Notícias às 09:00

Criticada por resposta omissa, Claudia Leitte pede desculpas: ‘Não tive consciência do meu papel social’

Reprodução Instagram

Não foram poucas as críticas que Claudia Leitte recebeu diante de sua participação no programa “Altas Horas”, exibido na Globo no último sábado (22). Ela, Ana Maria Braga e Deborah Secco, as convidadas da noite, foram questionadas sobre o que causa indignação. Enquanto a apresentadora e a atriz citaram a falta de vacina e outros problemas do país, a cantora preferiu se isentar.

"A minha indignação? Eu tenho um coração pacificador, Serginho”, disse Claudia.

Na noite de segunda-feira (24), a cantora usou suas redes sociais para rever o ocorrido e pediu desculpas. Ela reconheceu que errou.

"Mais que um desabafo, esse era um momento eu precisava ter muita consciência do meu papel social e eu não tive. Não sei porque, cargas d’água eu falei, dei uma resposta evasiva naquele momento e, desde que saí do programa, estou reflexiva", disse.

"Acho que um artista tem um papel que precisa ficar muito claro. Eu subo num palco para cantar e eu sirvo o outro através da minha música, eu sirvo pessoas, eu movimento meu corpo, eu faço entretenimento, mas faço com uma missão, com um propósito”, destacou.

“E quando saio do palco, em qualquer situação, continuo sendo cidadã, mas se tenho o microfone ligado, continuo representando aquelas pessoas, servindo aquelas pessoas”.

Claudia Leitte então pontuou assuntos que deveriam ter sido citados por ela diante do questionamento feito pelo apresentador Serginho Groisman.

“Eu precisava ter falado das minhas indignações para levantar questões, discussões saudáveis, conversa a respeito daquilo, mudanças de atitudes, comportamento dentro da sociedade".

“Eu precisava ter falado que me indigna o fato das pessoas que não usam máscaras, continuam aglomerando, promovendo, incitando aglomerações. Isso mata, está comprovado. O número alarmante de mortos é desesperador. O noticiário sangra todos os dias”.

“O número de pessoas passando fome é revoltante, triste, desesperador, sufoca. E eu não falei sobre isso. Não falei sobre as mulheres que estão sofrendo violência doméstica e não têm abrigo, porque elas com seus filhos são abusadas dentro de casa”.

“Não falei que me indigno com o fato de que não tem vacina para todo mundo no meu país. São cisas que fazem parte do meu dia a dia, do meu setor, do entretenimento. Estou junto com meus músicos, a gente sempre se fala, conversa, pensa quando essa coisa vai passar, porque precisamos todos trabalhar. A gente não sabe quando vai voltar e isso me indigna”.

 Claudia encerrou seu desabafo pedindo perdão ao público por sua fala errônea e omissa.

"Não podia ter deixado essa oportunidade passar. Então, vim aqui pedir desculpas por isso, porque eu não usei da ferramenta que tenho para fazer alguma diferença. E eu quero me redimir disso, eu não quero fazer mais isso. Quero dar espaço, sim, para que coisas diferentes aconteçam. Eu posso ser um agente de mudança, eis me aqui", completou.

Apoio de famosos

O pedido de desculpas da cantora e o reconhecimento do erro ao se omitir, agradou a muita gente, que esperava, de fato, que ela se redimisse.

"Parabéns pelo seu posicionamento, amiga. Nunca perca a indignação! Um beijo no coração", escreveu Daniela Mercury.

"Que bom que você reconheceu e se manifestou demonstrando sua indignação Claudinha! É isso", disse Fernanda Paes Leme.

"Claudinha, querida! Todos os dias a gente aprende algo novo! Conte sempre com a gente aqui", afirmou Tico Santa Cruz.

O que disseram Ana Maria e Deborah

A repercussão negativa da participação de Claudia Leitte no programa “Altas Horas” deixou o nome da cantora está entre os assuntos mais comentados do Twitter no domingo (23). A artista pareceu ignorar o fato do Brasil ainda ser um dos países mais afetados pela pandemia da Covid-19 no mundo.

“Claudinha, qual é a sua indignação?”, questionou Serginho Groisman.

“A minha indignação? Eu tenho um coração pacificador. Eu me indigno, sou capaz de virar tudo pelo avesso, de chutar as barracas, mas acho que todo mundo tem um lugar onde pode brilhar uma luz para desfazer o que está acontecendo e se essa luz se acende, obviamente, não vai ter escuridão”, respondeu a cantora.

O apresentador fez a mesma pergunta para Deborah Secco. A atriz foi precisa.

“O que me indigna é a gente normalizar as piores coisas e seguir adiante como se estivesse tudo bem, que é isso mesmo. Não é isso mesmo, isso não pode continuar, as coisas têm que mudar”.

Ana Maria Braga, que também estava no programa, foi enfática.

“Por exemplo, a falta de vacina no Brasil. Tem países na Europa que começaram a vacinação seriamente. Ter mais gente ou menos gente aqui não justifica, a gente não tem vacina para toda a população e não tem por motivos que todos conhecem, é só ligar o telejornal. Não pode se normalizar isso, temos que nos indignar”, afirmou a apresentadora.

“É num todo, é impressionante. São os meninos que desapareceram e ninguém sabe onde estão. Um psicopata que mata gays no Sul e a gente mal fala sobre isso. É tudo muito normalizado, é tanta coisa ruim acontecendo e a gente vai seguindo”.

Claudia não se pronunciou mais sobre o assunto e o público não perdoou.

“Com tudo que está acontecendo, Claudia Leitte é incapaz de contar uma indignação. De saco cheio dessa positividade fruto de uma alienação intencional”, comentou um seguidor.

“Enquanto uns estão indignados com o que estamos vivendo, temos várias Claudia Leitte que vivem num mundo de contos de fadas”, escreveu outro.

“Claudia Leitte jurou que estava lacrando nessa onda de ‘gratidão’, quando, na verdade, ela não parece estar nem um pouco preocupada com a situação do Brasil, já que nem aqui mora mais”, acrescentou mais um.