Morte às 16:19

Quatro anos sem Chester Bennington: Vocalista do Linkin Park se suicidou em 2017

chester bennington em foto preto e branco

(Divulgação)

Nesta terça-feira, 20 de julho, se completam quatro anos desde que o mundo da música sofreu uma perda irreparável quando Chester Bennington, vocalista do Linkin Park, se suicidou em sua casa, que ficava em uma cidade próxima à Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos. O cantor foi encontrado em sua residência no dia 20 de julho de 2017 após cometer suicídio por enforcamento.

Veja+: Confira homenagem da banda para o cantor

Chester tinha apenas 41 anos quando morreu e, na época de seu falecimento, diversos artistas prestaram suas homenagens e condolências em respeito ao cantor, que também possuía uma legião de fãs devido os anos de carreira com a banda Linkin Park. Integrantes do Green Day, Coldplay, Papa Roach, 30 Seconds To Mars e outros famosos como Jay-Z, Jared Leto e diversos artistas homenagearam Bennington com declarações especiais depois da perda do músico.

A banda Linkin Park possui sete álbuns de estúdio, sendo o último, “One More Light”, lançado postumamente. Outro fato triste que envolve a morte do famoso é que, dois meses antes de seu suicídio, Chris Cornell, vocalista das bandas “Audioslave”, “Soundgarden” e “Temple of The Dog”, também tirou a própria vida em maio de 2017, da mesma forma que Chester viria a se suicidar posteriormente: através de um enforcamento.

Chris e Chester eram grandes amigos, e a perda de Cornell pode ter sido um dos fatores que deixou Bennington ainda mais vulnerável. Após a morte de Cornell, Chester se manifestou alegando “não imaginar um mundo sem Chris”. No dia em que Chester se suicidou, Chris completaria 53 anos. Durante uma apresentação, Chester dedicou a canção “One More Light” ao amigo, mas se emocionou durante a performance e não conseguiu terminar a música.

O vocalista do Linkin Park enfrentou durante anos problemas com depressão e uso de drogas, deixando com sua morte seis filhos e sua esposa, Talinda Bailey.

Veja+: Seguindo a vida, víuva de Chester Bennington se casa novamente anos após a perda do cantor

SUICÍDIO ACONTECEU HORAS ANTES DE COMPROMISSO COM A BANDA

O suicídio de Chester Bennington foi um grande choque para seus companheiros do Linkin Park, principalmente porque o cantor se matou horas antes deles se encontrarem para uma sessão de fotos em Hollywood, no dia 20 de julho. O músico tinha voltado à Los Angeles na quarta-feira, 19 de julho de 2017, de um voo do Arizona, onde ele e sua esposa passavam algum tempo.

Os colegas de banda estavam indo para a sessão de fotos quando receberam o telefonema sobre o suicídio de Chester, e todos foram para a casa do cantor em Palos Verdes Estates. O Linkin Park começaria sua turnê dentro de uma semana, o que tornou o suicídio ainda mais chocante, apesar da depressão que Chester enfrentava.

AUTÓPSIA

O laudo da autópsia do cantor foi divulgado na terça-feira , 5 de dezembro de 2017, pelo site TMZ, revelando que o músico tinha uma quantidade pequena de álcool em seu organismo.

A publicação revelou também que foram realizados cerca de três testes toxicológicos e que em apenas um deles, correspondente a ecstasy, deu “presumidamente positivo”. Estes resultados indicam que o artista não estava sob o efeito de drogas quando se suicidou.

Ainda de acordo com o TMZ, as autoridades chegaram a encontrar substâncias no armário do quarto onde o cantor estava, como Zolpidem, medicamento usado para tratar insônia, além de pedaços de unhas de Bennington embaixo do seu celular e ainda em cima da mesa. De acordo com Talinda Bennington, viúva de Chester, ele sempre roía as unhas quando estava ansioso. Ela também revelou que o cantor em outras vezes havia tentado o suicídio, como em 2006, quando bebeu muito e saiu de casa armado.