Notícias às 03:00

De novo! Duques de Sussex dizem não ao Natal na Inglaterra

Reprodução/Instagram

Segundo a revista Vanity Fair, após boatos de que o Príncipe Harry e Meghan Markle voltariam ao Reino Unido no fim deste ano, a história mudou totalmente. Isso porque uma fonte garantiu que o casal decidiu ficar de fora do Natal real, pelo segundo ano consecutivo.

O informante comentou à publicação que 'eles não estão prontos' para uma reunião familiar na Grã-Bretanha.

A fonte afirmou: "Nesta fase, eles estão realmente curtindo sua nova vida na Califórnia e seu novo lar. Atualmente não há planos para eles voltarem ao Reino Unido para o Natal", justificou.

"Vamos apenas dizer que embora as coisas estejam melhores entre Harry e seu irmão [Príncipe William], o relacionamento não é mais como era antes, e eu não acho que ninguém está pronto para um Natal familiar aconchegante agora", acrescentou o informante.

O casal passou a temporada de férias no ano passado com a mãe de Meghan, Doria, e o filho Archie no Canadá, o que significa que será o segundo ano consecutivo que eles perderão o Natal da Família Real.

As alegações vêm depois de trechos do explosivo livro Battle of Brothers (Batalha de Irmãos) terem sido lançados, incluindo relatórios sobre o desgaste do relacionamento entre o Príncipe William e o Príncipe Harry.

O autor Robert Lacey acredita que seu vínculo único foi quebrado pela maneira como os Sussex se comportaram nos últimos meses.

Fazendo política

 

Para Eric Schiffer, presidente da Reputation Management Consultants, uma companhia que se dedica aos serviços de limpar e proteger contra difamação online, acredita que o príncipe Harry e Meghan Markle estão arriscando sua marca por causa de seus depoimentos políticos.

Eric Schiffer disse em entrevista ao Yahoo UK que o casal está se arriscando ao falar das eleições nos Estados Unidos, mesmo que estejam tomando uma posição neutra. O duque e a duquesa de Sussex estão encorajando os americanos a votar, em um vídeo lançado esta semana pela lista Time 100, nomeando as 100 pessoas mais influentes do mundo.

Meghan, de 39 anos, sempre falou de sua opinião política desde que o casal se mudou para os Estados Unidos, mas é a primeira vez que Harry, de 36 anos, falou em votar.

Apesar de não apoiarem explicitamente Joe Biden, candidato democrata, a opinião de Meghan sobre Donald Trump, presidente republicano e candidato, é bem conhecida. Ela já o chamou de 'divisor' e 'misógeno' em 2016.

Embora Harry não vote  naquele país, Meghan pode e pediu às pessoas que façam valer seus direitos de irem votar, já que o voto não é obrigatório.

"Faltam apenas seis semanas para o dia da eleição e hoje é o Dia Nacional de Registro de Eleitores. A cada quatro anos, ouvimos a mesma coisa, que 'esta é a eleição mais importante de nossa vida'… Mas esta é. Quando votamos, nossos valores são colocados em prática e nossas vozes são ouvidas. Sua voz é um lembrete de que você é importante. Porque você faz. E você merece ser ouvido", disse a duquesa.

Príncipe Harry lembrou às pessoas que, como membro da família real, ele nunca teve permissão para votar no Reino Unido:

"Nesta eleição, não vou poder votar aqui nos Estados Unidos, mas muitos de vocês podem não saber que também nunca pude votar no Reino Unido durante toda a minha vida. À medida que nos aproximamos em novembro, é vital que rejeitemos o discurso de ódio, a desinformação e a negatividade online".