Imprimir

Notícias

22/01/2021 | 20h44m - Publicado por: Larissa Mariano | Foto: Divulgação

Gal Costa lança os dois últimos singles de seu novo álbum

"Pois é" e "Só Louco" encerram o novo projeto da cantora

Gal Costa lança os dois últimos singles de seu novo álbum  - Divulgação

Nesta sexta-feira (22),Gal Costa disponibilizou os dois últimos singles de seu novo álbum, que até então tem o título provisório de Gal 75 e vem sendo lançado desde novembro de 2020.

O álbum completo será disponibilizado nas plataformas de streaming no dia 12 de fevereiro. O projeto contra com várias parcerias:  Rodrigo Amarante, Zeca Veloso, Seu Jorge, Zé Ibarra, Rubel, Jorge Drexler, Criolo , Tim Bernardes, Silva e António Zambujo.

As faixas disponilizadas nesta sexta-feira foram "Pois é'" e "Só Louco".

“Se alguém me dissesse que um dia eu cantaria Caymmi com Gal, eu provavelmente não acreditaria. Foi uma honra cantar “Só Louco”, uma das canções mais bonitas da música brasileira, com uma das minhas vozes prediletas no mundo”, comentou Silva.

Confira aqui a música "Só Louco":

Caetano Veloso completa 78 anos e famosos repercutem
Festival WME Awards by Music2! terá Alcione e Luísa Sonza

Gal Costa revisita ditadura com música nordestina em série 

Gal Costa resgata a memória da ditadura brasileira (1964-1985) na série O Silêncio que Canta por Liberdade.

Dirigido pela atriz Úrsula Corona, o audiovisual documenta a censura sofrida pela música produzida na região nordeste, a partir de depoimentos de intérpretes, compositores, instrumentistas e produtores.

Ao episódio sobre o movimento tropicalista baiano, Gal defende o livre-arbítrio dos brasileiros ao questionar interferências autoritárias, independente de ideologias.

A artista também reflete sobre a sua estreia nos palcos, em 1964, no Teatro Vila Velha, em Salvador, ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Maria Bethânia.

O projeto é costurado por imagens de arquivo e documentos oficiais. A obra original é idealizada pela Sete Artes Produções e coproduzida com Luni Produções, SUPER 8 e Círculo Filmes.

A direção geral é de Omar Marzagão e o roteiro final é de André Araújo, Ernesto Rheinboldt e Úrsula Corona.

A estreia da série está prevista para este ano na TV brasileira.

Caetano Veloso completa 78 anos e famosos repercutem

Gal Costa resgata a memória da ditadura brasileira (1964-1985) na série O Silêncio que Canta por Liberdade.

Dirigido pela atriz Úrsula Corona, o audiovisual documenta a censura sofrida pela música produzida na região nordeste, a partir de depoimentos de intérpretes, compositores, instrumentistas e produtores.

Ao episódio sobre o movimento tropicalista baiano, Gal defende o livre-arbítrio dos brasileiros ao questionar interferências autoritárias, independente de ideologias.

A artista também reflete sobre a sua estreia nos palcos, em 1964, no Teatro Vila Velha, em Salvador, ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Maria Bethânia.

O projeto é costurado por imagens de arquivo e documentos oficiais. A obra original é idealizada pela Sete Artes Produções e coproduzida com Luni Produções, SUPER 8 e Círculo Filmes.

A direção geral é de Omar Marzagão e o roteiro final é de André Araújo, Ernesto Rheinboldt e Úrsula Corona.

A estreia da série está prevista para este ano na TV brasileira.

Caetano Veloso completa 78 anos e famosos repercutem





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico