Imprimir

Notícias

10/08/2020 | 22h00m - Publicado por: Victória Xavier | Foto: Reprodução/Vídeo

Ghost of Tsushima conquista com uma narrativa ímpar

O novo jogo da Sucker Punch nos faz mergulhar em um personagem complexo e um visual inacreditável

Ghost of Tsushima conquista com uma narrativa ímpar - Reprodução/Vídeo

Ghost of Tsushima, jogo da Sucker Punk, era um dos games mais aguardos em 2020 e não decepcionou. O jogo te convida a mergulhar em um mundo aberto, repleto de cenários deslumbrantes e com uma narrativa envolvente. 

Baseado em uma história real e ambientada em 1274, acompanhamos Jin Sakai, samurai que consegue sobreviver à batalha na Komoda, contra a invasão mongol, e que , originalmente, dizimou todo o clã Samurai que habitava na a ilha de Tsushima. Além de Jin, seu tio, lorde Shimura, também sobrevive, mas acaba capturado por Kotun Khan, líder dos mongóis.  

The Last Of Us 2 não é um jogo, é uma imersão emocional

A partir desta premissa, o objetivo inicial do game é o resgate de Shimura e, obviamente, a eliminação de Kotun Khan. Sem pressa, GOT trabalha com maestria o quesito exploração, que é uma das palavras de ordem do jogo.  Explorar os ambientes, as paisagens e a história em si, faz parte da narrativa construída pela Sucker Punch, que não lançava nada desde Infamous  Second Sun e First Light, seis anos atrás. 

Mesmo não estando isento de erros, vale ressaltar que o jogo vai além do visual. A campanha se preocupa em trazer o jogador para perto de dúvidas, conflitos internos e emocionais do protagonista, que se vê inúmeras vezes diante de questões morais. Além disso, há o medo do desconhecido, do incerto e todos esses detalhes são muito bem trabalhados e passados para quem assume o controle.  

Um dos pontos que deixa um pouco a desejar é a performance de Daisuke Tsuji. Mesmo tendo experiência em Call Of Duty: Black Ops 4 e outras produções, a atuação do mesmo não entrega a conexão necessária com o jogador, fazendo com que se crie uma falta de empatia. Seu talento vem à tona na segunda parte do jogo, quando a história encorpa e ganha mais tensão. Porém, até o primeiro momento, o jogador precisa se esforçar para se conectar com seu protagonista.  

Com um gameplay inacreditável e que faz jus à cultura japonesa, os detalhes e a jogabilidade são brilhantes do começo ao fim. As armas utilizadas por Jin, desde a katana até a Tantō, são um show à parte, juntamente com a variedade de estilos de combate diante dos inimigos e as posturas.  

Ghost of Tsushima ganha na narrativa e na entrega de um personagem complexo em todas as suas variáveis, incluindo emocionalmente e psicologicamente. O que faltou ser trabalhado nas camadas dos coadjuvantes, como Yuna, sobra em Jin Sakai, finalizando o universo do Playstation 4 em grande estilo e maestria. 





Notícias Relacionadas

22/06/2020 | 19h00m - Victória Xavier

The Last Of Us 2 não é um jogo, é uma imersão emocional

16/06/2020 | 14h45m - Victória Xavier

Entenda o que é DCFanDome, evento de 24 horas da DC

16/06/2020 | 00h00m - Victória Xavier

EA, Motive Studios e Lucasfilm anunciam Star Wars: Squadrons



Instagram

Instagram

OFuxico