Notícias às 02:00

As Baías sobre música com Ivete Sangalo: ‘Sempre foi um sonho’

Divulgação

Conforme OFuxico noticiou, o grupo As Baías, formado por Assucena Assucena, Raquel Virginia e Rafael Acerbi, lançou o single Mãe, em parceria com Ivete Sangalo.

A canção fala de amor em sua mais vigorosa profundidade. Com versos declamados, como poesia e melodia doce, o trio, junto com Ivete, fala do amor mais puro e genuíno, que é o de uma mãe e seu filho.

A canção é uma declaração às mães e ao trazer duas mulheres trans cantando, traz reflexões importantes na data. Qualquer pessoa, seja mulher cis, lésbica, trans ou o que for, pode ser mãe e é! Toda mulher que ama e que cuida de seu filho, seja qual for sua orientação sexual, é mãe. O que importa é a relação única e o amor infinito que ela nutre e nada mais.

As Baías detalharam um pouco mais do processo criativo da canção e do clipe, que estará disponível apenas no domingo (09) de Dia das Mães.

Confira!

OF: Qual a sonoridade que podemos esperar do single Mãe?

Assucena Assucena: Aquela bossa nova "classuda" temperada com sentimento e balanço.

Raquel Virginia: Uma nossa nova muito delicada.

Rafael Acerbi: Diferentemente dos nossos últimos singles mais Pops, Mãe vem numa roupagem tradicional bossa novista. Inspirados pelo disco Amoroso de João Gilberto gravamos uma canção bem singela, minimalista e sensível com arranjos de cordas e uma formação clássica para esse tipo de som: violão baixo bateria e piano.

OF: Vocês se inspiraram em histórias e sentimentos pessoais na hora de fazer a música?

Assucena Assucena: Na hora de gravar a música, eu pensei muito na verdade que ela manifestava sobre minha história com minha mãe e minhas avós. Inevitavelmente essa canção já nos leva para esse lugar de salvação e agradecimento. A voz foi impressa na gravação com esse sentimento.

Raquel Virginia: Com certeza. Enquanto eu cantava muitas mães passaram pela minha cabeça e coração.

Rafael Acerbi: Sim, essa canção nasceu como um agradecimento e homenagem a minha mãe. A música veio no sentido de agradecê-la em apoiar incondicionalmente todos os planos e mudanças que tive num período da minha vida. A gratidão por todo o suporte que me foi oferecido. Num espectro mais amplo a canção fala sobre a fragilidade e dependência em que nos filhos temos desde o momento da nossa concepção. E que em nossas mães podemos muitas vezes encontrar o conforto e Porto Seguro para seguir em frente.

OF: O que levou vocês a chamar Ivete Sangalo para gravar junto?

Assucena Assucena: A vontade enorme de cantar com Veveta! Sempre foi um sonho é uma pretensão nossa. Ivete foi e é trilha sonora de momentos muito importantes de monja vida.

Raquel Virginia: A voz impecável e essa maternidade linda que ela exerce na vida com seus filhos. A potência de carinho que ela tem com seus fãs.

Rafael Acerbi: Ivete é sempre foi uma inspiração. A Raquel tem uma história muito bonita com ela. Uma fã incondicional desde muito anos, acompanhava Ivete nos shows, hotéis… então sempre foi um plano gravar com ela.

OF: Nos teasers podemos ver bastante o mar. Tem algum motivo específico para forte presença das águas?

Assucena Assucena: O Mar e a águas são o símbolo da maternidade, da gestação da vida. Foi uma referência respeitosa a Iemanjá e seu significado para a Bahia.

Raquel Virginia: A água como nossa grande mãe é um pano de fundo do que queremos contar.

Rafael Acerbi: Sim. As águas são os elementos de conexão entre nós e a Ivete nesse clipe. Com a pandemia não pudemos ter esse encontro e elegemos o mar, ou melhor as Mães das Águas para selar essa história. Iemanjá, oxum, aparecem ali nas cores dos figurinos de Raquel e Assucena.

OF: Como foi o processo de gravação do clipe?

Assucena Assucena: Infelizmente não gravamos com a Ivete. Ela gravou na Bahia e nós no litoral de São Paulo. A maior parte do clipe foi gravada em Salvador, com famílias com histórias marcantes de lá.

Raquel Virginia: Delicado por conta da pandemia. Mas respeitamos tudo e fizemos com muito carinho.

Rafael Acerbi: Gravamos o clipe em Bertioga litoral de SP. Estava um dia chuvoso e nublado, porém esse clima acabou trazendo uma sensação nostálgica para o clipe. Ivete gravou a distância também em Salvador.

OF: Mãe faz parte de um projeto maior, como álbum ou EP?

Assucena Assucena: Mãe é um single. Uma homenagem musical para o Dia das Mães.

Raquel Virginia: É um single mesmo. Projeto especial para o Dia das Mães.

Rafael Acerbi: Não, Mãe é um single independente. Estamos trabalhando em vários projetos simultaneamente, mas este é um single.

OF: Qual a mensagem que vocês desejam mandar às mães de todo o Brasil neste período de pandemia?

Assucena Assucena: Gratidão pela vida e pela proteção espiritual com que as orações de vocês têm guardado as filhas e filhos desse Brasil tão machucado. Gratidão pela esperança que a existência de vocês emana. Quero ver reconhecimento e felicidade estampada no rosto de nossas guerreiras. Feliz dia, mamães!

Raquel Virginia: Que o amor está muito mais próximo. Só precisamos abrir nossos corações e delicadezas

Rafael Acerbi: Gostaria de e dedicar essa canção a todas as Mães que se foram ou perderam familiares nesse momento tão doloroso que vivemos. Fico imaginando as mais de 400 mil famílias que foram ceifadas por essa pandemia e como tem sido difícil sobreviver nesse país. Que essa música possa trazer acalanto a quem escutá-la. Trazendo lembranças e boas memórias.