Música e Shows às 12:30

Letícia Sabatella solta a voz e ganha aplausos e carinhos de Daniel Dantas

Letícia Sabatella abraçada com Daniel Dantas

Daniel Pinheiro/AgNews

Letícia Sabatella se apresentou com sua banda Caravana Tonteira, no Teatro Prudential, no Rio de Janeiro, na noite de quinta-feira, 15 de julho. 

Daniel Dantas, ator e namorado de Letícia, estava na primeira fila da plateia. Emocionado, ele aplaudiu a atriz e cantora de pé. Além dele, estavam por lá Liège Monteiro, Luiz Fernando Coutinho e Bel Kutner.

No palco, Letícia se apresenta com Paulo Braga, no piano, Fernando Alves Pinto, no serrote, Daniel D´Alcântara, no serrote e na percussão e Zéli Silva, no baixo acústico.

Foto- Daniel Pinheiro/AgNews

‘Nos Tempos do Imperador’ já tem data de estreia confirmada pela Globo

Após pausas nas gravações de “Nos Tempos do Imperador”, por conta da pandemia da Covid-19, a nova trama das 18h já tem data certa para estrear: 9 de agosto. A produção abrirá a sequência de novelas 100% originais, desde o início desta catástrofe na saúde mundial.

A informação foi confirmada pela própria assessoria da TV Globo. A obra, escrita e criada por Alessandro Marson e Thereza Falcão, e dirigida por Vinícius Coimbra, fala sobre escolhas e sacrifícios. Desafios, conquistas, batalhas, vitórias e derrotas. E, claro, grandes paixões.

A história

Ambientada no Rio de Janeiro, a trama de época se desenvolve num Brasil que ainda busca sua identidade e acompanha momentos importantes da vida do Imperador Dom Pedro II (Selton Melo), da Imperatriz Teresa Cristina (Leticia Sabatella), de Luísa, a Condessa de Barral (Mariana Ximenes), além de Pilar (Gabriela Medvedovski) e Jorge/Samuel (Michel Gomes), ao longo dos anos. Através de histórias de amor, lutas e esperança, “Nos Tempos do Imperador” traz elementos históricos, mas que remetem imediatamente aos dias atuais.

“O resgate do contexto histórico somado às histórias envolventes e inspiradoras dos protagonistas constroem uma novela com muita brasilidade, que promete gerar identificação com o público e abrir debates para temas contemporâneos”, ressaltou o diretor artístico Vinícius Coimbra.

Um hiato chamado pandemia

Os trabalhos nunca pararam totalmente, mas as gravações retornaram apenas em novembro do ano passado. Além dos Estúdios Globo e externas no Rio de Janeiro, os municípios de Barra do Piraí e Rio de Flores foram locações para cenas importantes nas fazendas das famílias de Luísa, Tonico (Alexandre Nero) e Pilar, e foram gravadas antes da interrupção. Na Chapada Diamantina, na Bahia, foram realizadas, também antes da pausa, cenas que envolvem as expedições de Dom Pedro II e Teresa Cristina pelo Brasil.

Conheça mais detalhes da trama

A jovem Pilar (Gabriela Medvedovski) enfrenta, desde pequena, o peso de ser uma mulher do século XIX e tenta convencer o pai Eudoro (José Dumont), fazendeiro e coronel da Bahia, a deixá-la estudar. No entanto, Eudoro promete casar sua filha com o grande vilão da novela, Tonico (Alexandre Nero), futuro candidato a deputado pela Bahia. A possibilidade de um casamento sem amor faz com que Pilar decida fugir, pois seu maior sonho é ser médica.

Para trás, ela deixa sua irmã Dolores (Julia Freitas/Daphne Bozaski). Em paralelo, o escravizado Jorge/Samuel (Michel Gomes), um homem corajoso e honesto, que acredita na integração entre negros e brancos, luta para se tornar livre, como a maioria dos negros que vive na mesma situação. Diante da realidade da escravidão, a única opção é fugir também, mas antes que isso aconteça, o destino lhe obriga a escapar sem qualquer planejamento. Durante a fuga, Pilar cruza seu caminho. Um encontro que muda a vida dos dois para sempre. O casal vai lutar por seus sonhos, movidos pela paixão que nutrem um pelo outro, mas também desejam fazer a diferença na vida das pessoas. Ela deseja se tornar médica. Ele quer mudar a sociedade.

Enquanto isso, na Corte, Dom Pedro II (Selton Mello), o viajante Imperador, querido pelo povo, trabalha pelo progresso do país e para ampliar os horizontes da população investindo na educação. Ao seu lado, tem a Imperatriz Teresa Cristina (Leticia Sabatella), com quem tem as filhas Leopoldina (Melissa Nóbrega/ Bruna Griphao) e Isabel (Any Maia/ Giulia Gayoso), fruto de um casamento político. Em uma de suas viagens com a esposa, sente o país ameaçado após um encontro inesperado com o general Solano Lopez (Roberto Birindelli), comandante das tropas do Paraguai. D. Pedro II precisa preparar as filhas para assumirem suas responsabilidades como membros da família real. Para isso, convida Luísa (Mariana Ximenes), a Condessa de Barral, para ser a preceptora das meninas. Luísa é uma mulher moderna, educada na Europa, domina diversos assuntos e sabe muito bem aonde quer chegar. Ao conhecê-la, Dom Pedro II se vê arrebatado. Sua força e beleza o tiram do prumo e provocam uma reviravolta em sua vida pessoal.

Luísa também é a responsável por apresentar Pilar e Jorge/Samuel ao Imperador e esse encontro será decisivo. Dom Pedro II lutará de todas as formas para ajudar os dois na realização de seus sonhos e vai igualmente lutar pelo Brasil, respeitando a Constituição, mostrando-se acessível e disposto a atender aos anseios da população e mantendo um bom relacionamento com as províncias, defendendo a integralidade do país.

“Nos Tempos do Imperador”, a próxima novela das seis, é criada e escrita por Alessandro Marson e Thereza Falcão, com Julio Fischer, Duba Elia, Wendell Bendelack e Lalo Homrich e tem direção artística de Vinícius Coimbra, direção geral de João Paulo Jabur e direção de Guto Arruda Botelho, Alexandre Macedo, Pablo Müller, Joana Antonaccio e Caio Campos. A estreia é em 09 de agosto de 2021.