Notícias às 08:33

Biel muda o nome artístico e fala sobre acusação de assédio: ‘Virei um produto’

Reprodução/Instagram

Já passou um ano que uma jornalista registrou sua acusação de assédio contra o cantor Biel e ele foi processado por injúria.

Agora, o cantor decidiu falar sobre o assunto e revelou que mudará seu nome, num vídeo publicado por ele no Youtube, com o nome de 365 dias depois.

"Ninguém nunca me chamou de Biel, eu sempre fui o Gah pra quem sempre importou pra mim. Foi criado um personagem no qual todos os envolvidos queriam que dessem dinheiro. E que dá dinheiro? Tirar a camisa, fazer letras eróticas, egocêntricas, fazer quadradinho. Nenhuma dessas letras foram composições minhas, nem o sotaque. Enquanto isso dava dinheiro, eu escrevia letras românticas que não eram aprovadas", afirmou.

Biel disse que virou um produto e agora quer retomar sua carreira com sua própria imagem. Biel mora atualmente nos Estados Unidos e assumiu um namoro sério desde o começo do ano.

"Quando você vira um produto, as pessoas criam uma imagem que não tem nada a ver com você, eu estava sumido, num momento de reconciliação comigo mesmo, isso não podia durar dias, seria impossível. 365 dias depois eu me considero um novo ser humano, que agora vai seguir suas próprias vontades. Foi muito triste assistir o desespero de vocês, achar que o sonho estava acabando, mas não, muito pelo contrário, agora tudo vai começar de verdade".

Sobre a denúncia de assédio, o cantor afirma que errou, mas que foi julgado sem que as pessoas conhecessem a verdadeira história.

"Eu errei, esse erro proporcionou tudo que vocês sabem. Você não ficou sabendo de 5 por cento desse caso. É fácil julgar um caso. Estava sendo comparado a um estuprador, por eu ter entrado no personagem que tive que entrar porque dava dinheiro. Pra julgar uma história, tenta conhecer primeiro, não julgue pela capa".

Biel também passou por um registro de atropelamento. Ele foi acusado de atropelas uma pessoa na cidade de Lorena, no interior de São Paulo, mas garante que sua moto, na época, sequer tinha um arranhão e que foi acusado injustamente.

"Disseram que eu tinha atropelado uma pessoa de moto que estava atrás do meu carro. cheguei na delegacia e falei: 'Quero que você vá no meu carro e ache um arranhão sequer´. O arranhão não foi encontrado. Fui imediatamente liberado, mas quando saí, já tinha centenas de repórteres me acusando e duzentas matérias dizendo que eu tinha omitido socorro. Paguei o conserto da moto porque não era um valor muito grande pra mim, mas para a pessoa devia ser. Não tô aqui para decepcionar mais. Mas não atropelei ninguém".