Cinema e Série às 15:34

Klara Castanho: Após drama pessoal, atriz está de volta em Bom dia, Verônica

Klara Castanho Reynaldo Gianecchini Bom dia veronica netflix
Reprodução/Netflix

O thriller policial “Bom Dia, Verônica”, escrito por Ilana Casoy e Raphael Montes, ganhou a segunda temporada. A produção conquistou o coração de diversos leitores e promete continuar no topo das melhores séries da Netflix. Vamos relembrar alguns acontecimentos, e fazer um apanhado de tudo que sabemos, sem spoilers! Confira:

KLARA CASTANHO

Cena de Bom dia Veronica Netflix
Reprodução/Netflix

Klara Castanho está no elenco da série e este é o retorno da atriz ao trabalho após drama pessoal, que veio à tona em junho deste ano. Na ocasião, Klara  surpreendeu ao fazer uma carta aberta contando que foi vítima de um estupro, algo que resultou em uma gravidez indesejada há algum tempo. Além disso, a atriz revelou que não fez o aborto e, após o parto, entregou o bebê à adoção. A atriz de 21 anos se pronunciou após ver sua vida exposta por alguns jornalistas.

Leia+ Relembre todo o caso de Klara!

Este é o primeiro papel da atriz, após toda a polêmica. Klara interpretará uma jovem chamada Ângela, filha de Matias (Reynaldo Gianecchini), que tem a triste coincidência de ser abusada sexualmente pelo perigoso pastor e chefão dos crimes. Houve boatos de que as cenas seriam cortadas, porém, a Netflix negou a informação.

Nas redes, Klara contou a importância da personagem para sua carreira:

“A Ângela é muito importante para mim e eu espero que vocês a recebam muito bem. Quero muito saber o que vocês acham. É um trabalho que eu me orgulho muito”

Klara Castanho cena Bom dia veronica
Reprodução/Netflix

PRIMEIRA TEMPORADA (COM SPOILERS)

Na primeira temporada, iniciamos com duas tramas paralelas: A primeira é de um predador sexual, que atraí as vítimas para uma armadilha em um site de encontros. Todas têm um perfil parecido: Mulheres que recuperaram sua autoestima após a cirurgia bariátrica. As moças são dopadas e levadas para a cama, e de “recordação” o abusador deixa de lembrança fotos delas nuas, e uma marca na boca por conta de um “Boa Noite, Cinderella” caseiro. No início, uma mulher comete suicídio em frente à escrivã Verônica Torres (Tainá Müller), que fica em choque e em seguida começa uma busca e uma varredura pela cidade em companhia com o Delegado Carvanha (Ântonio Grassi), seu padrinho corrupto, e a implicante Delegada Anita (Elisa Volpatto). Ao dar voz às mulheres, por meio de uma entrevista, somos apresentados a uma trama mais perigosa e cheia de mistérios que envolve Janete (Camila Morgado) e Brandão (Eduardo Moscóvis).

"Bom Dia, Verônica" em seu primeiro ano
Parte do elenco principal da primeira temporada de “Bom Dia, Verônica” (Reprodução/Divulgação)

Na segunda trama, Janete é uma mulher vítima de abusos psicológicos e físicos pelo marido. Porém, não é somente isso. O PM serial killer tem um modus operandi: sequestra mulheres recém-chegadas ao estado de São Paulo, e faz um tipo de ritual religioso com elas, mantendo Janete sob seu controle. Ao ser apoiada por Verônica, a trama se desenrola, e é descoberto que existe uma máfia que grande parte da polícia está envolvida, e ela não pode confiar em ninguém, porque, seu pai Júlio (Cássio Pandolfi), também investigava o caso, e acabou em um asilo, paralisado, em estado quase vegetativo, e ainda foi acusado de matar a própria mulher.

Ao fim da série, Verônica descobre que tudo está mais perigoso, investigando que tudo começou em um orfanato chamado “Cosme e Damião”, onde Brandão e Anita foram criados, descobrindo que lá as crianças foram treinadas para infiltrarem os três poderes políticos, e tirarem foco dos crimes como tráfico humano e desvio de dinheiro. De mãos atadas, ela então decide simular sua morte, trocando de corpos com Janete, que estava carbonizada. Brandão é morto pela escrivã, assim como o abusador de mulheres da primeira trama, Pietro. A decisão da simulação vem porque ela precisa investigar a máfia, sem ser descoberta. Seus dois únicos aliados são: Victor Prata (Adriano Garib), médico legista que confirma que o corpo encontrado era o dela, e não o de Janete, e Nelson (Silvio Guindane), responsável pela parte de informática da delegacia. Com um falso vídeo de despedida para o marido Paulo ( César Mello) e os filhos Rafa (DJ Amorim) e Lila (Alice Valverde), a escrivã começa sua busca por justiça.

Relembre alguns momentos:

SEGUNDA TEMPORADA (SEM SPOILERS)

A trama da segunda temporada mostrará que a máfia é comandado por Matias (Reynaldo Gianecchini), um perigoso pastor, casado com Gisele (Camila Márdila), e pai de Ângela (Klara Castanho). Além de ser um abusador psicológico e sexual da filha, ele esconde seus crimes se mostrando um missionário, e mostrando uma falsa vida de família perfeita. Verônica se unirá a garota, que se mostra uma chave para derrotar a terrível máfia.

Postêr oficial de divulgação de "Bom Dia, Verônica"
Nova temporada da série “Bom Dia, Verônica” conta com a adição de Klara Castanho e Reynaldo Gianecchini (Reprodução/Divulgação)

A protagonista da série é interpretada por Tainá Müller, que batou um papo com a revista Quem, e revelou alguns bastidores e expectativas do que está por vir, além de demonstrar toda a ansiedade para o projeto.

Durante a conversa, a atriz revelou que as gravações foram intensas, e que neste aqui é impossível não se ver na grande expectativa do lançamento:

“As gravações foram super intensas. Eu não gosto de criar expectativa sobre algo que não foi lançado, mas é impossível. A série é muito especial e eu me dedico muito”

Para a segunda temporada, após os acontecimentos terríveis da primeira, um novo vilão foi escalado. Reynaldo Gianecchini será um pastor que comanda uma facção, e abusa da própria filha, Klara Castanho. Tainá contou que as cenas são de “repulsa total”:

“A gente antagoniza completamente na série. Eu olhava as cenas dele no monitor e não acreditava. Não conseguia engolir, ele me provoca repulsa total!”

Mesmo com todos os anos de experiência, Tainá contou que consegue separar as experiências da vida pessoal e mantém uma amizade com os vilões da série, mas, que aqui foi desafiador, pois são assuntos delicados:

“A gente se envolve entre o ação e o corta, sabemos separar. Mas também tivemos cenas de luta. O Du Moscovis (que foi Brandão na primeira temporada) é um super parceiro, sempre fico feliz de dividir cena com alguém tão gigante quanto ele. Ainda quero fazer muitas coisas com o Giane”.

Sobre a importância de “Bom Dia, Verônica”, Tainá refletiu: “Tem assuntos que precisamos continuar trazendo à tona. A violência contra a mulher é assim. É perigoso ser mulher no Brasil, é terrível. Se a gente puder despertar reflexão, melhor”, conclui.

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!