Imprimir

Notícias

27/07/2020 | 11h28m - Publicado por: Flavia Almeida | Foto: Reprodução

Live de pagode acaba em tiroteio em Angra dos Reis

Abordagem policial era para ter sido na casa ao lado

Live de pagode acaba em tiroteio em Angra dos Reis - Reprodução

Estava tudo bem na esperada live do grupo de pagode Aglomerou, bastante popular na Costa Verde do Rio de Janeiro. Eles faziam a transmissão ao vivo em uma casa de festas no bairro Ribeira, em Angra dos Reis, quando foram interrompidos tiros e policiais, que entraram no imóvel, enquanto cantavam o pagode Compasso do Amor, do grupo Revelação.

Gusttavo Lima ganha entre R$ 1,5 e R$ 2 milhões por live

Ao perceber a movimentação dos policiais enquanto ainda estava cantando, o vocalista João Victor, pediu que parassem de tocar. De imediato, os disparos começaram e os músicos se jogaram no chão. Nas imagens é possível observar a intensa movimentação de policiais fortemente armados. Em determinado momento, uma pessoa avisa que eles estão na casa errada.

"Ricardo, é a outra casa. É a outra casa. É a outra casa de festa. A gente é da live. Meu Deus do céu", disse.

A live, claro, foi encerrada.

Zeca Pagodinho se rende e prepara live para o Dia dos Pais
 

Investigação sigilosa

De acordo com a Polícia Civil, a operação foi um desdobramento de uma investigação sigilosa da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense e teve apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). O alvo da operação era um imóvel vizinho, onde estaria acontecendo uma festa com foragidos da Justiça.

Em nota a Polícia Civil destacou que a interrupção da live não foi equivocada e foi feita para evitar que alguém pudesse ser ferido durante a ação.

Todos bem

Passado o grande susto, os músicos fizeram uma publicação nas redes sociais para tranquilizar os fãs. A live será realizada em outra data.

"Galera, estamos bem. Está tudo bem. Está acontecendo uma operação policial em uma casa bem próxima aqui do espaço. Então, ocorreu esse fato, mas está todo mundo bem. Não tem nenhum vínculo com o espaço. Não tem problema nenhum com quem estava aqui dentro da live. É isso aí. Está tudo certo. A gente vai remarcar a live porque a gente está meio sem clima pra fazer", explicou o vocalista João Victor.

Polícia Civil dá a sua versão

Em nota oficial, a Polícia Civil do Rio de Janeiro explicou que se tratava de uma investigação especializada e destacou que a live foi interrompida para que ninguém saísse ferido, uma vez que a operação era na casa ao lado.

Leia a nota na íntegra:

"Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), com apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), realizaram uma ação no município de Angra dos Reis, na tarde deste domingo (26/07), referente a uma investigação da especializada. Os policiais checavam informação de uma casa onde estaria sendo realizada uma festa desde ontem com criminosos foragidos da Justiça.

Com a aproximação dos agentes, alguns criminosos correram em direção a um mangue e efetuaram disparos em direção aos policiais, que ainda tentaram localizá-los, sem sucesso.

Todas as pessoas que estavam na festa foram autuadas por descumprimento de medida sanitária preventiva, com base no artigo 268 do CP. No local os agentes encontraram frascos de lança perfume e indícios de consumo de drogas. Algumas pessoas que estavam na festa também possuíam anotações criminais por diversos crimes como tráfico de drogas, roubo e associação criminosa, mas sem mandados pendentes.

Na casa ao lado, onde estava sendo realizada a diligência, ocorria uma live de um grupo musical, que foi interrompida para evitar que alguém pudesse ser ferido durante a ação".





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico