Imprimir

Notícias

14/07/2020 | 18h22m - Publicado por: Caroline Huertas | Foto: Reprodução/Instagram

Nizo Neto relembra morte do filho por tomar chá de ayahuasca

Humorista ainda sofre com a perda do rapaz

Nizo Neto relembra morte do filho por tomar chá de ayahuasca - Reprodução/Instagram

Nizo Neto ainda sofre bastante com a morte precoce de seu filho, Rian Brito, que faleceu há quatro anos, após ter ingerido o chá de ayahuasca, que tem efeitos alucinógenos, e sofrido complicações psicológicas por isso.  

No programa Superpop, da última segunda-feira (13), o humorista relembrou a perda e contou que ainda está se recuperando do momento doloroso em sua vida. 

Carnaval 2020: Nizo Neto se emociona em homenagem ao pai

"É a vida na contramão. A gente não está preparado, não era para ser assim. Recupera, mas a gente acha que não consegue", disse ele. 

Nizo deu mais detalhes sobre o ocorrido e criticou a prática, que muitas vezes é feita sem regulamentação e sem controle. 

"Ele realmente teve um surto psicótico. Depois da terceira ou quarta dose, ele pirou, a grosso modo. Foi diagnosticado por quatro psiquiatras sérios e eles foram unânimes: surto por causa da ayahuasca. Eu não critico aqui a religião em si, porque não é uma questão de religião que eu estou falando. É sobre uma substância que é administrada, muitas vezes, de forma irregular. Que é liberada, que é legal, que é administrada muitas vezes para crianças na mamadeira e não acontece nada, mas tem gente...", falou.

Escolinha do Professor Raimundo completa 30 anos

Durante a entrevista, o filho de Chico Anysio também contou que, depois da morte de seu filho, muita gente começou a relatar que o mesmo aconteceu com pessoas que conheciam. 

"Quando isso estourou, começaram os relatos: 'Ah, meu irmão começou a tomar e enlouqueceu'... Vários relatos de pessoas que tiveram surtos e não voltaram", destacou. 

 

Morte

Rian Brito foi encontrado morto no dia 4 de março de 2016. Ele estava na Praia do Valão, em Quissamã, no Rio de Janeiro, e o corpo foi achado por pescadores no local. 

Ele estava desaparecido desde fevereiro daquele mesmo ano e a cobertura jornalística da investigação comoveu o país e, principalmente, a família. 

A causa da morte declarada foi afogamento. Antes, o rapaz tinha ingerido o chá de ayahuasca, que é feito com uma erva medicinal e usado em rituais religiosos, mas que pode causar surtos psicológicos e alucinações. 





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico