Imprimir

Notícias

17/04/2020 | 15h05m - Publicado por: Flávia Almeida | Foto: Reprodução/Instagram

Sem conversa: shows só devem voltar a acontecer em 2021

Apresentação em maio, de Ivete Sangalo, em Jericoacoara, passou para setembro do ano que vem

Sem conversa: shows só devem voltar a acontecer em 2021 - Reprodução/Instagram

Zeke Emanuel, vice reitor e diretor do Healthcare Transformation Institute da Universidade da Pensilvânia, concedeu uma entrevista ao New York Times sobre a epidemia do novo coronavírus e não se mostrou positivo quanto à volta de eventos com aglomerações, como shows e festivais. Ele acredita que eventos do gênero não devem acontecer antes de setembro ou outubro de 2021.

"Precisamos fazer em etapas. Primeiro, em espaços que permita gente de baixo risco de morte voltar. Lugares que você consegue ficar a 2 metros de distância de outra pessoa devem voltar antes. Encontros maiores - conferências, shows, eventos esportivos - que todo mundo quer remarcar para outubro de 2020... Não faço ideia como eles pensam que essa é uma possibilidade plausível. Esses serão os últimos a retornar", afirmou.

De sertanejo a axé: O sucesso das lives brasileiras

Pelo sim, pelo não, a produção do San Island Weekend, que aconteceria no próximo mês de maio em Jericoacoara, a 370 km de Fortaleza, anunciou na quinta-feira (16) que a festa acontecerá de 21 a 23 de maio de 2021, com Ivete Sangalo, Alinne Rosa e DJs da França, Espanha e Israel.

"A logística de realocações nas 65 pousadas parceiras inviabilizaria a realização do evento ainda este ano. Em função também do cenário de incertezas, achamos mais prudente adiarmos para o próximo ano. Parece longe, mas vai passar rápido e nos dará mais tempo de preparação, garantindo uma edição ainda mais inesquecível", reforça José Augusto Vasconcelos, sócio do Grupo San Sebastian, idealizador e realizador do evento.

Ivete Sangalo faz 'show' enquanto faxina: 'Varrendo as poeiras!'

Mudanças em Montreux

No exterior, agendas também já foram alteradas. O tradicional Festival de Jazz de Montreux, que acontece a cada verão na Suíça desde 1967, foi cancelado. O anúncio foi feito na quinta (16), através de um comunicado.

"A organização do Festival de Jazz de Montreux tem o profundo pesar de anunciar hoje que a edição prevista de 3 a 18 de julho de 2020 não vai acontecer. A programação prevista para este verão será em parte adiada para a próxima edição, que acontecerá de 2 a 17 de julho de 2021."  

Lenny Kravitz abre o jogo sobre relação com a ex e Jason Momoa

Entre os artistas que se apresentariam no festival estavam os americanos Lionel Richie e Lenny Kravitz.

Também na quinta-feira (16) a Suíça que suspenderá as medidas de confinamento de forma lenta e gradual a partir de 27 de abril, em consequência da desaceleração da pandemia da Covid-19, que provocou mais de 1.000 mortes em seu território.

"Nestas circunstâncias é impossível hoje prever um evento da magnitude do Festival de Jazz de Montreux em julho", explicaram os organizadores.

Vale destacar que o Festival Coachella, Glastonburry, Tomorrowland e Lollapalooza também foram adiados ou cancelados em virtude da pandemia do novo coronavírus. 

Lenny Kravitz mostra sua fazenda, no Rio de Janeiro. Vem ver!

Coronavírus: como a doença afetou o mundo dos famosos

 

  • Ao redor do mundo a cada dia aumenta o número de casos de celebridades afetadas pelo Covid-19
  • Preta Gil contraiu o vírus depois de cantar no casamento de Marcela Minelli, irmã de Gabriela Pugliesi.
  • Fernanda Paes Leme a própria Gabriela e sua irmã Ornella Minelli. também foram infectadas no casamento.
  • Programações de TV, produção e estreias no cinema e várias turnês e grandes eventos já foram cancelados.
  • Famosos se mobilizam ao redor do mundo fazendo doações para combater a pandemia.

     

Nota do editor: essas informações eram precisas no momento desta publicação. Continuamos a atualizar nossa cobertura de coronavírus à medida que aprendemos mais. Navegue com frequência em nosso site para obter as informações mais atualizadas.

Estrelas de Hollywood, atletas e membros da realeza representam um pequeno número dos mais de 1.000.000 de casos de coronavírus registrados em todo o mundo até o momento. Dada a rapidez com que o novo vírus se espalhou, são muitos os famosos que se declararam infectados, incluindo Tom Hanks, que foi a primeira celebridade a divulgar seus resultados positivos nos testes, o Príncipe Charles, além dos brasileiros Di Ferreiro, Preta Gil, Dinho Ouro Preto Leandro Lehart, Felipe Simas, entre outros. O primeiro ministro britânico Boris Johnson foi o primeiro líder mundial a contrair o vírus. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, “o coronavírus se espalha principalmente de pessoa para pessoa ”, com sintomas que variam de febre, tosse e falta de ar.

O nome coronavírus tem sido bastante pronunciado ultimamente. Ele foi “batizado” dessa maneira porque tem sua estrutura em formato de coroa. O vírus causador sofre mutações espontâneas e aleatórias, por isso ainda não há uma medicação certeira para combater a doença.

Uma das prevenções mais eficazes contra o COVID-19 é lavar bem as mãos, incluindo dorso, embaixo das unhas e antebraço, usar álcool gel nos mesmos lugares, imediatamente após a lavagem. O álcool gel forma uma camada protetora e o vírus não resiste a ele, portanto, não consegue se fixar na superfície do corpo. Assim, evita-se de levar o vírus à mucosas. 

O coronavírus teve uma disseminação bastante rápida em várias partes do mundo, onde além de muita gente infectada, ocorreram várias mortes. A pandemia (enfermidade epidêmica amplamente disseminada) agiu rapidamente no mundo dos famosos também, infectando nomes bem conhecidos por todos nós.





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico