Cinema e Série às 10:00

Irmão da Princesa Diana nega pedido da série The Crown

Charles Spencer, irmão da Princesa Diana

Foto: Reprodução/Instagram/@charles.earl.spencer

O irmão mais novo da Princesa Diana, Charles Spencer, revelou em uma entrevista à rede de televisão inglesa BBC, que os produtores da famosa série da Netflix, The Crown, perguntaram a ele se poderiam gravar algumas cenas da nova temporada, na emblemática casa de Althrop, que fica em West Northamptonshire, onde Lady Di foi enterrada.

O Conde Spencer contou que os produtores insistiram em que estavam interessados em conseguir registros do local, mas ele negou o pedido.

“Eles pediram”, comentou. “Eles queriam gravar lá, mas eu não faço essas coisas”, disse, explicando que não deu autorização.

O irmão de Lady Di enfatizou que não é próximo deste tipo de produção e que, de fato, nunca assistiu ao drama produzido pela plataforma de streaming.

“Inclusive, para ser honesto, eu não assisto The Crown. Então, eu só disse, ‘Obrigado, mas não'”, concluiu.

E na nova temporada do drama, a série vai abordar fatos polêmicos e delicados sobre a Princesa do Povo e seu divórcio do Príncipe Charles.

PREOCUPAÇÃO NA REALEZA

A família Real está preocupada com a quinta temporada da série “The Crown”, da Netflix, por causa dos eventos delicados que vão ser tratados nessa temporada do programa, completamente baseado na realeza britânica.

Os novos episódios de “The Crown” vão abordar um dos períodos mais polêmicos: o divórcio do Príncipe Charles e da Princesa Diana, a trágica morte de Lady Di e um capítulo completo dedicado à entrevista de Diana de Gales com Martin Bashir, em 1995.

Segundo o jornal The Sun, eles encarregaram seus consultores jurídicos de estudar a situação e como os eventos serão mostrados, e a resposta da Rainha Elizabeth II é que poderiam processar a Netflix.

Uma fonte comentou: “Estão preocupados com a forma como eles serão mostrados e também como os eventos delicados serão tratados, como a morte da princesa Diana e a escandalosa entrevista dela em 1995 com Martin Bashir (…) recorreram aos escritórios de advocacia Farrer & Co e Harbottle & Lewis, para obter conselhos”, sugere.

Uma fonte consultada pelo The Sun explica que a temporada pode ser ‘muito prejudicial’ para a realeza, porque a maioria dos telespectadores vê esta produção como um documentário e não como uma série de não ficção sobre a monarquia.

E o fato do Príncipe Harry ter um contrato milionário com a companhia de streaming deixa a realeza mais preocupada com o que está por vir.