Imprimir

Notícias

12/08/2020 | 19h00m - Publicado por: Flavia Almeida | Foto: Reprodução

Trini Lopez, cantor de La Bamba, é mais uma vítima da Covid-19

Artista tinha 83 anos

Trini Lopez, cantor de La Bamba, é mais uma vítima da Covid-19 - Reprodução

Complicações em virtude do novo coronavírus tiraram a vida de Trini Lopez. O cantor e guitarrista pop de 83 anos morreu na terça-feira (11), em Palm Springs, na Califórnia.

Padre Antonio Maria contraiu a covid-19

Natural do Texas, filho de mexicanos, Trinidad Lopez III começou a tocar em bandas aos 15 anos e em 1958, seu grupo The Big Beats assinou com a Columbia Records. Em carreira solo, assinou com a King Records, pela qual lançou uma série de singles malsucedidos antes de deixar o selo em 1962.

Conseguiu uma residência na boate PJ's de Los Angeles, onde Frank Sinatra viu seu show e o contratou na Reprise Records em 1963. Seu álbum de estrela, Trini Lopez at PJ's, incluiu um cover de If I Had a Hammer, sucesso global, liderando as paradas em vários países e alcançando o número 3 nos Estados Unidos. Outro álbum ao vivo se seguiu, junto com mais sucessos nos anos seguintes, como La Bamba (lançada, como canção de rock, anos antes por Ritchie Valens), Lemon Tree, I'm Comin 'Home, Cindy, Sally Was a Good Old Girl, Michael, Gonna Get Along Without ya' Now e The Bramble Bush.

Cinara Leal vence a Covid-19: ‘Tive muito medo’

Guitarrista de sucesso

Exímio guitarrista, Trini era tão popular com o instrumento que a fábrica de instrumentos Gibson a pedir a ele em 1964 para projetar uma guitarra. Ele criou duas: a Trini Lopez Standard e a Lopez Deluxe, que foram produzidas até 1971, e que depois se tornaram muito procuradas entre os colecionadores.

No Brasil, durante a jovem guarda, Trini Lopez teve um cover oficial - o cantor baiano José Gagliardi Jr., que adotou o nome de Prini Lorez.

Trini Lopez já era uma estrela da música quando foi escalado como Pedro Jimenez - também conhecido como Número 10 - em Os Doze Condenados, filme sobre a Segunda Guerra Mundial, de 1967, dirigido por Robert Aldrich. O músico e ator é tema de um documentário intitulado My Name is Lopez, ainda a ser lançado.

Por conta da covid-19, Sílvio Santos não apresentará o Teleton





Notícias Relacionadas



Instagram

Instagram

OFuxico