Imprimir

Notícias

14/10/2020 | 01h00m - Publicado por: Raphael Araujo | Foto: Divulgação

Ator investe R$ 2 milhões de reais na carreira de drag queen

Valder Bastos dá vida à Tchaka – A Rainha das Festas

Ator investe R$ 2 milhões de reais na carreira de drag queen - Divulgação

Não é de hoje que as drag queens dominaram boa parte do cenário de artes nacional, como as cantoras Pabllo Vittar e Gloria Groove por exemplo.

Você pode não conhecer o ator Valder Bastos, que estudou artes dramáticas na Escola Teatro Macunaíma em São Paulo, também tem formação acadêmica no curso de Direito na Universidade Brás Cubas, Mogi das Cruzes e quem dá vida a Drag Queen Tchaka – A rainha das festas, uma das figuras de maior destaque da cena LGBTQIA+.

Tchaka participou de uma live para o Canal da Lisa Gomes e revelou alguns detalhes da carreira. Entre um assunto e outro foi questionada quanto já investiu para se tornar uma das drag queens mais queridas de São Paulo.

“Unir arte com business pode! Tudo que você está mostrando atrás de você teve um custo. Nesses 20 anos de carreira já gastei mais de R$ 2 milhões. Imagina desde quando comecei até agora, tudo que eu já investi, tenho mais de 5000 eventos”, revelou ela.

A rainha aproveitou para falar sobre preconceito e rivalidade dentro da própria comunidade LGBTQIA+ inclusive com Silvetty Montilla que era apresentadora da Parada do Orgulho LGBT – SP por anos e há cinco é ocupado pela Tchaka.

Glamour Garcia e divas trans celebram o Orgulho LGBTQIA+

Pandemia do novo coronavírus

Outro ponto abordado por Lisa foi o fato de, por conta da covid-19, as festas foram adiadas/canceladas, e questionou se isso entristecia Tchaka.

“Não! Sabia que teve um momento em 1999 que o mundo iria parar? Mas passamos! E eu nasci ali em 2000, e chego 20 anos depois com cinco mil apresentações neste colorido currículo, depois do Bloco da Tchaka, que eu levaria para os eventos, o mundo ‘miou’ meus planos. Mas pensei: ‘o que eu posso fazer nesta situação?’, e foquei nisso dentro do meu mundinho”, explicou.

“Descobri então que posso fazer o que amo: me comunicar. Pego e descubro as lives, faço os tik toks, mas percebo que quero ouvir outras tribos, outros povos, quebrar minhas bolhas, e estou seguindo com isso nas redes sociais”, completou Tchaka.





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico