Hospital às 13:37

Glória Menezes recebe alta e deixa o Albert Einstein

Foto: TV Globo

(Atualizada às 15h17)

Alívio! Glória Menezes recebeu alta e deixou o hospital israelita Albert Eistein, em São Paulo, no início da tarde desta segunda-feira, 16 de agosto. A veterana atriz saiu da unidade em um carro e estava acompanhada do filho Tarcísio Filho. Muito querida, Glória chegou a acenar para os fotógrafos, que estavam na frente do hospital. Por enquanto, Glória ficará em seu apartamento na capital paulista. 

Com sintomas da Covid-19, a atriz de 86 anos deu entrada na unidade no último dia 06, junto ao marido, Tarcísio Meira, que morreu no dia 12 de agosto. À reportagem de OFuxico, a assessoria da artista confirmou a alta e destacou que o estado dela é estável. Glória vai seguir o tratamento em casa.

No sábado, 14 de agosto, Glória deixou de respirar com ajuda do oxigênio nasal, que auxilia na respiração, quando necessário durante uma internação ou quando o paciente necessita de apoio de oxigênio em casa. Desde então, Glória Menezes seguiu o tratamento no quarto do hospital.

Veja++: Tarcísio Meira não pensava em se aposentar antes da pandemia

VEJA FOTOS DA SAÍDA DE GLÓRIA MENEZES DO HOSPITAL

CINZAS DE TARCÍSIO SERÃO JOGADAS NA FAZENDA EM CERIMÔNIA DE DESPEDIDA

A morte de Tarcísio Meira nesta semana causou uma comoção no mundo artístico e deixou muitos fãs órfãos deste grande ator. O “Fantástico” deste domingo, 15 de agosto, conversou com Tarcísio Filho, que contou como era a vida do pai, a contaminação pelo Covid-19, a saúde de Glória Menezes e a última homenagem que farão na fazenda da família.

Para começar, ele revelou que se sente bem por não ter deixado de falar tudo o que queria dizer para Tarcísio.

“Eu tinha com meu pai uma relação… eu não deixei nada pendurado. Sempre terei saudades, a vida toda, mas não deixei nada pendurado com ele. Só quis vir falar porque fomos acometidos e submersos por uma onda de amor e solidariedade, como a muito tempo eu não via”, disse ele muito emocionado, como não poderia ser diferente. E continuou:

“O pai sempre foi um homem muito simples. Comida que o pai gostava era uma comida simples. Os prazeres do pai eram prazeres simples. A lida do campo lhe dava uma simplicidade de que o trazia para a terra. Estar junto a terra era muito importante para o meu pai.”

ISOLAMENTO

Tarcisinho revelou que, desde que começou a pandemia do coronavírus, os pais ficaram isolados na fazenda da família em Porto Feliz, no interior de São Paulo, devido aos problemas de saúde que Tarcísio já tinha.

“O pai já tinha algumas comorbidades bastante sérias. Ele tinha problemas renais, ele tinha problemas pulmonares e eu sempre estava chamando a atenção dele sobre isso. Mesmo com a vacina ele deveria ter extremo cuidados”, revelou e disse como estava o estado de saúde de Glória: “Minha mãe está bem, graças a Deus por causa da vacina.”

O ator também não sabe explicar como os pais podem ter contraído a doença: “Desde que saíram daqui, por causa da pandemia, eles não saíram mais. Saíam em momento especiais, como ir ao dentista, ir ao médico que é necessário porque são pessoas de idade. Foi uma surpresa, por que a guarda baixa foi onde? Ninguém sabe. A gente jamais vai saber.”

POR QUE TARCÍSIO MORREU MESMO APÓS TOMAR AS DUAS DOSES DA VACINA?

Tarcísio Meira deixou o mundo da arte de luto nesta quinta-feira, 12 de agosto. O ator, que estava com 85 anos, morreu em decorrência de complicações da Covid-19 e levantou-se a questão sobre a morte dele, mesmo com duas doses da vacina contra a doença.https://2ec36c2a5518ab6815a656f3a8d90785.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

OFuxico conversou com o pneumologista Dr. João Carlos de Jesus (CRM 150.213), que explicou que a vacina não impede que a pessoa contraia a doença e nenhuma das que são oferecidas têm 100% de proteção.

“Eu queria chamar a atenção para dois pontos, o primeiro é que nenhuma vacina vai conferir 100% de proteção à população vacinada e isso por características de variação do sistema imunológico e dos indivíduos. Apesar da vacina ser eficiente em apresentar estruturas do vírus e o nosso corpo aprender a conhecê-lo sem adoecer e assim antecipar uma resposta com anticorpos e células de defesa, indivíduos que tenham uma fragilidade, alguma comorbidade ou mais idosos podem não gerar uma resposta tão eficiente e, quando entram em contato com o vírus, pode ocorrer a infecção e evoluir para a forma grave”, disse.

Veja+: Cena comovente de Tarcísio Meira e Paulo José viraliza na web

Outro fator importante é que as vacinas apresentam ao corpo humano algumas estruturas do vírus para que nosso corpo possa reconhecê-las de forma antecipada.

A maioria das vacinas trabalha com o conceito de apresentar uma proteína que está na superfície do vírus que se chama ‘spike’, que é utilizado pelo coronavírus para se conectar às nossas células e a partir disso causar a infecção. Com a vacina, nosso corpo consegue bloquear e neutralizar o vírus, mas, quando uma mutação do vírus acontece, que são as variantes, a vacina pode não ser eficiente em produzir anticorpos contra ela e enganar nosso sistema imunológico e desenvolver a Covid-19 em sua forma grave”, explicou o médico.https://2ec36c2a5518ab6815a656f3a8d90785.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Dr. João Carlos ainda reforça que, apesar dos questionamentos de parte da população, todas as vacinas distribuídas no Brasil são eficientes no controle do número de casos e da diminuição dos números de casos graves de Covid-19, mas fez uma ressalva.

Veja+: Pedro Bial relembra a última entrevista com Tarcísio Meira

“Em relação a uma vacina ser mais eficiente que outra, ainda não é possível se falar algo de uma forma geral, porque a medida que surgem novas variantes, precisam ser feitas novas análises sobre a eficiência da vacina em cima de cada variante. Mas o que é fato é que todas que são distribuídas no Brasil reduzem os casos e os casos de gravidade. O recado que fica é que a população se vacine para reduzir a transmissibilidade e assim a gente consiga um controle maior da doença”, alertou.

O médico ainda se atentou ao fato que a população se preocupa com os efeitos colaterais da vacina, mas é preciso se preparar para tomar o imunizante.

“Uma dica é que você se prepare para a vacinação. Muitas vezes as pessoas estão preocupadas com os efeitos colaterais, mas é importante que você se apresente para a vacinação depois de uma boa noite de sono, bem alimentado, se sentindo bem para que consiga ter uma boa resposta”, disse.