Imprimir

Notícias

28/10/2006 | 10h15m - Publicado por: Carlos Ramos | Foto: Felipe Panfili

Galã global chora de emoção no final de Essa Nossa Juventude

Galã global chora de emoção no final de Essa Nossa Juventude - Felipe Panfili

Cauã Reymond não conteve as lágrimas na hora do aplauso final do espetáculo Essa Nova Juventude, que marcou sua estréia nos palcos cariocas. A única experiência teatral anterior que ele teve foi na peça Em Alto Mar, que fez curta temporada apenas em Brasília, no mês de agosto.

Ao lado dos colegas de elenco, Simone Spoladore e Frank Borges e da diretora e produtora da peça, Maria Luíza Mendonça, Cauã chorou de emoção ao agradecer a presença de vários amigos, da platéia em geral e em especial de Caio Blat, com quem divide o papel de Edu, que é revezado, dia sim, dia não, entre os dois atores.

“É muito bom fazer uma peça boa, ter um elenco como esse como companheiro de palco e a Maria Luíza como diretora, sem falar a possibilidade de dividir o papel com o Caio Blat, de quem já fui irmão na novela Da Cor do Pecado, porque éramos da família Sardinha. Fiquei nervoso por estar na minha casa, que é a minha cidade, mas quando ouvi o Jimmy Hendrix, que toca na trilha sonora do espetáculo, senti que estava no final e que tudo tinha ido bem”, conta o ator na saída da Sala Fernanda Montenegro do Teatro Leblon, zona sul do Rio, onde o espetáculo entrou em cartaz na noite de quinta-feira, 26, revelando também que temeu de não dar público por causa do horário (23h30) no qual o espetáculo foi apresentado na sexta-feira, 27.    

Caio Blat também falou da experiência de dividir o mesmo personagem com outro ator.
“Apesar de eu absorver algumas coisas do Cauã e ele certamente absorver algumas coisas do meu jeito de fazer o Edu, a peça fica outra quando está eu ou ele no palco. Essa Nossa Juventude é resultado de um processo coletivo, de companhia teatral mesmo, tanto que vão acontecer outros revezamentos de papéis. Eu e Cauã ainda vamos fazer o personagem Denis, do Frank Borges, e a Maria Luíza Mendonça vai se revezar com a Simone Spoladore, no papel de Jéssica.”

Simone Spoladore endossa as palavras de Caio, confirmando que um ator realmente contamina o outro, quando ocorre esse processo de revezamento de papéis, ainda mais que isso já vinha ocorrendo desde a fase dos ensaios.

Maria Luiza Mendonça era a imagem da alegria e da cordialidade. A atriz que estréia como diretora e produtora (ao lado de Christiane Riera) fez questão de que toda a imprensa assistisse ao espetáculo, fato que vem se tornando mais que raro nas estréias no Rio de Janeiro.

O trio que esteve em ação na noite de sexta-feira, 27, foi aplaudido por muitos famosos, como Pitty Webo que teceu elogios ao espetáculo a começar pelo texto de Kenneth Lonergan. Também estiveram no teatro e saíram fazendo o famoso boca-a-boca (uma das melhores formas de divulgação de um espetáculo) as atrizes Sheron Menezes, Bianca Comaparato e os atores Pedro Neschiling e Pedro Nercessian, além da modelo Lise Grendene, que foi embora da sala de espetáculo na companhia do amado, Cauã Reymond.

Serviço
Essa Nossa Juventude
Teatro Leblon - Sala Fernanda Montenegro
Rua Conde Bernadotte, 26 – Leblon – Rio (21) 2274-3536
Qui – 21h
Sex e Sab – 23h30
Dom – 22h    
  





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico