Imprimir

Notícias

29/08/2020 | 10h00m - Publicado por: Miguel Arcanjo Prado | Foto: Divulgação

Mel Lisboa fala de volta à Globo e ser Rita Lee em filme

Em entrevista exclusiva, atriz ainda comenta sucesso na Netflix em Coisa Mais Linda

Mel Lisboa fala de volta à Globo e ser Rita Lee em filme - Divulgação

Duas décadas separam a estreia de Mel Lisboa na Globo, em Presença de Anita, como a Lolita brasileira na minissérie de Manoel Carlos em 2001, de seu retorno à maior emissora brasileira após 13 anos de afastamento. Ela estará na próxima temporada de Malhação, que deve estrear em 2021.

Aos 38 anos, a atriz gaúcha radicada em São Paulo, após um período no Rio, demonstra a maturidade conquistada neste período de independência, no qual passou pela Record e transitou pelo teatro de grupo paulistano — na Cia. Pessoal do Faroeste e em peças independentes —, além de ter se tornado estrela da Netflix com a série Coisa Mais Linda, sucesso de público e de crítica.

Em casa nesta quarentena, como boa parte dos brasileiros já há quase meio ano, a atriz conversou com o jornalista Miguel Arcanjo Prado com exclusividade para OFuxico sobre como encara este novo desafio na carreira. E ainda contou como enfrenta o retorno às novelas da maior emissora do país, revelou ter voltado aos estudos da psicologia e ainda falou sobre as especulações de que poderá dar vida a Rita Lee, a quem já interpretou nos palcos e na série sobre Elis, na cinebiografia prevista sobre a Rainha do Rock, baseado no livro escrito pela roqueira. Leia o bate-papo.

OFuxico – Como tem sido sua quarentena? Onde tem passado, o que tem feito e como encarou este momento delicado?
Mel Lisboa –
Bom, já são quase 6 meses em casa, um setor todo parado, eu ia começar a gravar a novela e parou no dia que a gente ia começar as gravações e até agora a gente não tem exatamente a data que vai voltar; tudo muito em suspensão, mas pude ficar em casa, tive esse privilégio, as crianças também estão bem, a gente está com saúde, tentando manter a saúde não só física, mas mental, psicológica, emocional. E é isso, fui buscando alternativas também para poder me expressar, porque essa obrigação, essa impossibilidade de você trabalhar, de você se expressar, é delicada. Então fui buscando alternativas, eu encontrei nas leituras um modo que me fez muito bem, uma cura grande porque foi uma mistura de estudo e de compartilhamento de algo que eu particularmente gosto bastante, então foi bem bacana, está sendo.

OF – Você voltou a estudar?
Mel Lisboa –
Agora em agosto eu voltei para faculdade, voltei a fazer aula, estudar e isso também para mim é muito bom, eu fico bastante ocupada com a faculdade, com as leituras, com os trabalhos que eu tenho que fazer; enfim, eu estou bem dentro do possível, acho que esta é a frase que eu mais tenho falado, mas eu espero que tudo isso sirva para um propósito, eu vejo esse momento como uma oportunidade, uma chance, se a gente for olhar por um lado bom uma oportunidade de se reinventar, de ressignificar uma série de coisas, de perceber valores que a gente não dava para determinadas coisas e quem sabe sair dessa situação um pouco melhor, sabe!? Se é que há um lado bom de todo esse momento dramático que a gente está vivendo, acho que é uma chance da gente evoluir, espero que a gente não perca essa chance.

Mel Lisboa como Thereza, em Coisa Mais Linda, da Netflix

OF – Como foi lançar nova temporada de Coisa Mais Linda neste período?
Mel Lisboa –
Coisa Mais Linda já estava programada para ser lançada em junho, antes da pandemia, enfim acabou calhando de ser lançada em plena pandemia, em um período onde as pessoas estavam mais em casa, não sei se isso de fato fez alguma diferença do ponto de vista de ter tido mais pessoas assistindo ou não, mas de qualquer maneira eu acho que é um momento em que as pessoas estão mais sensibilizadas, elas estão mais a flor da pele, acho que é um momento de transformações em potencial bem importante. Então é uma série que ao mesmo tempo é delicada, é entretenimento, mas que também aborda tantos assuntos importantes, né!? Que te levam a tantas reflexões, uma série de qualidade, uma série da qual eu me orgulho muito, acho que como saiu nesse momento, inevitavelmente, talvez tenha causado ainda mais reverberação em quem assistiu a segunda temporada nesse momento do que o que foi na primeira, acho que a reverberação da série foi ainda maior na segunda temporada, talvez por ter sido lançado nesse momento, eu não sei, talvez eu não tenha o distanciamento necessário para poder avaliar melhor, é uma sensação que eu tenho agora, mas acredito que sim.

Como foi o retorno e qual o seu carinho por essa série e pela Thereza, sua personagem?
Mel Lisboa –
E o retorno foi maravilhoso, a gente quando faz qualquer coisa, uma série, uma peça, a gente não sabe como vai ser recebido, né!? A primeira temporada a gente não sabia se as pessoas iam gostar, na segunda temporada a gente não sabia se as pessoas iriam continuar gostando, sempre um mistério; e eu fiquei muito feliz porque foi muito bem recebida a segunda temporada, muito, tanto quanto a primeira se não mais, eu acho que reiterou assim o sucesso da primeira temporada, confirmou o sucesso da primeira temporada, então foi muito foi muito bacana, a gente ficou muito contente com o resultado da Série. E eu tenho um carinho enorme pela série, pela Thereza. Thereza é aquela personagem absolutamente deliciosa, cativante, eu costumo dizer que é aquela personagem que a gente queria ser, sabe!? Aquela personagem que é tão bacana, a gente fala ‘poxa, eu queria ser a Teresa’, então eu tenho um prazer enorme em interpretar a Thereza, realmente quando eu coloco aquele figurino deslumbrante da Verônica Julian, aí vem o Damian Bricio e faz a caracterização, coloca aquela sombrinha azul, aquele cabelo loiro, eu ‘me enfio em um salto’ que eu não uso há muito tempo, nossa já vem uma ‘outra coisa’ em mim, eu fico muito contente de poder falar esse texto, de poder interpretar essa personagem tão maravilhosa que é a Teresa, então eu fico muito contente.

Mel Lisboa em Presença de Anita, que a lançou em 2001

OF – Foi anunciada sua volta à Globo? O que acha deste novo momento e como recebeu essa notícia? O que poderia adiantar da personagem e possíveis gravações?
Mel Lisboa –
Então, essa história da Globo voltou agora na mídia, não sei, não entendi muito bem o porquê, porque na verdade eu já estava escalada, a Malhação ia estrear, lançar em maio desse ano e foi adiada por conta da pandemia, a gente ainda não tem a data confirmada para quando vai voltar, mas a princípio a informação que a gente tem é que vai voltar e que vai voltar com o mesmo elenco que já estava escalado. Então, eu estou esperando, espero que volte mesmo e quero muito fazer porque é uma personagem muito bacana também, uma história muito legal, eu faço a ‘Rosane’ que é a mãe da Lule, que é a protagonista, então é um lugar também muito interessante, né!? Depois de tantos anos fora da Globo de voltar fazendo a mãe da protagonista, que simboliza bastante também a minha maturidade mesmo, a minha idade, tudo. É uma personagem com quem é muito possível se identificar com ela, uma mãe muito verossímil, ela tenta ser a melhor mãe que ela pode ser, mas isso não faz com que ela não erre, que ela não se atrapalhe às vezes e ela passa por uma situação traumática logo no início, no primeiro capítulo, e aí é tudo decorrência disso, de como que ela vai lidar a partir desse fato, como que ela vai seguir, como que ela vai tocar a vida dela com os filhos; e eu me coloco muito no lugar dela, empaticamente mesmo, quando eu estava me preparando eu ficava me colocando no lugar dela, eu ficava falando ‘caramba, e se isso acontecesse isso comigo?’, ‘e se eu fosse mesmo essa mulher?’ ‘como que eu reagiria?’ E eu ficava me colocando no lugar dela o tempo inteiro, eu acho que quem assistir a Malhação vai fazer o mesmo, tenho essa impressão. É isso, eu não sei de datas, existe uma previsão, mas ainda não foi confirmado, então, na verdade, nem adianta eu falar nada porque ainda não foi confirmada, eu sei que a Globo voltou a gravar agora as outras novelas que já estavam no ar, aí parece que depois dessas vão voltar as novelas que já tinham começado a gravar, mas que ainda não tinham entrado no ar e por último as que ainda não tinham começado a gravar que é o caso da Malhação, então provavelmente vai ser uma das últimas a voltar e até lá vamos ficar esperando, aguardando, eu vou ficar aguardando ansiosamente.

As atrizes Clodd Dias e Mel Lisboa na peça Luz Negra, da Cia. Pessoal do Faroeste

OF – Você é uma atriz que se reinventou e ganhou muito respeito no teatro em São Paulo. Qual o peso dos palcos na sua trajetória?
Mel Lisboa –
O teatro, basicamente, passou a ser o centro da minha da minha trajetória, da minha carreira, é a base, a estrutura, é a coluna vertebral, é onde eu posso estudar, onde eu posso me reinventar, é onde eu posso experimentar, aonde eu desenvolvo e aprendo ferramentas e repertório e que me ajudam muito, e que fizeram e estão fazendo de mim uma atriz mais preparada, com mais recursos. Para mim é fundamental, não tem como, inclusive eu estava preparada para passar esse ano sem pisar nos palcos porque eu ia fazer a Malhação, eu falei ‘não vou fazer junto porque se não vou enlouquecer’, e aí com a quarentena como eu não fui gravar mais a impossibilidade de pisar num palco também me dá muita agonia, né!? De não saber quando que eu vou conseguir, finalmente, pisar num palco de novo, mas o que é certo é que para sempre o teatro vai nortear a minha carreira, a minha trajetória.

Mel Lisboa e Rita Lee: atriz está cotada para fazer filme sobre cantora

OF – Você está muito cotada pra viver Rita Lee no filme baseado na premiada biografia escrita pela cantora. Você a interpretou no musical e na série Elis. O que acharia de interpretá-la nesta cinebiografia?
Mel Lisboa –
Olha, eu acharia extraordinário, um sonho mesmo poder, porque assim o teatro ele tem essa efemeridade, né!? O teatro é como a vida, o teatro nasce, se desenvolve e morre todos os dias, ele tem essa característica orgânica, isso é lindo, o teatro vira pó. Mas a Rita Lee, especificamente, foi  um trabalho muito marcante para mim, acho que foi o trabalho mais desafiador que eu fiz um trabalho pelo qual tenho um carinho imenso, eu tenho uma admiração, um respeito pela Rita Lee gigantes e seria muito bonito se fosse possível de alguma forma eternizar esse trabalho por meio do cinema. Porque o cinema, pensando diametralmente, é o oposto ao teatro, porque o cinema é a fotografia de um instante que fica eternizado, então seria uma oportunidade muito linda de eternizar um trabalho que significou tanto para mim; além de claro, de novo ter esse privilégio de interpretar essa mulher extraordinária, única, espetacular, que é a Rita Lee, então eu adoraria, se depender de mim começo amanhã os trabalhos.

Mel Lisboa volta à Globo em Malhação: 'Papel desafiador'


Rita Lee aparece de surpresa em live e canta um de seus hits







Instagram

Instagram

OFuxico