Cinema e Série às 20:15

Joe Keery e Shawn Levy contam detalhes de ‘Free Guy: Assumindo o Controle’

Free guy assumindo o controle

Free guy assumindo o controle estreia nos cinemas

“Free Guy: Assumindo o Controle” chegou com tudo nos cinemas dos Estados Unidos. Liderando a bilheteria, o filme, protagonizado por Ryan Reynolds e Jodie Comer, é norteado por um roteiro divertido, carismático e que segura a atenção do início ao fim. 

Em entrevista ao OFuxico, Shawn Levy, mente criativa de “Stranger Things” e diretor do filme, contou como foi criar um roteiro original, diante de um mercado que gosta de apostar em franquias já estabelecidas. 

“Realmente uma responsabilidade desenvolver um filme totalmente original. Na realidade, eu tenho que voltar anos e anos atrás para achar um filme com um orçamento grandioso e que tenha essa magnitude, que não seja uma sequência ou baseado em um quadrinho. É difícil de achar, difícil de fazer, já que é um grande risco e aposta, mas eu amo fazer isso. Quando você dá sorte de poder fazer, como fiz ‘Uma Noite no Museu” e “Stranger Things”, e você cria uma nova franquia que, de certa forma, é abraçada pela cultura, é muito gratificante”, contou. 

Levando em consideração o fato do personagem principal ser um ‘jogador secundário’, Joe Keery contou se já se sentiu invisível em algum momento de sua vida. 

“Acho que todo mundo já se sentiu assim e é isso que faz com que seja tão fácil de se identificar com todos os personagens e esse é o foco central do filme. Espero que esse seja o fato com o qual as pessoas se conectem”, disse. ‘Quando eu e Ryan começamos a falar sobre o filme, sabíamos que se passava em um videogame, que tinham piadas voltadas para quem joga, mas não é um filme para gamers, é para o púbico em geral, pois levanta o questionamentos para as pessoas que se sentem invisíveis. É sobre isso que o filme trata e eu acho que todos nós já nos sentimos assim e por isso ele cria uma empatia”, completou Shawn. 

Veja+: Ellen Pompeo explica vontade de se aposentar

Além disso, o diretor contou em quais games se inspirou para criar o universo de “Free Guy”. 

“Tem muito do “GTA”, já que é uma cidade com muitos crime e jogar o jogo envolve cometer crimes. O personagem Guy, que é o Ryan Reynolds, trabalha em um banco e esse banco é  assaltado 27 vezes por dia. Todos esse players chegam no jogo para roubar um banco, roubar dinheiro, disparar uma arma, base toda do jogo é igual ao GTA, é baseado em um ‘mau comportamento. Diante disso, o personagem do Ryan tem a ideia revolucionária de elevar o patamar, não sendo o cara mau, mas sendo o cara bom, ele quer mudar seu mundo. Portanto, GTA com um pouco de Fortnite”. 

Trabalhando em dose dupla com Shawn, tanto em Stranger  Things, como em Free Guy, Joe contou a diferença das produções. 

“Quando eu sai do set eu notei a diferença, é emocionante, gera uma baita ansiedade, mas a forma que fui abraçado e acolhido por tudo que envolve o projeto, fez com que tudo parecesse bem confortável desde o primeiro dia. Mesmo sendo uma produção enorme, ainda assim parece uma família”, afirmou. 

Veja+: Phoebe Dynevor vai estrelar série do Amazon Prime

Apostando em uma história nova, Shawn revelou qual foi a parte mais desafiadora. 

“Para mim, seja em “Stranger Things”, “Gigantes de Aço”, “Uma Noite no Museu”, é lidar com as cenas onde os atores e eu não temos algo real. Cenas em que tenho que descrever, difícil para eles fingirem com algo que não está ali. É difícil visualizar algo que não está ali. Você pode ter ilustrações, pode desenhar, mas não é o mesmo que reagir a algo real, então eu diria que é me conectar, juntamente com os atores, a um filme autêntico, mesmo quando a situação no set não é real e só se tornará na pós-produção”. 

Para finalizar, Shawn contou qual o critério para escolher os projetos nos quais vai se envolver.   

“Primeiramente, sempre me questiono o que eu gostaria de assistir, essa é a primeira coisa. Quando “Stranger Things” veio à tona, eu era conhecido como o ‘o cara da comédia’. Li o roteiro, não era engraçado, era muito diferente, mas eu sabia que eu ia amar assistir aquilo, assim como minhas filhas adolescentes iam amar assistir e meus pais também, é por isso que disse sim para “Stranger Things”. Portanto, número um é o instinto de audiência e número dois é falar sobre algo em que eu acredito”. 

“Free Guy” já está nos cinemas e chega em breve na plataforma do “Disney +”.