Carnaval às 00:20

Carnaval 2024: Com samba de Martinho, Vila Isabel acredita na vitória

Carnaval RJ - Martinho da Vila sentado, com roupa de rei afro, cercado por crianças
Martinho da Vila escreveu o samba, cantado originalmente em 1993- Foto: Reprodução/Instagram @unidosdevilaisabel

Ao reeditar um enredo de 1993 que faz uma viagem ao templo da criação, acima de tudo para ressaltar a importância das crianças para um mundo melhor, a Unidos de Vila Isabel entrou na briga!

Confira a dedicação de Gabi Martins no pré-Carnaval

A azul e branco do bairro que antes de mais nada destaca no nome, busca o sonhado quarto título do Grupo Especial com “Gbalá – Viagem ao Templo da Criação”, idealizado pelo carnavalesco Oswaldo Jardim há 31 anos.

A obra, que possui um espaço especial no coração do torcedor da agremiação, tem o samba-enredo assinado por Martinho da Vila. À época, contudo, a escola teve que desfilar debaixo de forte chuva e ficou em oitavo lugar.

Entretanto, agora, sob o olhar do carnavalesco Paulo Barros, o enredo, baseado na mitologia iorubá, retrata a importância das crianças para um mundo melhor.

Como foi o desfile

A princípio, com os males causados pelo homem ao planeta, o criador – Oxalá – adoece junto com a sua própria criação. A esperança para um mundo melhor surge justamente através dos pequeninos.

Apesar de ser um desfile feito há mais de três décadas, Gbalá é um enredo com temática atual, já que aborda problemas que persistiram ao passar das décadas e se tornaram ainda piores, como afirmou o enredista Vinícius Natal.

Relembre o desfile da Vila em 2023

No início do tempo, o deus supremo Olorum delegou para o seu assistente, Oxalá, que ele criasse os homens. Dessa forma, o mundo precisava de alguém que pudesse zelar por essa criação pelo mundo, como a gente conhece: as folhas, as plantas, os animais e as águas do mar.

Mas, depois de algum tempo, o homem passou a tratar mal aquilo que ele deveria cuidar. Então, os orixás reuniram crianças de todo mundo para que elas pudessem ir ao templo da criação.

“Oxalá, o criador de tudo, tem a esperança que as crianças possam salvar o nosso planeta. O planeta está doente. E as crianças tem essa coisa da inocência, da pureza, de tudo aquilo que o ser humano perdeu”, contou o carnavalesco Paulo Barros.

Na avenida, a Vila difundiu a esperança que Oxalá tem pelas crianças. O enredo ensinou sobre a não poluição do planeta e zelo pela morada humana.

Para Paulo Barros, essa esperança tomou os corações dos foliões, durante o desfile e no fim dessa grande festa. Por fim, ele reforçou a educação ambiental que a escola quis provocar na população: “A nossa intenção era essa mensagem: vamos cuidar mais do que é nosso”, finalizou Paulo Barros.

Veja a ficha técnica

Enredo: Gbalá: uma viagem ao Templo da Criação
Carnavalesco: Paulo Barros
Diretor de Carnaval: Misés Carvalho
Intérprete: Tinga
Mestre de Bateria: Macaco Branco
Rainha da bateria: Sabrina Sato
Mestre-sala e Porta-bandeira: Marcinho Siqueira e Cristiane Caldas
Comissão de Frente: Alex Neoral e Márcio Jahú
Famosos: Martinho da Vila, Mart’ Nália e Gabi Martins

Confira a letra do samba

Meu Deus
O grande criador adoeceu
Porque a sua geração já se perdeu
Quando acaba a criação
Desaparece o criador
Pra salvar a geração
Só esperança e muito amor

Receba as notícias de OFuxico no seu celular

Então foram abertos os caminhos
E a inocência entrou no templo da criação
Lá os guias protetores do planeta
Colocaram o futuro em suas mãos
E através dos Orixás se encontraram
Com o Deus dos deuses – Olorum
E viram
Viram como foi criado o mundo
Se encantaram com a mãe natureza
Descobrindo o próprio corpo compreenderam
Que a função do homem é evoluir
Conheceram os valores do trabalho e do amor
E a importância da justiça
Sete águas revelaram em sete cores
Que a beleza é a missão de todo artista

Notícias Relacionadas