Notícias às 17:20

Camilla de Lucas: ‘A sexualidade do povo segue ainda sendo questionada’

Reprodução/Instagram

A polêmica do vídeo compartilhado por Rafa Kalimann e Caio Castro, cujo pastor afirma “não ser contra o relacionamento homoafetivo, mas que respeita”, continua repercutindo na web.

Camilla de Lucas, vice-campeã do “BBB21”, se pronunciou a favor da comunidade LGBTQIA+, criticando o conteúdo do vídeo que acabou viralizando nas redes sociais.

“Não faz sentido dizer: “SOU CONTRA VOCÊ, MAS TE RESPEITO!”???? 2021 e a sexualidade do povo sendo ainda questionada!”, declarou ela

“Até quando as pessoas vão ter o direito de serem felizes barrado?”, completou ela, deixando claro seus pensamentos.

Tiago Abravanel responde comentário homofóbico da tia: ‘Precisa respeitar quem eu sou!’

Ficou feio demais o posicionamento de Patrícia Abravanel, na terça-feira (01), ao minimizar a homofobia durante seu programa, “Vem Pra Cá”, exibido ao vivo no SBT. A filha de Silvio Santos afirmou que deve haver maior compreensão dos gays para a pessoas que ela chamou de “conservadoras”. A apresentadora, na ocasião, ainda debochou da sigla LGBTQIA+.

Em suas redes sociais, Tiago Abravanel, sobrinho de Patrícia, rebateu as falas da tia. Bastante chateado, o artista – homossexual, casado – deu uma verdadeira aula de bom senso. Didaticamente, Tiago desabafou.

"Vamos falar sobre um assunto delicado. Hoje minha tia, a Patrícia Abravanel, fez um comentário no programa que me pegou de um jeito que não ficou legal. O comentário que ela fez foi em cima de um ocorrido com a Rafa Kalimann e o Caio Castro antes de ontem. Eles postaram um vídeo de um pastor falando que não concordava com o casamento gay, mas que respeitava. Isso gerou algumas retratações deles e aí, a Patrícia e o Gabriel Cartolano comentaram", explicou, citando o jornalista que divide o programa com Patrícia.

"Eu resolvi fazer esse vídeo, porque eu acho que assim como ela falou ao vivo o que ela pensa, eu acho que eu também preciso falar o que eu penso aqui nas minhas redes. Tentar falar para você, tia, o como eu me senti assistindo, tá? Eu acho que em primeiro lugar, orientação sexual não é uma questão de opinião. É uma questão de respeito. Você não precisa ser como eu, mas precisa respeitar quem eu sou e ponto final".

"Opinar, você opina se uma roupa é bonita ou feia para você. Se você quer café ou chá ou se você gosta de doce ou salgado. A orientação sexual não é da opinião de ninguém. A não ser da pessoa que escolheu ser aquilo que ela é. Escolheu não. Ela nasceu assim, então, não é uma questão de opinião. Ponto. Quando se opina em relação a isso… Esse é um ato homofóbico", frisou.

Tiago ganhou apoio de muitos seguidores, que ressaltaram a necessidade e importância do respeito.