protege fantasias do mal. Entenda!

Adriane Galisteu com sua fantasia
Adriane Galisteu com sua fantasia – Agnews
Roberto Filho / Brazil News

Durante o desfile, Galisteu ainda encontrou Mirella Santos em um dos camarotes e deu um selinho na amiga de longa data.

Receba as notícias de OFuxico no seu celular!

Portela – Desfile 2024
Roberto Filho / Brazil News

Como foi o desfile                                

Primeiramente, o título do enredo, “Um Defeito de Cor”, foi baseado no artifício da dispensa do defeito de cor usado por negros no século passado. Quando acatado, os permitia exercer cargos de importância na religião, governo e na política.

E justamente esta característica, a da cor, que posicionou os personagens deste Carnaval da Portela. De acordo com o carnavalesco André Rodrigues, caminhos, histórias e consequências que apenas se explicam por serem vivenciadas por sujeitos negros no Brasil conforme explica.

Assim sendo, a Portela espera ter encerrado neste Carnaval um jejum de mais de 50 anos sem vencer um campeonato de forma isolada.

Taís Araujo - Portela – Desfile 2024
Roberto Filho / Brazil News

O sonho da Portela sempre esteve centrado no afeto. Por isso, o enredo destacou uma outra perspectiva, refazendo os caminhos imaginados da história da mãe preta, Luíza Mahim.

“Um Defeito de Cor”, em suma, é a história da luta preta no Brasil incorporada em uma mulher que enfrentou os maiores desafios inimagináveis para continuar viva e preservar suas heranças e raízes.

Por fim, Antônio Gonzaga resumiu: “A história de uma mãe, heroína, filha de África, que pariu a liberdade dessa nação. É uma honra imensa contar essa história e sempre imaginar esse reencontro de Luísa com Luís Gama. Essa história fala de todos nós, ao passo que é a nossa identidade construída no tempo, neste Carnaval”, finalizou.

Enfim, a Portela está, mais uma vez, entre os grandes destaques da Sapucaí.

Notícias Relacionadas