Imprimir

Notícias

13/08/2020 | 01h00m - Publicado por: Raphael Araujo | Foto: Reprodução/Instagram

Linn da Quebrada é aclamada no The Guardian com Jup do Bairro

Veículo britânico elogiou luta das cantoras contra a transfobia e o racismo

Linn da Quebrada é aclamada no The Guardian com Jup do Bairro - Reprodução/Instagram

Com o avanço das pautas étnicas e de visibilidade LGBTQIA+ no Brasil e no mundo, diversos artistas estão recebendo um destaque mais que merecido, como foi o caso das cantoras Linn da Quebrada e Jup do Bairro.

Amigas de longa data, as artistas foram aclamadas e enaltecidas no The Guardian, famoso veículo britânico, pela luta delas contra o racismo e a transfobia, minorias na qual ambas lutam por mais direitos.

“Formadas pelo baile funk, metal e muito mais, Linn da Quebrada e Jup do Bairro – com a produtora Badsista – estão se esquivando do racismo, da transfobia e da resistência da indústria musical para contar suas próprias histórias”, declarou o jornal.

Ainda, a música de Linn e Jup foi descrita como “uma combinação de letras vulneráveis, declarações irônicas e ritmos dançantes, é mais do que contagiosamente brilhante”.

A entrevista foi feita por meio do aplicativo de chamadas Zoom, com as duas comentando sobre sua trajetória até este momento.

“Em Jair Bolsonaro, o Brasil elegeu um inimigo da comunidade LGBTQ+ que descreve a si mesmo como orgulhoso de ser homofóbico; 130 pessoas trans foram assassinadas no país em 2019, mais do que em qualquer lugar do mundo. Mas essas artistas se recusam a se limitarem pelo medo ou pelas regras da sociedade”, ressaltou o The Guardian, focando no momento político na qual o Brasil está vivendo.

Durante a entrevista, as cantoras fizeram uma crítica ao termo “representatividade”, e para Linn da Quebrada, este termo reproduz uma ideia de apena suma pessoa pode falar por toda uma população, alimentando uma competição entre artistas.

“Jup, Badsista e eu somos poderosas como indivíduos, mas quando unimos forças é quando nos tornamos perigosas”, declarou ela, que também é atriz, tendo trabalhado na série de Segunda Chamada, da TV Globo.

“Existe um motivo para que os primeiros cortes orçamentários sejam nas artes e na cultura, quando um governo conservador assume o cargo. É por meio da arte e da cultura que as pessoas promovem novas formas de compreensão, novas possibilidades e contestam o status quo”, opinou Jup do Bairro.

Confira abaixo algumas músicas de Linn da Quebrada e Jup do Bairro:





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico