LGBTQIA+ às 10:24

Casal que protagoniza beijo gay no clipe de Juliette namora na vida real

Foto: Reprodução/ Youtube Juliette – Reprodução/ Instagram @mathtass

Juliette Freire lançou seu primeiro clipe, “Diferença Mara”, segunda faixa do álbum que se tornou o maior lançamento nacional da história do Spotify, além de ter a segunda maior estreia global da história da plataforma, ficando atrás apenas do álbum “Chromatica”, de Lady Gaga.

Nas imagens, a exaltação à diversidade fica evidente e a campeã do “Big Brother Brasil 21” aparece desfilando por uma multidão de pessoas de diferentes corpos, gêneros, idades e personalidades. Um dos destaques do clipe é o beijo protagonizado por um casal gay.

Fenômeno das redes sociais, amparada por grandes nomes do ramo, incluindo Anitta, que atuou diretamente como produtora do disco Juliette acertou em cheio em sua estreia. A sintonia entre o casal tem um motivo especial: eles são namorados na vida real.

O modelo Matheus Tassara e o diretor de criação e de arte Jean Labancas, que inclusive esteve envolvido no processo de criação do trabalho, assinando a direção de arte, atenderam a um pedido da paraibana para estarem no clipe.

“Foi um prazer, Juliette. Você tem uma energia incrível. Essa cena foi ela que pediu. Rainha da diversidade”, afirmou Labanca, na web.

JUNTOS HÁ 8 MESES E APAIXONADOS

Jean e Matheus namoram há cerca de oito meses e fazem questão de demonstrar o carinho que sentem um pelo outro na web. Eles costumam aparecer nas respectivas redes sociais entre beijos e abraços

“Te ter comigo me mostra o quão as pessoas podem se doar uma para outra. Nossa relação, acima de tudo, se baseia na doação! Eu nunca me poupei de demonstrar e você também! Amamos intensamente, sim, e encaramos tudo como se fosse a última vez!”, declarou Labanca, na primeira vez em que celebraram o Dia dos Namorados juntos, neste ano.

“Abraçar você é um presente dos céus”, homenageou Matheus, ao compartilhar uma imagem dos dois juntinhos.

Eles também dividem com seguidores registros de seus trabalhos. Matheus compartilha cliques de ensaios de moda que participa. Já Labanca, que também é modelo, posta registros de produções e projetos que esteja envolvido.

JULIETTE ABRE O JOGO SOBRE PROJETOS E ASSUNTOS DO CORAÇÃO

Recém contratada pela Rodamoinho Records, em com a distribuição da Virgin Music Brasil, “Juliette” é um EP com seis canções que começou a ser produzido antes mesmo da paraibana sair do “BBB21”. Com nomes conhecidos em sua ficha técnica, como Umberto TavaresRafinha RSQ e Anitta, o projeto também contou com conterrâneos e amigos de Juliette, tais como JuzéDann Costara e Toim do Gado. Mesmo assim, ao OFuxico, Juliette revelou que se deparar com a ideia pela primeira vez foi um grande susto.

“Eu nunca imaginei que as pessoas iriam me enxergar como uma cantora. Eu imaginei que as pessoas diziam assim: ‘ah, ela é afinada’, e só. Quando eu saí e vi que realmente as pessoas me viam como uma possível cantora, eu fiquei muito surpresa”, lembrou ela, que ainda contou que teve contato com as músicas e com Anitta logo quando saiu do reality. “Ela me ligou e eu não entendia nada. Tanto é que eu não lembro nem das conversas no primeiro dia, apagou da minha mente”, contou. “Foi um processo até eu me entender e visualizar uma carreira como cantora. O que realmente me fez acreditar foram as músicas, as letras e vários artistas que eu conheci e que me deram força. Foi assustador, mas agora eu já estou aceitando”, contou.

RELAÇÃO COM ANITTA

A presença de Anitta nos bastidores também foi muito importante para a realização do projeto. Ela, que além de assinar a ficha técnica como uma das produtoras do EP, se tornou uma grande amiga de Juliette e a apoiou em vários momentos durante produção, além de ter marcado presença nos ensaios, mesmo com a correria do dia a dia morando nos Estados Unidos para investir ainda mais na sua carreira internacional.h

“Minha relação com a Anitta é muito bonita (…) Ela se doou para o projeto de uma forma muito bonita. Eu mandei uma mensagem pra ela e eu sabia que ela ia me ajudar. Porque ela falou comigo e tudo mais, mas ela fez coisas que ela não precisaria. Por exemplo, passar horas comigo no estúdio, quando eu tava mal ligar e dizer: ‘Ó, vai dar tudo certo’.  Mostrar como é a rotina de um artista, que a gente não vê quando a gente não é desse mundo. Eu achava que era tudo fácil, simples, que era só cantar, só ganhar coisas, só ser amado… E não, é muito difícil. Ela me mostrou tudo isso”, afirmou ela, que não descarta a ideia de um feat com a cantora, mesmo que, no momento, esse não seja um plano para este ano.

Veja+: Acusada de plagiar Pabllo Vittar, Juliette muda capa do primeiro EP

“Eu não acho que vai ter feat esse ano, ela tá muito focada na carreira internacional e eu tô muito focada em construir a minha também, nesses primeiros passos. Então acho que ainda esse ano não, mas futuramente eu quero muito, espero que ela também queira”

DESAFIOS

Mesmo com as inseguranças e ressalvas em engatar em um universo totalmente novo após o “BBB21”, mergulhar na música não foi uma decisão difícil para Juliette. Em um momento em que a paraibana se via tão perdida em sua “nova vida”, embarcar na ideia de um projeto musical foi uma das únicas coisas que fizeram sentido para ela naquele momento.

“Eu tenho um frio na barriga até hoje. O que me fez decidir seguir com o projeto é que de tudo que eu estava fazendo,  na música eu encontrava mais sentido. Todas as outras coisas eu fazia com muita felicidade, mas a música era o que me trazia paz. Todo mundo sabe que eu sou apaixonada por música, então era uma forma de comunicar amor que eu também sentia, que eu vivia junto. Então, a decisão foi essa, mas eu também tive encontros com artistas maravilhosos, tive sonhos, tive mensagens muito bonitas sobre música o tempo inteiro. Eu só acreditei no que meu coração já falava e decidi”, completou.

Porém apesar do amor e da boa vontade, foram vários os desafios para conseguir fazer o EP acontecer. Com uma agenda corrida em meio a entrevistas e publicidades, Juliette revelou ao OFuxico que encontrar um tempinho para se dedicar inteiramente à música foi difícil.

“Loucura minha gente, muita. Eu estava fazendo muita publicidade, muita coisa e graças a Deus eu moro com minha equipe, então eles decoraram as músicas primeiro do que eu. Eu ficava junto e eles ficavam cantando, brincando o tempo inteiro repetindo as letras. O meu produtor musical também, o Zé Neto, morava comigo, então eles passavam o dia todo falando disso e eu passava com eles”, lembrou ela, que confessou que acabou dando uma pausa nos compromissos para se dedicar ao projeto.

“Chegou o momento nas publicidades que eu parei e falei assim: ‘Não, agora eu tenho que me dedicar muito a música porque se não, não dá’. Eu dei uma parada e abri vaga na agenda, fui estudar. Foi difícil, muito. Eu não decoro letra fácil, aí vocês imaginam”, continuou aos risos.

“Achei muito difícil. Vocês não tem noção do que é gravar uma música. Eu pensava que era só pegar o microfone e ficar lá cantando e as pessoas gravavam e pronto, feliz para sempre. É um crochê, é um um negócio muito difícil. São horas e horas. Se você errar uma pronúncia, se a dicção não ficar boa numa palavra tem que refazer mil vezes. É um processo muito difícil, parabéns aos cantores, porque eu não imaginava que era assim”Juliette Freire

Apesar da correria, se engana quem pensa que a paraibana não separou um tempinho para fazer o que ela mais ama: paquerar. Às gargalhadas, Juliette respondeu sobre o tal “garoto do Sul” da letra de “Diferença Mara” e brincou sobre a possibilidade do romance de fato engatar.

“Eu tenho uns paqueras. Aliás, eu acho que eu tenho um paquera. Mas a música foi feita antes, então eu tô dando sentido pra ela ainda nesse sentido (…) Depois a gente tem que fazer outra coletiva que quando tiver dado certo a gente revela”, brincou.

SHOWS E CARREIRA MUSICAL

Mesmo que ainda esteja no começo da sua carreira musical, fazer shows pelo Brasil já faz parte dos planos de Juliette Freire. Sincera, a paraibana admitiu que gostaria de ter a oportunidade de cantar para os fãs em um cenário sem pandemia e que pensa em se preparar para isso.

“Quando essa pandemia passar ou diminuir, se Deus quiser, já está acontecendo, eu acho que sim. Eu estou me planejando pra sonhar com isso. Meu sonho era encontrar sentido pra tudo que tinha acontecido comigo, eu já consegui.  Meu sonho era gravar as músicas de uma forma bonita, já consegui. Talvez o meu próximo sonho seja fazer um show muito bonito, preparar, e aí sim eu vou me organizar pra isso. Eu imagino como seria maravilhoso voltar da pandemia cantando na minha música e vendo as e as pessoas conseguindo se abraçar eu acho que isso seria mágico, um sonho”, admitiu ela, que apesar de conter alegria ao falar do resultado do EP, confessou que pretende ter a oportunidade de escrever músicas futuramente.

Veja+: Juliette Freire mostra bastidores da gravação de seu primeiro disco

“Eu fiquei muito feliz com o resultado, exatamente porque as músicas foram feitas pra mim, contando a minha trajetória, com expressões que eu falo e que eu quero enfatizar e ressaltar. Isso me deixou leve pra cantar algo que eu queria fazer de música, que falasse como eu pensava, como eu me sentia, que transmitisse exatamente o que eu acreditava. Fiquei tranquila e  penso em fazer cada dia melhorar mais. Eu sei que eu estou apenas no início e que eu nunca estudei pra ser uma cantora, simplesmente cantava. Então, eu sei que eu tenho muito o que aprender. O que eu mais quero é poder escrever junto com os meus amigos, produtores e toda essa equipe talentosa que está comigo. Eu acho que vai ser ainda mais especial quando chegar esse momento”, completou.

PRICIPAIS NOTÍCIAS

Tratando de um câncer, Caio Ribeiro aparece careca e esbanja bom humor

Pai de Britney Spears entra com pedido para acabar com a tutela da cantora

Ilha Record: Pyong é alertado e cai na real sobre sua proximidade com Antonela

Milton Nascimento protesta contra Bolsonaro com música símbolo da repressão

Masterchef Brasil: Ravioli não dá certo e tira Renato da disputa