Covid-19 às 11:15

Fábio Assunção recebe primeira dose da vacina contra a Covid-19

fabio-assunçao-sendo-vacinado-contra-a-covid-19

Reprodução/Instagram

Imunizado! Fábio Assunção começou o dia com o pé direito e recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19. No Instagram, o ator compartilhou um vídeo do momento especial e não conteve a emoção ao falar da experiência com os seguidores. 

Veja+: ‘Ela dorme, nós não’, Fábio Assunção desabafa sobre filha

“Hoje a Renata me aplicou a primeira dose da vacina. Meu agradecimento aos países e laboratórios que investiram na ciência, procurando um caminho de cura global. O posto de vacinação chega a emocionar. (Renata autorizou o post)”, escreveu ele na legenda do post.

Em seguida, o ator ainda compartilhou uma sequência de fotos ao lado dos profissionais que trabalhavam no local e abriu o coração.

“A energia no posto de saúde do Rio era tão positiva que saí com proteção dupla – a vacina e a alegria de profissionais que trabalham com amor. Esse é o Brasil que desejo. Queriam fotos mas eu também queria. Autorizaram o post e aqui marco cada uma dessas pessoas lindas. Parabenizo essa galera por esse contagiante jeito de servirem a este propósito!!! V A C I N A”, finalizou.

Fábio Assunção diz que dependência química é tratada de forma mítica

Fábio Assunção só tem motivos para celebrar, tanto no aspecto pessoal – após o nascimento da filha Alana, quanto na esfera profissional – divulgando seu mais recente trabalho, Onde Está Meu Coração, que chega à plataforma de streaming Globoplay.

Na dramaturgia, o ator interpreta o médico David, pai de Amanda (Letícia Colin), uma estudante promissora de medicina, contudo, acaba se envolvendo no mundo das drogas.

“Essa série é um ponto de virada e fala sobre o desmoronamento de uma família. Ele é um pai apaixonado pela filha, personagem da Letícia Colin. Quando vê a filha dependente de crack, ele se desorienta completamente e decide por uma internação compulsória”, explicou o galã global em entrevista ao site Quem.

O artista deixou uma indagação, sobre as diferentes maneiras de se tratar o problema na prática.

“Mas como um tratamento vai ter efeito em um tratamento obrigatório? A dependência química é tratada de forma mítica”, opinou ele.

Fabio Assunção conta como lidou com dependência química

À jornalista Beatriz Bourroul, Assunção ressaltou a importância de se debater o tema, dentro e fora da teledramaturgia.

“É um assunto muito bem resolvido na minha cabeça. É preciso falar sobre a dependência química. O álcool, por exemplo, é uma droga pesadíssima. Acidentes horríveis acontecem pelo uso de álcool, crimes de violência doméstica… Somos vulneráveis”, pontuou.

E completou:

“A sociedade não discute o tema. A gente vê adolescentes se embriagando e a galera achando astral. Quando acontece dentro de casa, aí você se debruça sobre o assunto. Acho uma grande oportunidade do tema ser discutido de forma adulta, sem a questão da exclusão”, destacou.