Imprimir

Notícias

07/02/2018 | 12h03m - Publicado por: Gabriela Margato | Foto: Grosby Group

Quentin Tarantino defende colega de acusação de estupro

Roman Polanski teria abusado de uma jovem de 13 anos

Quentin Tarantino defende colega de acusação de estupro - Grosby Group
  • Amei0
  • Curti0
  • Feliz0
  • Triste0
  • Nervoso0
  • Surpreso0

Depois da polêmica envolvendo uma entrevista de Uma Thurman, que afirmou que foi forçada por Quentin Tarantino a gravar uma cena arriscada para o filme Kill Bill, o diretor acabou se envolvendo em outro assunto delicado.

Tudo isso porque, durante uma outra entrevista sobre os 15 anos o longa, Tarantino comentou sobre a acusação de que Roman Polanski teria estuprado Samantha Geimer, em 1978, quando ela tinha apenas 13 anos.

“Ele não estuprou a menina de 13 anos. Foi sexo com uma menor. Isso não é estupro. Para mim, quando você usa a palavra ‘estupro’, você está falando sobre violência. Isso, sim, é um dos maiores crimes do mundo”, declarou.

Polanski foi acusado e considerado culpado pelo crime e, por esse motivo, não pode voltar aos Estados Unidos. Na época, o cineasta ofereceu álcool e drogas à menina, durante uma festa na casa de Jack Nicholson.

“Ele foi acusado de fazer sexo com uma menor de idade. Ela queria fazer sexo com ele. Ela namorou o cara. Além do mais, estamos falando da moral norte-americana, não da moral na Europa”, disse.

De acordo com o jornal New York Daily News, Samantha, hoje com 54 anos, se mostrou surpresa com a declaração de Quentin Tarantino.

"Ele está errado e espero que saiba disso. Torço para que ele não se torne um escroto e continue falando desse jeito. Não estou chateada, mas eu provavelmente me sentiria melhor se ele percebesse que está errado. Ninguém precisa estar chateado por mim. Estou bem”, afirmou.





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico