Imprimir

Notícias

04/09/2020 | 01h30m - Publicado por: Raphael Araujo | Foto: Ernna Cost e Reprodução/Youtube/Montagem

Confira famosos que são símbolos de lutas sociais

Chadwick Boseman deixou um legado para a luta antirracista

Confira famosos que são símbolos de lutas sociais - Ernna Cost e Reprodução/Youtube/Montagem

Na última sexta-feira (28), Chadwick Boseman, responsável por interpretar o personagem Pantera Negra nos filmes da Marvel, morreu vítima de um câncer de cólon, deixando diversos fãs ao redor do mundo bastante tristes.

Todavia, seu legado e simbologia para a luta antirracista, principalmente em Hollywood, jamais serão esquecidos, sendo verdadeiros marcos nas lutas sociais.

Felizmente, mais famosos contribuem das mais variadas formas com essas pautas, e nós do OFuxico separamos alguns dos muitos deles para você.

Confira:

Beyoncé

Se tem alguém que é um verdadeiro símbolo da luta feminista e racial no mundo dos famosos, essa pessoa com certeza é Beyoncé.

Uma das maiores cantoras do mundo na atualidade, a artista constantemente insere tais pautas em suas canções, álbuns e clipes, algo que podemos ver no recente Black Is King, inspirado no álbum The Lion King: The Gift e lançado por meio da plataforma de streaming Disney+, ainda não disponível no Brasil.

Dirigido e produzido por Beyoncé durante um ano, o álbum visual entra na conta como o terceiro produto neste formato feito por ela após o auto-intitulado Beyoncé e o Lemonade que, além de ter tido o Lemonade Film, o CD foi muito bem recebido, principalmente por mostrar uma artista mais empoderada e enaltecendo a suas origens e o povo negro.

Os looks, muito coloridos e repletos de significados, também chamaram a atenção e teve dedinho brasileiro. A estilista Loza Maleombho, que nasceu no Brasil, logo mudou para os Estados Unidos, onde se formou. Atualmente mora na Costa do Marfim, lugar que criou a marca com o seu nome, e essa é a segunda vez que Loza trabalha para Beyoncé. A primeira foi para o clipe de Formation. 

Pabllo Vittar

Quando falamos em representatividade na comunidade LGBTQIA+, as drag queens (pessoas que se expressam artisticamente e exageradamente femininas por meio de montações) são muitos dos nomes que nos vêem à mente, inclusive Pabllo Vittar, uma das maiores drags do mundo.

Com uma sólida carreira na música barsileira e já alçando vôos internacionais, Pabllo coleciona diversos títulos de representatividade ao redor do mundo, como “emblema de fluidez de gênero” pelo The New York Times e “símbolo de resistência” pelo The Guardian.

Ainda, a revista Paper descreveu Vittar como “uma das figuras queer mais emblemáticas do mundo” e, em 2019, ela foi incluída na lista de líderes da Próxima Geração da revista Time.

O mais recente trabalho de Pabllo Vittar na música foi o seu terceiro álbum de estúdio, intitulado 111 em homenagem ao seu aniversário (01/11), cujo single mais recente lançado foi Rajadão, que no clipe mistura animação e live-action.

Viola Davis

Assim como Beyoncé, Viola Davis também um símbolo da luta a favor das mulheres e dos negros, sendo uma das figuras mais emblemáticas das premiações de filmes e séries.

Viola foi a primeira atriz negra e a alcançar a Tríplice Coroa da Atuação (Oscar, Emmy e Tony), além de configurar na lista das cem pessoas mais influentes do planeta pela revista Time em 2012 e 2017.

Ainda, em 2016, ela ganhou o prêmio See Herr no Critics’ Choice Awards, que consagra atrizes que fazem diferença na forma como as mulheres são tratadas no mercado audiovisual.

Taís Araújo e Lázaro Ramos

Taís Araújo e Lázaro Ramos formam um dos casais mais queridos pelo público brasileiro, frequentemente discutindo a questão do racismo na sociedade, inclusive nas redes sociais.

No dia 02 de junho, internautas e famosos aderiram ao movimento Blackout Tuesday, que consistia em publicar uma imagem toda preta em seus perfis no Instagram para chamar atenção para o combate ao racismo.

Dentre as pessoas que participaram do "apagão" na rede social, Taís estava na lista, que fez uma homenagem em sua publicação, citando várias vítimas negras. 

"É pela Cláudia Silva Ferreira, Jenifer Cilene, Kethellen de Oliveira Gomes, Kauã Rozário, Kauê Ribeiro, pela Agatha Félix, por João Pedro Mattos, Marielle Franco, George Floyd e outras tantas pessoas que tiveram suas vidas arrancadas. Para todos e por todos que ainda estão vivos", escreveu ela ne legenda. 

Taís Araújo homenageou vítimas de racismo em publicação no Instagram sobre o Black Out Tuesday

Confira a publicação no perfil do Instagram @taisdeverdade.

Já no dia 04 de junho, Lázaro desabafou por meio de palavras na legenda de uma publicação feita em seu perfil no Instagram. Aos 41 anos, o ator recordou a conversa com um amigo e disse se sentir cansado de esperar um futuro melhor.

"Desde que sou pequeno ouço que o Brasil é o pais do futuro e que várias melhoras aconteceram, que às vezes perdemos o rumo, mas no futuro... E ele disse: 'Então em que você acredita?'.  Eu acredito no agora, em agir para o futuro ser mais breve. O futuro ja está acontecendo e eu e você podemos mudar ele", afirmou o artista, que argumentou seu pensamento por meio dos acontecimentos no presente.

"Esperar o que? Morrer mais gente? Os líderes eleitos desreispeitarem mais seu povo e suas instituições? Esperar as pessoas passarem da falta de diálogo e partirem para rosnados e mordidas nas esquinas por qualquer desavença Não irmão, façamos agora. Sendo bem clichê, o futuro é agora. Mudemos nossa atitude agora."

Lázaro Ramos desabafou no Instagram sobre conversa que teve com amigo

Confira a publicação no perfil do Instagram @olazaroramos.

Regina Casé

Desde os 4 anos, Benedita Casé usa aparelhos para a surdez. A filha de Regina Casé e Luiz Zerbini perdeu a audição por conta de medicamentos e o assunto, mantido no âmbito familiar e encarado de forma muito natural por ela e sua mãe, gerou momentos de angústia fizeram parte da vida da atriz.

"A gente foi fazer uma audiometria em Copacabana e o médico chegou e disse: 'Por que você trouxe ela aqui?', eu disse: 'Porque ela tá com dificuldade na fala'. Aí ele falou: 'Ela fala muito bem. Eu não sei como ela fala, já que não ouve nada'. Foi assim que esse homem falou. Foi uma loucura", relata Casé em um vídeo do canal Surdos Que Ouvem, no YouTube.

Desde então, Regina sempre lutou contra a doença e comentou sobre o assunto em entrevistas, mostrando que o amor de mãe é mais poderoso do que qualquer um possa imaginar.

Oprah Winfrey

Oprah Winfrey é um verdadeiro símbolo de luta feminista e antiracista

Oprah Winfrey é com certeza um dos maiores nomes quando se fala em representatividade, principalmente no mercado de talk shows nos Estados Unidos (na qual ela é dona do programa desse estilo de maior audiência da história da televisão estadunidense), sempre lutando pelas pessoas negras e as mulheres.

Uma das provas de seu engajamento é o frequente apoio ao movimento #MeToo, que incentiva as atrizes do cinema a denunciarem os assédios e abusos sofridos na indústria cinematográfica, que permitiu a série de denúncias contra o produtor Harvey Weinstein.

Pela revista Forbes, ela foi a primeira mulher negra a ser incluída na lista de bilionários em 2003, e em 210, foi a única mulher a permanecer no topo da lista por quatro anos.

Mariana Xavier

Muito famosa pelos filmes da franquia Minha Mãe é Uma Peça, Mariana Xvaier frequentemente está discutindo a questão da gordofobia, tabu bastante frequente na sociedade, principalmente entre as mulheres.

“Às vezes, as pessoas dizem 'você tem um rosto lindo', como se da cintura para baixo, não prestasse nada. Ou pensam que o gordo deve estar sempre bem-humorado. [...]Entendi que eu era muito mais do que um corpo, que meu valor não está atrelado ao meu manequim. Claro, é complicado... Eu que, há dez anos, achava roupa em qualquer loja, de repente não encontrava mais nada para comprar. O meu estilo era o que me servia”, afirmou em entrevista para a revista AnaMaria em 2017.

Ainda, ela quebrou o padrão de musa ao participar do clipe da canção Jenifer, hit de Gabriel Diniz que conquistou o Brasil, com Mariana mostrando que a pessoa gorda não precisa ser a personagem engraçada na história: ela pode sim ser a musa, sensual e provocante.

Elton John

Elton John já ganhou prêmios na luta em prol da comunidade LGBTQIA+

Elton John se assumiu homossexual em 1988 e a união civil com David Furnish em 2005, se casando com ele em 2014, quando foi legalizado o casamento entre pessoas do mesmo sexo na Inglaterra.

Por conta disso, ele frequentemente levantava a bandeira da luta pela comunidade LGBTQIA+, algo que chamou a atenção de todo o mundo e foi importante para a representatividade.

Por conta disso, o Projeto My Hero, fundado nos EUA em 1995, considera Elton John um Herói na categoria musical, por conta de toda sua luta e vida pessoal.

Quais famosos você considera importantes nas lutas pelas causas sociais?





Notícias Relacionadas

03/09/2020 | 19h10m - Raphael Araujo

Iza recebe parabéns de amigos e famosos nas redes sociais

03/09/2020 | 12h00m - Caroline Huertas

Regina Casé posa em banho de espuma: 'Nudes'



Instagram

Instagram

OFuxico