Notícias às 07:00

Ailton Graça relembra sucesso de Xana Summer em Império: ‘Transborda carinho e afeto’

aílton graça com flor na mão

Divulgação/TV Globo/Paulo Belote

A reprise de “Império”, no horário nobre da Globo, tem promovido um novo olhar do público sobre um dos principais papéis de Ailton Graça na TV. A personagem Xana Summer, croosdresser, que usa roupas do sexo oposto e não tem relação com orientação sexual, tem cativado por sua representatividade, empatia, alegria e profissionalismo. Em entrevista exclusiva ao OFuxico, Graça disse que esse foi e continua sendo o seu maior desafio na carreira: “Xana é um acontecimento, ela transborda carinho, afeto.”

No bate-papo, o também comentarista e apresentador do Carnaval da Globo relembrou a infância, incentivos da família e professores para que seguisse carreira artística. Para o ator, a arte transformou a sua vida, e é capaz de combater as desigualdades sociais, em especial as que afetam a população negra, com destaque para o especial Falas Negras produzido por Lázaro Ramos, que dá vozes à comunidade negra ao retratar o legado de grandes nomes da história mundial. Em breve, o ator está no ar com a série Sob Pressão, que narra os dramas de um hospital público.

“Xana é uma grande homenagem às minhas irmãs e irmãos”, afirmou

Confira!

Família e o incentivo à arte
O gosto pela arte começou ainda na infância. Incentivado pelos pais, Ailton ganhou um livro de mágicas. Aprendendo a ler, foi desenvolvendo suas apresentações para a família e não parou mais: “Desde muito cedo fazia as coisas em casa para chamar a atenção dos meus pais. Usava o varal de casa como uma grande cortina”.  A mãe do ator gostava de cantar e era muito fã de radionovelas, o que despertou ainda mais o desejo de seguir carreira. Graça foi vendedor de calçados e passou num concurso do Hospital do Servidor Público: “Lá tive mais um contato com o teatro, após a escola e grupo de teatro da igreja do Jardim Miriam [Zona Sul de São Paulo]”.

Aprender sempre
O ator frequentou diversas oficinas de cultura oferecidas pelo governo nas bibliotecas da cidade, até que passou a ter contato com os professores da USP: “Pedia para os mestres me deixarem assistir algumas aulas, eu arrumava as salas, algumas coisas assim, para poder aprender com eles”.  O maior medo de Ailton? Não seguir carreira artística: “Na minha carteira de trabalho tinha que constar que eu sou artista!”.

Arte como transformação social
Arte-educador também foi uma das profissões de Graça, que acredita no poder da arte no combate as desigualdades sociais do Brasil, em especial aquelas que afetam a população negra: “Todos os caminhos são válidos para que a gente cave oportunidades como cidadão negro, todos esses espaços precisam ser ocupados por homem, mulher negra. Um dos grandes males da humanidade é não olhar a cultura como a cura desses males. Hoje temos muitas referências em prol do movimento negro, na área médica, administrativa, a gente tem furado esses bloqueios”. 

Grande destaque do Carnaval!
Presidente da escola de samba Lava Pés Pirata Negro (SP), o artista também faz parte do time de comentaristas e apresentadores da Globo na cobertura do Carnaval.  Graça tem como missão seguir com oficinas e cursos voltados à pesquisa e a interseção dos jovens na arte. E afirma: “Carnaval, assim como teatro e cinema, é uma grande paixão, vivi parte da minha vida em barracões, fiz parte de escolas de samba como Vai-Vai, Tom Maior, Gaviões da Fiel, Mangueira, Viradouro, Portela… é cultura atrelada ao cinema, é a história da periferia, do povo preto”.

Legado de Falas Negras
Graça celebra a oportunidade de ter participado do especial da Globo sob a direção de Lázaro Ramos, que contou parte da história do povo negro em que deu vida a Milton Santos, brasileiro reconhecido como um dos maiores geógrafos do mundo, além de jornalista, advogado e professor: “É necessário produzir mais Falas Negras, promover mais debates para que as pessoas conheçam a história e do legado dos meus ancestrais, primeiro e originário da Terra. Estou na expectativa de novos personagens e continuar dizendo para as pessoas: ‘nos deixem respirar para que a gente seja ouvido’”.    

Xana Summer, sucesso em Império
“Xana é junção de muitas coisas, é uma grande homenagem a grandes irmãs e irmãos que eu conheci ao longo da vida. Xana é um acontecimento. Minha maior preocupação era que a Xana fosse afeto, carinho. Xana é acolhedora, alguém que transborda zelo pelo outro, e ela faz isso não para ser aceito, mas porque a alma dela é isso. O sucesso tem sido ainda maior com as redes sociais e por conta do isolamento, as pessoas estão vendo a Xana com outro olhar”, destaca Graça sobre a personalidade da cabeleireira.

Figurino de Xana Summer
“A Xana Summer [artista que cantava nas boates do RJ e fez sucesso por décadas] também me ajudou na composição. Ela fez algumas roupas da Alcione. O pessoal da maquiagem da Globo, que desenvolvia personagem em boates, me ajudou muito em tudo isso. Eu não queria usar sutiã postiços,  peruca, nada disso… Eu queria que ela fosse uma mistura de Grace Jones, algo que a gente nunca tinha visto. Que ela estivesse satisfeita com o corpo dela, tem essa questão dela ser gordinha, careca, tem essa questão das pessoas aceitarem ela como ela é, uma excelente profissional, amiga, companheira. Eu fazia questão que escondessem a minha sobrancelha, palpitei muito nessas questões da maquiagem, foi surgindo…E no jogo com os outros colegas ela foi ganhando espaço”.

Quem é Xana Summer?
“Sempre deixei para as pessoas a chamassem… Algumas crianças a chamavam de Tia Xana, outros Tio Xana. Sem rótulos. Os outros é que definiam a sexualidade. Eu só queria fazer uma pessoa extremamente feliz. Foi e continua sendo um dos maiores desafios. Ela me traz muito prazer, felicidade e representatividade. Tenho recebido muitas mensagens de pessoas que querem ser amigas da Xana”.

Xana, Naná, Luciano e Antonio, uma grande família!
Na trama de Aguinaldo Silva produzida em 2014, Xana tem em Naná (Viviane Araújo) sua grande amiga. No final da novela, Naná se casa com Antonio no intuito de adotar Luciano (Yago Machado), o que deixa Xana com ciúmes. Xana e Naná são os pais do menino. A manicure então tem a ideia de formar um trisal e passa a morar com Antonio, Xana e Luciano, mas Ailton analisa essa junção como uma grande família: “O tema da adoção é algo muito importante para ser discutido, e que mais famílias se formem pelo afeto e pelo amor”.