Imprimir

Notícias

08/08/2020 | 15h00m - Publicado por: Flávia Almeida | Foto: Reprodução/Instagram

Famosas que passaram pelo perrengue da maternidade!

Tem Tatá Werneck, Giovanna Ewbank, Sabrina Sato... elas relatam agruras por trás do glamour

Famosas que passaram pelo perrengue da maternidade! - Reprodução/Instagram

Gravidez sem enjoos, partos sem dor, bebês que dormem a noite toda, nunca ficam doentes, mãe sem olheiras e plenas. Sim, estamos falando de conto de fadas. Embora as redes sociais sejam o paraíso da vida perfeita, as famosas têm feito relatos sinceros sobre as agruras da maternidade.

Acostumada a fazer o público gargalhar, Tatá Werneck tem surpreendido desde que se tornou mãe de Clara Maria. Em seu perfil no Instagram, a comediante volta e meia fala sério sobre a maternidade. Na semana passada, em uma foto em que aparece maquiada, abraçando a filha, enfatizou que cada mulher tem sua história. E enfatizou ainda que tenta constantemente ser sua a melhor versão para a filha.

Tatá Werneck se diverte na maternidade: ‘Minha natureza é bagaceira’

"O batom não esconde os olhos cansados. Sou a melhor mãe que posso ser. A melhor que posso. Não a melhor do mundo. E meu amor não tem limites", escreveu

A mulher de Rafael Vitti ainda destacou que o julgamento - no lugar da empatia - tem sido algo ruim.

"Às vezes, vejo outras mulheres julgando a maternidade das outras... Ainda existe espaço pra isso? Não existe mais isso de 'mãe deve ser assim', 'Mulher tem que...'. Foi se o tempo do julgamento. Aberta a era da empatia. Da compreensão. Julgar a maternidade do outro é cruel", completou.

A atriz terminou seu desabafo pedindo para que as pessoas parem de dar palpites.

"Dê palpite apenas a quem te pedir. Mães, libertem-se! Sofremos. Sorrimos. Doamos. Fazemos nosso melhor! E que fique ao nosso lado só quem quiser contribuir e ajudar."

Tatá Werneck posta sobre momento mãe

O post pode ser visto no Instagram @tatawerneck.

Tatá não é a única a mostrar as dificuldades, deixando de lado a ilusão de que tudo é perfeito na gestação e na criação dos filhos. Giovana Ewbank, que deu à luz a Zyam, no mês passado, festejou nas redes o dia em que conseguiu dormir mais de quatro horas.

"Bom dia porque hoje estou descansada. Consegui dormir quatro horas de madrugada! Quatro horas! Coisa para caramba. Estou bem animada!", disse ela na cama.

Logo que o bebê nasceu, ela ficou alguns dias sem conseguir pregar os olhos.

"Bom dia pra você que dormiu a noite inteira... Porque não foi meu caso! Mas o amor e nosso corpo são muito perfeitos mesmo né? Superam tudo! Porque mesmo sem dormir direito há uma semana, estou tão feliz e tão realizada! Fico aqui ansiosa só esperando a hora pra dar de mama de novo. Obrigada Deus! #amor #semdormir #maede3", contou ela, mãe também de Titi e Bless.

Giovanna Ewbank sobre noites mal dormidas com bebê novinho em casa

Veja o post original no Instagram @gioewbank.

A apresentadora Titi Müller deu à luz a Benjamim em meio a quarentena e, numa avalanche de amor, ressaltou que não há amor maior.

"Vivendo nesse mundo paralelo em que não existe governo nem pandemia nem nada além de amor. Obrigada, filho", derreteu-se.

Dias depois, numa foto ressaltando suas olheiras, destacou estar vivendo o puerpério, período popularmente chamado de pós-parto. É nessa fase que a mulher experimenta modificações físicas e psíquicas, até que os órgãos reprodutores da mãe retornem ao seu estado anterior.

Titi Muller e o filho

Sabrina Sato é outra que não passou imune à maternidade real. Ela, que registra cada segundo de Zoe na web, enfatizou justamente a pressão em conciliar a maternidade e o trabalho.

"Não é fácil voltar ao trabalho, foi mais difícil do que eu imaginava. A vontade que a gente tem é só de ficar com o bebê. Acho que não tem uma mãe que não sinta culpa, nós nos sentimos culpadas por tudo. Não foi fácil, mas faria tudo da mesma forma", disse.

Sabrina citou como exemplo a ex-jogadora de basquete Hortência, que retomou estava jogando nas Olimpíadas quando seu filho completou dois meses de vida.

Mãe de duas, Rafaella, de 11 anos, e Manuella, de umTiciane Pinheiro teve que aprender a se desdobrar.

"Enquanto dou de mama para Manu, Rafinha quer que eu conte histórias e quando estou brincando de boneca com a Rafa, Manu chora querendo mamar. E nessa dupla jornada, ainda tem o marido que precisa de atenção também. Maternidade é realmente ter que se desdobrar para dar conta de tudo e todos", escreveu.

Ticiane Pinheiro falando sobre a maternidade

Em janeiro deste ano, Miá Mello, mãe de Nina, de 10 anos, e Antônio, de 02, protagonizou a peça Mãe Fora da Caixa. No espetáculo, ela conta a história de uma mãe que não tem medo de compartilhar as alegrias e as tristezas da maternidade, destacando medos, frustrações, culpas e reflexões de mães que não se sentem representadas por posts perfeitos nas redes sociais.

"A maternidade é um processo individual. Cada serzinho que nasce é um. E acho que é tão cruel existirem esses manuais da mãe perfeita. Ter um olhar empático é uma das melhores coisas que a gente pode fazer para uma mãe", disse ela, na época de lançamento do espetáculo.

Miá destacou uma situação específica, vivida com seu caçula.

"Quando eu estava desfraldando o Antonio, estava difícil, ele não queria fazer na privada. São fases, primeiro tem a dificuldade, depois passa, vem outra e outra... Daqui a pouco, vem a adolescência e fico apavorada", disse.

Miá Mello e a delícia 'trabalhosa' de ser mãe

Carol Dantas, mãe de Davi Lucas - da relação com Neymar - e de Valentin, de seu atual marido, contou que sua segunda aguçou sua insegurança. Ela não gostava de se ver com as novas curvas e, por várias vezes, se recusou a se olhar no espelho

"Não estava me sentindo nada sensual na gravidez, nem mais bonita. Claro que as curvas são diferentes, são da gravidez. Mas nesse momento que está mudando o seu corpo, você também está em uma fase mais melancólica, mais sensível, e não é fácil administrar isso", disse.

Mãe de Madalena, de três aninhos, a roqueira Pitty precisou ficar de repouso toda a gestação, que foi de risco. Ela teve que lidar com o fato de ter o colo do útero curto, nome mais simples para a insuficiência (ou incompetência) istmo-cervical.

"Foi um tsunami hormonal, até porque eu tomei hormônio na gravidez e tive uma gravidez de risco. Então, eu tive uma onda de precisar de mais hormônio do que o que a gente já produz normalmente na gravidez. Então, foi uma avalanche de sentimentos, eu me lembro das noites em claro", disse ela ao programa Saia Justa.

Pitty e a filha

Em entrevista à Antônia Fontenelle, no programa Na Lata, no Youtube, Simaria, irmã de Simone Mendes, relembrou quando deixou seu filho, com oito dias de vida, para se reunir com empresários.

"Eu tive que ir, porque era uma oportunidade única que a gente tinha e eu não podia deixar passar. Foi duro para mim, porque era bem na época que eu estava amamentando e eu estava muito sensível. Quando eu olhava para baixo e lembrava que eu ia ter que viajar e deixar ele, a lágrima pingava no rosto do meu filho."

Fernanda Gentil passou por um problema de muitas mães: a dificuldade em amamentar. Ela passou por momentos árduos com Gabriel.

"Para uma mãe que sempre sonhou em viver o momento mágico de filme do filho mamando no peito, do olho no olho, da mãozinha segurando o nosso dedo, a notícia da mamadeira cai como uma bomba. Chorei, me julguei e repassei a gravidez inteira na minha cabeça tentando descobrir onde errei; se foi o chocolate que comi, a noite que não dormi ou aquela longa escada que subi", escreveu em seu Instagram.

Fernanda ainda deixou uma mensagem de incentivo.

"Meu recado é esse: amamentar é fundamental, mas quem não consegue não é menos mãe. Essa foi a minha melhor descoberta: o amor que bate no peito bate também na mamadeira".

Fernanda Gentil falou sobre a amamentação

 

Foi exatamente o que Taís Araújo passou. Convidada por Tatá Werneck para participar do Lady Night, a atriz foi às lágrimas, ao falar sobre maternidade e o assunto acabou sendo delicado para ambas. Mãe de João Vicente (08) e Maria Antônia (4), Taís explicou que não conseguir amamentar a filha foi sinônimo de uma culpa desoladora.

"Eu tive uma infecção renal e estava tomando antibiótico no final da gravidez. E aí não pode amamentar, mas eu só fiquei sabendo disso na hora em que eu fui parir. E aí, quando eu fui tentar dar de mamá para ela, ela não quis mais. Aí, amor, era ela chorando de um lado e eu chorando do outro", desabafou a atriz com a voz embargada.

Taís contou que, neste período, foi ajudada pela irmã, Cláudia, que é obstetra.

"Ela falou 'cara, deixa de bobeira. Não é isso que vai criar sua relação com a sua filha. Amamentar é muito legal. Você conseguiu do seu primeiro, lindo. Não conseguiu na sua segunda? Você vai criar vínculos de outra maneira'".

Foi aí que a atriz entendeu que o foco precisava ser estar saudável psicológica, emocional e fisicamente para cuidar de Antônia.

Taís Araújo chora ao falar sobre amamentação com tatá Werneck

Seja qual foi o perrengue, todas são unânimes ao afirmar: ser mãe é maravilhoso! E viva a vida real!    





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico