Imprimir

Notícias

10/12/2020 | 11h00m - Publicado por: Flávia Almeida | Foto: Jorge Hely/Brazil News

Filho de Renato Russo recebe material inédito apreendido pela Polícia Civil

Filho do cantor prestou depoimento

Filho de Renato Russo recebe material inédito apreendido pela Polícia Civil - Jorge Hely/Brazil News

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apreendeu na quarta-feira (9) um vasto material do cantor e compositor Renato Russo, que morreu aos 36 anos em 1996. Os produtos – 91 fitas com material inédito - estavam em um depósito usado por uma gravadora em Cordovil, na Zona Norte. O acervo está catalogado pelo produtor musical Marcelo Fróes.

Batizada de Operação Tempo Perdido, a ação é um desdobramento da Operação Será? e foi coordenada por um agente da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) e tinha como objetivo localizar e entregar ao legítimo proprietário material inédito de Renato Russo, Giuliano Manfredini, filho e herdeiro do compositor.

Em outubro, produtores musicais que trabalharam com a obra do artista negaram que havia material inédito entre os materiais citados em um relatório encontrado durante a Operação Será?.

Giuliano Manfredini prestou depoimento na polícia Civil do RJ, na tarde de quarta-feira (9) e também teve acesso ao acervo.

Giuliano Manfredini recebe material produzido por Renato Russo

 

Giuliano Manfredini olha os materiais apreendidos que pertenceram a seu pai, Renato Russo

Inventário

De acordo com a Polícia Civil, Marcelo Fróes foi contratado pelo pai de Renato Russo em 2000, para fazer um inventário de todo o material produzido pelo cantor, mas ele nunca apresentou o resultado para a família.

Em 2001, segundo a polícia, o produtor fez um contrato parecido com a EMI Music e entregou para a gravadora tudo o que encontrou. A EMI foi comprada pela gravadora Universal. A investigação começou em 2018 com uma denúncia do filho de Renato Russo, que tem os direitos autorais de parte da obra do pai.

“A gente não sabe qual o objetivo disso, se algum dia teve um objetivo, se esse objetivo se perdeu no tempo. O que a gente sabe é que esse material estava fora do domínio do verdadeiro dono, que é o senhor Giuliano Manfredini, herdeiro do Renato Russo”, explicou o delegado Maurício Demétrio.

Tesouro musical

O material apreendido tem, pelo menos, 30 arquivos de áudio inéditos. São trechos de músicas, versões nunca tocadas, como o clássico Faroeste Caboclo com uma pegada reggae e até uma música inédita batizada de Helicóptero.

O filho de Renato Russo se emocionou ao ver o acervo.

“A gente está atrás de todo o registro histórico do Renato. Tem um valor histórico incomensurável, e acho que os fãs precisam saber disso, os admiradores precisam saber, eles precisam ter acesso a isso”, disse Giuliano Manfredini ao Jornal Nacional.

A defesa do produtor musical Marcelo Fróes e a gravadora Universal não comentaram a apreensão do material.





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico