Notícias às 17:50

Ariadna fala de críticas ao corpo e cai no choro: ‘Cansa’

Reprodução/Instagram

Ariadna Arantes fez um desabafo sobre os ataques que vem recebendo nas redes sociais. A terceira eliminada de “No Limite” falou das críticas feitas à ela em relação ao corpo e, sem esconder o quanto está abalada, lamentou os comentários maldosos e ofensivos no seu perfil.

“Vim falar sobre a última foto que eu publiquei, por onde eu venho recebendo vários comentários negativos por estar mais magra naquela foto. Uma foto de três anos atrás que publiquei hoje. Eu recebi muitas críticas quanto ao meu peso atual, por ter engordado. Algumas mulheres e alguns homens dizendo ‘o golpe tá aí’. Se estou gorda, mais clara, muito bronzeada, capenga, se amputei uma perna, fiz o nariz, uma lipo, uma resignação sexual, independentemente do que qualquer pessoa faça no seu corpo, ou do que eu faça no meu corpo, isso é um problema absolutamente meu”, começou.

Ariadna, então, expôs o quanto está chateada com a situação e, sem conter as lágrimas, desabafou: “Nós não somos aço ou barras de ferro para ficar suportando tantos tipos de coisa. Vocês não sabem qual o momento que estou passando agora. Estou num momento da minha vida que estou voltando pro Brasil, sem minha gata, ainda estou aqui sem trabalho. Estou tentando me adaptar novamente a uma vida no Brasil. Completamente difícil me adaptar”, explicou.

“É muito difícil conviver com essas pessoas que ficam o tempo todo ‘O que aconteceu com sua voz? Está mais grossa’. Já cansei de explicar que estou com problema na garganta. Estou sem agudo, vou precisar de tratamento. Já cansei de falar que engordei por mil motivos, por ansiedade, pandemia, problemas… chega uma hora em que a gente cansa dessa cobrança”, completou.

A ex-BBB ainda contou que até sua participação em No Limite foi questionada e revelou alguns questionamentos preconceituosos sobre o fato de ter sido selecionada para o reality de sobrevivência. “Vi comentários falando ‘Como pode Boninho colocar isso no programa? Esse bicho, essa pessoa sedentária’, esquecendo que quem ganhou a primeira edição do No Limite foi uma mulher gorda”, declarou.

“Não é só estrutura física que a gente precisa pra viver neste mundo. A gente precisa de cérebro também. E graças a Deus na minha participação no ‘No Limite’, eu dei muitas ideias, como colocar areia pra ficar mais fofo pra gente dormir, colocar árvore em volta da cabana para evitar mais vento e chuva, catar coco, catar lenha… fui muito ativa no meu grupo. Não fiquei parada. Não fui essa gorda que vocês estão me descrevendo e me apontando, que fiquei deitada o tempo todo sem fazer nada de bunda pro alto”, continuou ela, que integrou o time Calango.

“O que é ser perfeito? Estou do jeito que tô. Estou cuidando da minha saúde, entrei para o programa sabendo que estava anêmica, com hemangioma no fígado. Nada que pudesse atrapalhar minha trajetória. Poderia ter desistido, mas insisti porque é um sonho voltar a estar aqui, ficar um pouco mais famosa, ganhar dinheiro… Não vou ser hipocrita”, finalizou.

Recentemente, Ariadna divertiu a web ao relatar os perrengues que passou durante a sua participação em No Limite e ganhou uma série de elogios nas redes sociais.

Ariadna sobre preconceito: ‘Hoje, sou forte por tudo o que passei’

Nesta semana, Ariadna Arantes, eliminada do programa “No Limite 5”, da TV Globo, conversou com Bruno de Luca, pelo Instagram do Multishow, e abordou temas polêmicos como o do preconceito às pessoas trans.

“Todos os dias sai nos jornais que mulheres trans são assassinadas, que mulheres trans não conseguem emprego, tem que se prostituir, são expulsas de casa. Eu vivi todas essas experiências. Fui expulsa de casa com 14 anos, eu sofri tentativa de assassinato dentro da minha família, fui acusada de roubo dentro da minha família sem eu ter roubado, fui estuprada duas vezes, tive que me prostituir. Isso não faz de mim uma pessoa cruel, ruim, psicopata, mas eu sei a minha história, sei o que eu vivi”, disse Ariadna.

“Quando compartilho isso com vocês, não to falando para me sentir vítima, estou contando a minha história. Se hoje sou uma pessoa forte, foi por tudo que eu passei. E se você escuta isso de mim, não vai vir me falar ‘ai Ariadna, será que é verdade mesmo?’. Pelo amor de deus. É chato ter que ficar explicando coisas que estão na mídia, na TV e na internet o tempo todo. Não vê quem não quer”, afirmou.

Bruno completou: “Muitas pessoas não entendem o que você passou, o que pessoas trans passam e falam esse tipo de coisa ‘ah podia ter estudado’”

FIQUE POR DENTRO DE NO LIMITE