Notícias às 09:00

Cantor country é mais uma vítima da Covid-19

Reprodução/Instagram

Autor de sucessos como Kiss an Angel Good Mornin, Is Anybody Goin’ to San Antone, Just Between You and Me, entre outros hits, Charley Pride morreu no sábado (12), aos 86 anos, vítima de complicações da Covid-19.

Astro na década de 1970, ele é considerado o primeiro negro a chegar ao estrelato no country e foi também o primeiro artista negro a entrar para o Hall da Fama do Country.

O efeito do coronavirus no mundo dos famosos

Último show

O artista apareceu 52 vezes no Top 10 de músicas country dos EUA, 29 delas como número um. Em novembro o cantor foi homenageado pela Country Music Association, em Nashville, com o prêmio Willie Nelson pelo conjunto de sua obra. No evento, fez sua última apresentação em uma transmissão ao vivo na qual cantou Kiss an Angel Good Mornin’”, de 1971, ao lado de Jimmie Allen, estrela atual do country. 

Charley Pride nasceu em Sledge, Mississippi, em 1934. Trabalhou na colheita de algodão, jogou beisebol na liga de negros, trabalhou em uma fundição em Montana e serviu no Exército antes de se tornar a primeira estrela negra da música country.

De acordo com o Just Jared, em vez de flores, a família do artista pediu doações para organizações não-governamentais e escolas.

 Ele deixa a mulher, Rozene Cohran, com quem era casado desde 1956, e três filhos, Dion, Angela e Kraig Pride.

Morre humorista Rodela

Morre o ator Eduardo Galvão por complicações do Covid-19

Produtor de funk é mais uma vítima da Covid-19