Cinema e Série às 07:00

Seu Jorge e Mel Lisboa contam detalhes da série ‘Paciente 63’

Mel lisboa e seu jorge estrelam paciente 63

(Reprodução/Instagram)

Paciente 63″ é a mais nova aposta do Spotify. Em um formato de áudio série, Mel Lisboa e Seu Jorge interpretam personagens enigmáticos em uma trama recheada de mistério e muitos desdobramentos, que nos deixam mais e mais intrigados a cada episódio. 
 
No ano de 2222, a psiquiatra Elisa Amaral (Mel Lisboa) grava as sessões de um enigmático paciente, registrado como Paciente 63 (Seu Jorge), que diz ser um viajante no tempo. Aquilo que começa como sessões terapêuticas de rotina se transforma rapidamente num relato que ameaça as fronteiras do possível e do real. O roteiro, traz uma história que transita entre o futuro e o passado de dois personagens que podem ter nas mãos o futuro da humanidade. 

Veja+: Séries que são tão perfeitas quanto Bridgerton
 
Em entrevista ao OFuxico, Mel contou o que mais chamou sua atenção ao ler o roteiro: 
 
“É muito instigante, você vai sendo levado por ele a cada novo capítulo. A cada capítulo tem uma nova informação, uma virada, você quer saber o que vai acontecer. A própria história faz com que você enlouqueça com a série. Quando li o roteiro inteiro, vi que era uma joia. É impressionante, não tem nenhum episódio em que você não esteja imerso e sendo surpreendido”, disse. 
 
Seu Jorge também revelou o que mais o surpreendeu em seu personagem e em todo o processo. 
 
“Quando vi o desafio, já que nunca tinha feito nada parecido, notei que era um homem de muita calma, muito assertivo. Ele precisa convencer essa pessoa de que ele vem de longe e que ele tem a missão de salvar a humanidade de uma praga, já que ele sabe que no tempo dele não há reversão. Eu olhei com muita aflição para o personagem, preocupado com o presente, para que de alguma forma ele pudesse interferir no futuro”, afirmou. 

Veja+: Viúva Negra e as curiosidades do novo filme da Marvel
 
“Trazendo um pouco para mim, vejo a necessidade de estarmos todos conectamos a este presente e nas coisas que não queremos no futuro, combater essas coisas que não queremos, que não desejamos, essa ausência de fé e de crer no outro”, disse. “Pego a força deste personagem, que tem como missão trazer um comunicado importante para que o futuro não seja comprometido”. 
 
Feliz como resultado do novo projeto, Mel tentou resumir “Paciente 63” em apernas uma palavra. 

“Alucinante”, afirmou.