Imprimir

Notícias

16/04/2021 | 20h00m - Publicado por: Rita García | Foto: Reprodução/Instagram

Cara Delevingne relembra amizade da avó com Príncipe Philip

A modelo compartilhou uma foto antiga da avó com o monarca de origem grega

Cara Delevingne relembra amizade da avó com Príncipe Philip - Reprodução/Instagram

A modelo Cara Delevingne compartilhou uma foto de sua avó com o Príncipe Philip, aos 17 anos, na Itália. A foto em preto e branco de Angela Delevingne e do futuro Duque de Edimburgo - que faleceu aos 99 anos na semana passada - foi tirada em uma praia em Veneza, em 1938. 

A foto foi tirada pelo marido de Angela, Edward, com quem ela se casara naquele ano. 

Foi só um ano depois daquilo que Philip foi apresentado oficialmente a Elizabeth, quando a então princesa tinha 13 anos e acompanhou seus pais em uma visita ao Colégio Naval da Realeza Britânica, onde ele era um cadete. 

Angela - que faleceu aos 102 anos em 2015 - nasceu em uma família aristocrática. Seu pai era Visconde e sua tia materna era madrasta da esposa do Lord Mountbatten, Edwina. Lord Mountbatten era o tio do Príncipe Philip e primo de segundo grau da Rainha. 

Ela teve quatro filhos com Edward e foi casada por 37 anos, até a morte dele em 1974. Seu filho Charles, um incorporador imobiliário, é pai de Cara, de 28 anos, e Poppy, de 34. 

Cara e Poppy cresceram em uma mansão em Belgravia, e a linhagem materna das irmãs também é bem interessante. Sua mãe, Pandora, é uma das amigas mais próximas a Duquesa de York, Sarah Ferguson, e sua avó materna era dama de companhia da Princesa Margaret, ifalecida irmã da rainha. 

 

Momentos difíceis

A modelo Cara Delevingne participou, recentemente, do podcast Goop, comandado por Gwyneth Paltrow, e revelou que teve pensamentos suicidas enquanto descobria a sua sexualidade. A famosa, que se identifica como pansexual - quem sente atração por alguém independente do gênero biológico ou identidade de gênero - não aceitava a si mesma e chegou a se "enojar" com a ideia de ter um parceiro do mesmo sexo. 

"Eu cresci em uma família antiquada. Eu não conhecia ninguém que fosse gay. Eu não sabia que isso existia e, na verdade, acho que enquanto crescia não tinha consciência de que eu era homofóbica", desabafou ela. 

Cara também ressaltou a dificuldade que sentiu quando percebeu que sentia-se atraída por mulheres. 

"A ideia de ser do mesmo sexo [do parceiro]... eu tinha nojo disso, de mim mesma. Eu ficava naquela de: 'ah, meu Deus, eu nunca faria isso, isso é nojento'", assumiu. 

Toda essa pressão fez com que a atriz atribuísse a "depressão massiva e os momentos suicidas da minha vida" ao fato de gostar de mulher "porque eu tinha muita vergonha de ser isso". Entretanto, hoje ela compreende como é de fato. "Mas na verdade essa é a parte de mim que eu amo tanto e aceito", explicou. 

Porém, os questionamentos ainda rondam Cara. "Há uma parte de mim onde eu penso: "eu gostaria de poder ser hétero'. Ainda existe esse lado disso. É muito complicado", contou.

Príncipe Andrew poderá assistir ao funeral do pai?
Príncipe Charles faz homenagem emocionante ao pai: 'Amado e apreciado'







Instagram

Instagram

OFuxico