Notícias às 11:00

Claudio Heinrich, Rodrigo Simas… o que eles têm em comum?

Divulgação/TV Globo

A Organização das Nações Unidas (ONU), estabeleceu o dia 09 de agosto como Dia Mundial dos Povos Indígenas. Data que poucos conhecem, mas de grande importância. Para dar uma alavancada na gratidão que devemos sempre ter aos indígenas, a reportagem de OFuxico relembra alguns personagens de novelas que retratam a cultura indígena, como os nativos vividos por Giullia Buscacio e Rodrigo Simas, atualmente no ar na reprise de Novo Mundo, como Jacira e Piatã.

Mas não é de hoje que a figura do índio está na teledramaturgia. Em A Rainha Louca, de 1967, Claudio Marzo vivia o índio Robledo, uim dos mais fortes personagens da trama de Glória Magadan. Na primeira versão de A Muralha, novela de Ivani Ribeiro baseada na obra de Dinah Silveira de Queiroz para a TV Excelsior, em 1968, Stênio Garcia deu vida ao Aimbé. Numa versão em minissérie feita no ano 2000 pela Globo, em adaptação de Maria Adelaide Amaral, Enrique Diaz interpretou Aimbé e Stênio Garcia fez uma participação como o Caraíba, líder da tribo da qual Apingorá (André Gonçalves) era membro. Outra personagem a destacava na minissérie era Moatira (Maria Maya), que se apaixonou pelo jesuíta Padre Miguel (Matheus Nachtergaele), no processo de catequização.

Em Irmãos Coragem, exibida entre 1970 e 1971, Lúcia Alves ficou marcada como a Potira. Na segunda versão da história de Janete Clair, exibida em 1995, Dira Paes foi Potira.

Em Bicho do Mato, trama exibida na Globo em 1972, com texto de Chico de Assis e Renato Corrêa de Castro, e entre 2006 e 2007 pela Record, pelas mãos de Cristianne Fridman e Bosco Brasil, o protagonista era o Juba. Osmar Prado fez o papel na Globo e André Bankoff, na Record. Era amigo do índio Iru (José de Arimateia/Raphael Vianna).

Exibida na extinta Manchete, em 1991, a minissérie O Guarani, escrita por Walcyr Carrasco a partir do clássico literário de José de Alencar, mostrava o amor entre a nobre branca Ceci (Angélica) e o índio Peri (Leonardo Brício), no século 18. Vale lembrar que foi na Manchete que a inesquecível "onça" Juma Marruá fez sucesso, alavancando a carreira de Cristiana Oliveira.

Angélica e Leonardo Brício em cena de O Guarani

No ano 2000, Guel Arraes e Jorge Furtado, na minissérie Caramuru: A Invenção do Brasil, mostraram com leveza e humor o romance de Caramuru (Selton Mello) com a bela índia Paraguaçu (Camila Pitanga). Ela era irmã de Moema (Deborah Secco). No mesmo ano, em Uga Uga, de Carlos Lombardi, Adriano (Cláudio Heinrich) fora reencontrado por seu avô Nikos Karabastos (Lima Duarte) após muitos anos desaparecido, período durante o qual vivera com os índios. O protagonizada era inspirado no Tarzan.

Já Benedito Ruy Barbosa, com a minissérie Mad Maria, de 2005, mostrou através de Joe Caripuna (Fidélis Baniwa), a crueldade a que o homem branco submeteu o índio no Brasil – e isso já em tempos mais modernos, uma vez que a minissérie se passava no início do século 20. Ao ter descobertos os roubos que praticava no alojamento dos operários da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, o índio teve as mãos amputadas violentamente.

No mesmo ano dois outros personagens indígenas marcaram presença: a Índia (Bumba), que trabalhava na casa da família de Ademilde (Arlete Salles) em A Lua me Disse. E, em Alma, Gêmea, de Walcyr Carrasco, Priscila Fantin deu vida a Serena, uma personagem que foi criada por índios e deles tinha toda a vivência. Na cidade grande, se apaixonou pelo botânico Rafael, papel de Eduardo Moscovis. 

 Priscila Fantin como Serena, em Alma Gêmea

Eunice Baia ficou nacionalmente conhecida em 2007 – embora já tivesse protagonizado o filme Tainá, Uma Aventura na Amazônia – ao atuar como a Ayani, de Amazônia, de Galvez a Chico Mendes. Descendente de índios, Suyane Moreira também atuou na minissérie, como a Ianká. Em 2012, ela voltou a fazer uma índia na televisão, no episódio A Selvagem de Santarém, na série As Brasileiras.

Suyane Moreira em Amazônia, de Galvez a Chico Mendes

Entre 2010 e 2011, Walther Negrão escreveu a índia Estela, papel de Cleo, em Araguaia. Ela era ás no arco e flecha!

Em Bicho do Mato, trama exibida na Globo em 1972, com texto de Chico de Assis e Renato Corrêa de Castro, e entre 2006 e 2007 pela Record, pelas mãos de Cristianne Fridman e Bosco Brasil, o protagonista era o Juba. Osmar Prado fez o papel na Globo e André Bankoff, na Record. Era amigo do índio Iru (José de Arimateia/Raphael Vianna).

Cleo como aíndia estrela,em Araguaia

Entre 1978 e 1979, a Tupi exaltou a questão indígena na novela Aritana, de Ivani Ribeiro. O protagonista vivido por Carlos Alberto Riccelli era miscigenado (filho de um branco com uma índia), dedicado a defender sua tribo da exploração comercial representada por seu tio, um fazendo ambicioso ligado a um grupo norte-americano.  O personagem foi inspirado no jovem cacique Aritana se tornou internacionalmente famoso por defender a preservação das terras de seu povo, os yawalapiti, no Alto Xingu, no Mato Grosso. Ele também se destacava pela beleza e o desempenho como lutador de huka-huka, popular em várias tribos. O cacique morreu na quarta-feira (05), aos 71 anos, vítima de complicações da Covid-19.

Carlos Alberto Riccelli e Bruna Lombarde em Aritana

Em Sétimo Sentido, de 1982, Janete Clair destacou a jovem Uiara (Neuza Caribé). Já entre 1986 e 1987, Ivani Ribeiro novamente colocou a questão indígena em discussão, na novela Hipertensão. Chico (Stênio Garcia) era alvo da implicância da prepotente Donana (Geórgia Gomide), cujo falecido marido havia doado as terras onde o índio vivia.

No ano 2000, Guel Arraes e Jorge Furtado, na minissérie Caramuru: A Invenção do Brasil, mostraram com leveza e humor o romance de Caramuru (Selton Mello) com a bela índia Paraguaçu (Camila Pitanga). Ela era irmã de Moema (Deborah Secco). No mesmo ano, em Uga Uga, de Carlos Lombardi, Adriano (Cláudio Heinrich) fora reencontrado por seu avô Nikos Karabastos (Lima Duarte) após muitos anos desaparecido, período durante o qual vivera com os índios. O protagonizada era inspirado no Tarzan.

Já passava no início do século 20. Ao ter descobertos os roubos que praticava no alojamento dos operários da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, o índio teve as mãos amputadas violentamente.

Cláudio Heinrich em Caramuru: A Invenção do Brasil

E atualmente, a reprise especial da novela Novo Mundo, na faixa das 18h, na Globo, trouxe o índio Piatã, personagem vivido por Rodrigo Simas. O papel aproximou o artista do conhecimento sobre os primeiros habitantes do Brasil.

Rodrigo Simas como Piatã, em Novo Mundo