Notícias às 11:48

Acidente grave, bronze: conheça a história da skatista Sky Brown

Enquanto por aqui a nossa Rayssa Leal provoca um efeito surpreendente de busca pela prática do skate por aqui, acabamos de adotar mais uma paixão vinda do esporte: Sky Brown. Nascida em 2008, ela é a mais nova skatista do mundo, com diferença de seis meses para a Fadinha, que é do mesmo ano.

As duas novinhas competem em uma modalidade diferente e, além da pouca idade, ambas chamam a atenção pela facilidade que têm em cima do skate.

Em junho de 2020, Sky, com então 11 anos sofreu um acidente assustador ao cair de altura de 4,20 metros enquanto treinava suas manobras. E nesta quarta-feira, 04 de agosto, com 13 anos completados no mês passado, a skatista impressionou quem acompanhou a competição do skate park, no Ariake Urban Sports.

Filha da japonesa Maiko, Sky nascida no Japão, mais precisamente em Miyazaki, no sul do país, (mas na reta final de preparação, foi morar na Califórnia, nos Estados Unidos), Sky optou por representar a Grã-Bretanha, de onde é seu pai, Stuart. A atleta fez uma apresentação perfeita na final e garantiu a medalha de bronze com a terceira melhor nota (56.47). O pódio foi completado pela japonesa Sakura (60.09), com o ouro, a também japonesa Kokona, com a prata (59.04).

FADINHA CHOROU

As duas novinhas que fizeram história nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Rayssa Leal e Sky Brown, são parceira das pistas. E a Fadinha se emocionou nas redes sociais ao comemorar o bronze da amiga no skate park. Recentemente elas fizeram uma live juntas.

Ícone mundial, a imagem da jovem skatista também surfa, mas foi no skate que encontrou sua verdadeira paixão. Mesmo com tão pouca idade, ela possui contratos milionários de patrocínio e tem 1,1 milhão de seguidores no Instagram, onde mostra sua vida, faz dancinhas, brinca com o irmão mais novo Ocean e apresenta muitas manobras ousadas no skate.

Para seguir praticando o esporte, Sky sempre soube que precisava priorizar os estudos, o que sua família sempre deixou claro. Em 2019, ela esteve no Brasil para competir no Mundial de Skate Park (ficou na terceira posição) e fazia seus estudos e lições à distância.

Aos 10 anos, Sky venceu o programa de TV americano “Dancing with the Stars: Juniors” com esta idade.

IDADE EM DEBATE

Assim como Rayssa Leal, que ficou conhecida como Fadinha e conquistou a medalha de prata para o Brasil, e Sky Brown, Gui Khury, de 12 anos, que acertou a manobra 1080º durante o X-Games, algo que dificilmente é alcançado por atletas mais velhos, tem chamado bastante a atenção. Especialistas destacam que as crianças deixam de lado as limitações e medos. Cheias de energias, querem apenas se divertir.

Em junho de 2020, a anglo-japonesa, então com 12 anos, assustou quando praticava no halfpipe do lendário Tony Hawk, nos Estados Unidos, e caiu de uma altura de pouco mais de 4 metros. Ela foi  levada às pressas para o hospital de helicóptero com várias fraturas no crânio, lacerações nos pulmões e no estômago, braço esquerdo e dedos da mão direita quebrados. Por ser menor de idade, os treinadores foram responsabilizados pelo acontecimento.

Isso fez com que a World Skate — órgão regulador do skate — e o Comitê Olímpico Internacional (COI) discutam estabelecer uma idade mínima para eleger os competidores. Além da preocupação física, uma das principais alegações tem a ver com a pressão psicológica que esses adolescentes sofrem durante as competições.

Ao menos oficialmente, o skate não está garantido nos Jogos de Paris-2024 e de Los Angeles 2028, mas tudo indica que o COI (Comitê Olímpico Internacional) irá mantê-lo por se tratar de um público mais jovem e urbano, o que, atrai interesse também de novos torcedores, patrocinadores e mídia.

Veja +: Globoplay fará documentário sobre Ítalo Ferreira e Rayssa Leal