Notícias às 14:00

Christiane Torloni relembra morte de filho: ‘Alma única’

TV Globo/Fábio Rocha

Christiane Torloni foi uma das convidadas do evento CCXP Worlds, que debate temas sobre o universo pop.

Na edição online da atração, a atriz se reuniu em uma roda de debate sobre gêmeos, e relembrou a morte de um de seus filhos, Guilherme Torloni, que morreu em 1991 vítima de um acidente de carro.

"Fui mãe de gêmeos e isso me fez conviver de maneira especial com as diferenças. Eles eram irmãos idênticos e brincavam de um se fazer passar pelo outro desde pequenos. Era o olhar que me dizia quem era quem. A alma é única. Não existem duas pessoas no mundo com a mesma alma", desabafou.

Emocionando a todos, na sequência, a artista descreveu o sentimento de viver gêmeas na trama das sete, Cara & Coroa, anos depois da tragédia.

"É uma experiência maravilhosa. Você tem um leque emocional amplificando. Fica um processo muito vivo. Quando você tem a rara oportunidade de ter dois personagens iguais e antagônicos, lidar com essas forças é maravilhoso”, contou ela.

Realmente um drama da vida real, difícil de esquecer! Toda nossa solidariedade!

Tereza Cristina: uma vilã adorável

Aproveitando que Fina Estampa está em sua reta final, a vilã da trama de Aguinaldo Silva, Christiane Torloni resolveu fazer um balanço da história, especialmente, definir a identidade da vilã responsável por inúmeros crimes do folhetim.

"A Tereza Cristina é uma personagem que tem um desvio de personalidade. Não é uma pessoa boa ou má, ela realmente tem um desvio e não é de caráter, é de personalidade mesmo. Todos os crimes que ela cometeu ou encomendou são gravíssimos", disse ela, ao site Gshow.

A atriz comentou sobre a parceria da transloucada com o sedutor Ferdinand.

"Ela tem um péssimo assistente. Quando ela coloca a mão na massa, ela resolve. Ela é muito eficiente. A grande falha trágica da personagem é ter o Ferdinand de assistente, pois é ele quem vai deixando os rastros”, revelou ela, que completou sobre o chefe de segurança.  

"Ela quer ser pega, já que o Ferdinand comete erros que são primários. Normalmente os personagens que têm esse desvio de personalidade, querem ser capturados. Em algum lugar essa pessoa quer ser resgatada", pontuou ela.

Para finalizar, Torloni chutou como se comportaria Tereza Cristina na atualidade, com a pandemia da Covid-19.

"Eu acho que ela daria um jeito de boicotar o uso de máscaras. Acredito que a Tereza Cristina é uma representante do que podemos chamar de politicamente incorreto. E, infelizmente, algo ainda muito atual", concluiu.

Fina Estampa: Tereza Cristina quer Griselda morta
Christiane Torloni sobre críticas à Fina Estampa: ‘Na ficção você pode e deve ser livre’