Notícias às 15:40

Astrid Fontenelle sobre assumir os cabelos grisalhos: “Sempre quis”

Reprodução/Instagram

Astrid Fontenelle, chegou aos 60 anos de idade, completados no dia 1º de abril, com tranquilidade.  

"Eu estaria mentindo se dissesse que não. Afeta, primeiro, fisicamente. Os joelhos não acompanham as minhas vontades! Mas mentalmente estou muito confortável com os 60. Me imaginava chegando aqui mais velha", disse a jornalista em conversa exclusiva ao OFuxico.  

A jornalista e âncora do programa Saia Justa, do Canal a Cabo GNT, também falou como vive este momento difícil da pandemia da Covid-19, ao lado do filho, Gabriel, de 12 anos, entre outros assuntos. 
 

Confira:

OFuxico: Você comemorou 60 anos recentemente. A idade é algo que te afeta?
Astrid Fontenelle:
Eu estaria mentindo se dissesse que não. Afeta, primeiro, fisicamente. Os joelhos não acompanham as minhas vontades! Mas mentalmente estou muito confortável com os 60. Me imaginava chegando aqui mais velha. 

OFuxico: Você tem vontade de mudar alguma coisa em você?
Astrid Fontenelle:
Eu tenho vontade de mudar tanta coisa no mundo!!! E eu faço parte desse pacote.Quero deixar de procrastinar e estudar umas coisas diferentes. Cheguei aos 60 querendo mais e mais saber. 

OFuxico:  Você imaginava que deixar seus cabelos grisalhos teria tanta repercussão? Você gostou do resultado?

Eu sempre quis ter esse cabelo. Tenho uma pastinha no Pinterest chamada “quando eu envelhecer” com várias senhorinhas prateadas e super modernas.  Mas ficava protelando. Daí veio a pandemia e minha última prioridade foi pintar o cabelo. A coisa foi acontecendo naturalmente. E super bem aceita. Inclusive comercialmente. Cheguei a fazer publicidade de shampoo para cabelo grisalho. E antes tinha negado publi pra tingir em casa. Como eu sabia, não seria um dinheiro que mudaria a minha vida. Escolhi ter o branco como atitude política.  E passado um ano já tem até nome; faço parte da geração prateada!!! E fui a precursora disso na TV, o que não é nada fácil porque quebra o padrão. 

OFuxico: Como você prepara seu filho Gabriel para questões sociais?
Astrid Fontenelle
: Conversando sobre tudo e atuando. Gabriel sabe e participa das decisões das doações que faço. Vai comigo, por exemplo , nas entregas que faço como madrinha de um grupo, o Decor Social, que reforma abrigos de crianças. Estamos sempre indo pessoalmente dar comida, às vezes frutas, na região do centro da cidade. Assistimos juntos noticiários, comento com ele o que está nos jornais. Ele é assinante de um jornal chamado 'Joca' , como as notícias do estão mais em evidência numa linguagem para jovens e crianças. E isso tudo faz tempo viu?! 

OFuxico: Você preza momentos com o Gabriel? Quais?
Astrid Fontenelle:
Além desses, meu maior investimento nele é feito nas viagens. Quero que ele seja um cidadão do mundo. E ele é um excelente companheiro de viagem. Incansável e curioso. 

Astrid Fontenelle e Gabriel são verdadeiros parceiros de vida!

OFuxico: Com a curva ascendente da Pandemia, medidas de isolamento social ganham maior rigidez. Como você está mantendo o isolamento social?
Astrid Fontenelle: 
Desde o início em casa, só eu e ele.  No final do ano voltei com a empregada doméstica e fui pra Bahia reencontrar meu marido [Fausto Rocha]. Ficamos nove meses sem nos ver. Falávamos todos os dias, mas abraçar, estar juntos….. só no final do ano. Daí quando pensávamos que melhoraria, piorou. Voltamos pro isolamento. Tenho a rotina de escola do Gabriel que nos ajuda a manter uma organização e encaramos juntos as coisas da casa. No ano passado foi mais puxado, mas eu sabia que estava valendo a pena. Esse ano, a cada dia que piora, vai dando um desespero. Enquanto a moçada não entender que não dá para aglomerar em festas e os governantes não entenderem que tem que fazer sua parte com o auxílio emergencial decente, mais transporte público, apoio a pequenos e médios empresários, e comprar todas as vacinas possíveis, não vamos sair dessa pandemia.

OFuxico: Como você tem conciliado o seu trabalho neste momento difícil que estamos vivendo?
Astrid Fontenelle:
Sou uma das pessoas privilegiadas do Brasil que conseguiu manter o trabalho no mesmo ritmo. E ainda acrescentei o YouTube, estreei meu canal em março. Já no programa no GNT, tive que parar o Chegadas e Partidas (porque gravava no aeroporto) . Já o Saia Justa seguiu. Diferente, mas estamos no ar. Desde o início conseguimos ir tocando o Saia Justa comigo no estúdio e as meninas em casa. No final do ano nos reencontramos para gravar os programas de verão. Foi lindo demais!! Dei uma abraço na Gaby [Amarantos] ( com aquelas cortinas de plástico) e caí no choro. Era a primeira pessoa que estava abraçando em 8 meses. Eu de verdade fiz o isolamento. Graças a compreensão do Gabriel e a amigos que me ajudaram nas compras do supermercado, porque nem isso eu fazia. Aliás, voltei a não fazer. A música do Emicida é trilha da minha quarentena : quem tem uma amigo tem tudo…. 

OFuxico: E o casamento como você tem administrado nessa fase pandêmica?
Astrid Fontenelle:
Ele [Fausto Rocha] é secretário de turismo do Estado da Bahia. Não dá pra estar aqui remotamente. Precisa estar por lá. Não tem jeito. Então a tecnologia jogou a nosso favor. Horas de ligações de vídeo. Mas a gente já estava acostumado. Eu sou adepta do casamento a distância! Ter saudades é a melhor coisa do mundo. Só não esperávamos que fosse tanto tempo. Ninguém esperava.  Mas bora esperançar. E quando tudo isso passar, quero muito voltar a viajar e abraçar muita gente! Tô devendo muitos abraços. E sobre as viagens, serão todas pelo Brasil, me auto intitulei embaixadora do Brasil! Precisaremos muito ajudar a reerguer esse país!