Imprimir

Notícias

09/11/2020 | 17h45m - Publicado por: Michele Marreira | Foto: Reprodução/Instagram

Tainá Müller faz textão bonito para Maria Ribeiro: ‘Arrasa'

A protagonista da série Desalma completa 45 anos

Tainá Müller faz textão bonito para Maria Ribeiro: ‘Arrasa' - Reprodução/Instagram

A segunda (9) é de festa para a atriz Maria Ribeiro, que celebra mais uma primavera! Lá se vão 45 anos de história. Anônimos e famosos como a atriz Tainá Müller fizeram questão de homenagear a aniversariante do dia.

“Achei essa foto nossa com título de matéria O lado feminino do Tropa, diretamente de um mundo onde o protagonismo das mulheres no cinema era escasso”, iniciou a artista.

Tainá descreveu a admiração que sente pela a amiga, nesta data tão especial.

“Hoje é dia da Maria e ela tá arrasando como uma das protagonistas da série Desalma. Ela também arrasa nos papos profundos deitada no asfalto de um sambódromo e nas crônicas com pegada indie carioca. Ela também é mãe de guri (2) e eu não sei como faz pro tempo passar mais lento pra essa cútis do que pro resto da humanidade. Voa alto, Maria Ribeiro”, disse ela.

Maria retribuiu a bonita mensagem que recebeu no Instagram.

“Ahhhh, Tai!!!! Que bebês!!! Nossa Tropa ta cada dia mais feminina, não é? Graças a Deus. Te amo, parceira. Mangueira e chão de confetes pra gente”, falou ela.

Feliz aniversário, Maria!

Fernanda Young

Maria Ribeiro entra em cena no espetáculo Pós-F, projeto calcado nas experiências de vida, nas ideias sobre o que significa ser homem e mulher na sociedade e no legado deixado pela saudosa autora Fernanda Young.

Além da peça que é dirigida por Mika Lins, a atriz Maria Ribeiro comanda bate-papos depois de cada sessão com pessoas que conviveram com a saudosa artista.

O Teatro Porto Seguro retoma suas atividades com a estreia digital deste belo projeto,  que cumpre uma temporada on-line entre 12 de setembro e 4 de outubro, sendo transmitida via streaming direto do palco do teatro. Sessões aos sábados e domingos, às 20h.

O solo é inspirado em Pós-F, para além do masculino e do feminino, a primeira obra de não-ficção de Young, que venceu o Prêmio Jabuti 2019, mesmo depois da precoce morte da autora em agosto daquele ano. O livro reúne textos autobiográficos e ilustrações da própria Fernanda que fomentam o debate sobre o que significa ser um homem e uma mulher nos dias de hoje.

Este espetáculo-relato, de acordo com a diretora Mika Lins, procurou ao máximo levar ao palco as experiências pessoais da autora.

“Buscamos transformar o que é expresso na teoria em ação, na experiência pessoal dela. É quase como se a Fernanda estivesse em cena exposta como pessoa e contasse suas memórias e vivências. Para além das ideias avançadas propostas no livro pela Fernanda, a peça é muito baseada na visão pessoal que eu e a Maria Ribeiro tivemos depois que ela passou pelas nossas vidas. E eliminamos qualquer didatismo, pois é um espetáculo sobre uma artista, sobre uma criadora, sobre uma ficcionista”, detalhou ela.

Maria Ribeiro completou:

“Assim como Leila Diniz, Fernanda era daquelas mulheres que, apenas cumprindo sua psique, nos libertava de tudo o que não era natural, e sim, convenção”, definiu a artista.

Filha de Fernanda Young a homenageia: ‘Sinto minha mãe’
Maria Ribeiro e Monica Iozzi fazem live sobre Fernanda Young





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico