Notícias às 20:33

Elenco de Coisa Mais Linda fala da 2ª temporada da série!

            

Depois de um longo ano de espera, Coisa Mais Linda está prestes a estrear sua segunda temporada. Aclamada pela crítica e amada pelo público, a série brasileira original Netflix é um dos grandes sucessos nacionais da plataforma. Ambientada nos anos 60 e com uma fotografia impecável, o roteiro acompanha a história de mulheres fortes, à frente do seu tempo, que lutam por seus lugares dentro de uma sociedade machista, misógina e desigual.
 
Após uma season finale poderosa, o público mal pode esperar para saber o que vai acontecer na vida de Maria Luiza (Maria Casadevall), Adélia (Pathy Dejesus), Lígia (Fernanda Vasconcellos) e Thereza (Mel Lisboa). Além disso, a nova temporada chega com um reforço no elenco feminino,  Larissa Nunes, que interpreta a irmã de Adélia.
 
Em entrevista, as protagonistas falaram do ponto chave da segunda temporada.
 
"A gente parte de uma primeira temporada que acaba com uma grande tragédia, esse é o ponto de partida, como isso reverbera para essas personagens. Assim como a Mel (Lisboa) fala, a gente perde uma personagem principal, que é muito querida pelo público e será interessante ver como essa perda vai reverberar nesse aspecto também", disse Pathy Dejesus. "A trama se desenvolve a partir dessa perda. No caso da Adélia, a gente tem um aprofundamento da trajetória da personagem, veremos ela mais independente. Gosto de dizer que ela vira protagonista da própria história".
 
"A segunda aborda muitos pontos, mas o principal é o fato trágico da morte da Lígia. É um marco, uma ruptura na vida dessas personagens. Todas estão ali, tendo uma segunda chance, depois dessa ruptura significativa. Esse fato é muito forte em todas as trajetórias. Portanto, o fator principal seria essa segunda chance que elas tiveram a partir disso", comentou Mel Lisboa.
 
Segundo Larissa Nunes, que entrou para o elenco nesta segunda parte, a trama atualiza debates muito importantes.
 
"Acredito que essa segunda temporada traga uma atualização de questões que foram apresentadas na primeira, como o feminicídio. Atualiza e propõe um debate do racismo, por exemplo. Com a Ivone, é uma outra visão a respeito das diferenças de raças e classes, principalmente quando ela forma uma parceria com a Maíra Luísa", disse. "Gosto de perceber como a série está forte e relacionada ao nosso momento presente. É o momento de reagir à violência racista, que se prolonga há tanto tempo, é hora de ter um posicionamento e a série vem em um momento propício", afirmou. 
 
Maria Casadevall, que interpreta Malu, personagem central do enredo, contou o que mudou nela e na Maria Luiza entre uma temporada e outra.
 
"Mudou muita coisa nas duas, como experiências profissionais e pessoais. Sempre é um desafio retomar a personagem na segunda temporada, já que você constrói uma história, vive ela intensamente, encerra e passa por muitas mudanças. Retomar é resgatar essa história. A partir do momento que esse resgate acontece, ele se dá de uma forma mais intensa. É como se eu reencontrasse a Malu", afirmou. "Tudo na personagem mudou, ela vem em um processo de ascensão pessoal e esse processo é interrompido por causa de uma violência misógina, machista, que resulta na morte da Lígia e a segunda temporada começa em um momento de catatonia".
 
Abordando temas muito importantes, como machismo, racismo, feminicídio, assédio e a trama também aborda a sexualidade da mulher, Mel e Pathy também opinaram sobre o fato de ainda ser um tabu falar sobre isso dentro da sociedade.
 
"Está tudo na estrutura. A gente precisa repetir que vivemos em uma sociedade machista, patriarcal, e dentro dessa estrutura, falar do próprio corpo é um tabu. Me lembro na minha adolescência o quanto menstruação e a primeira relação eram tabus. Acredito que as religiões também contribuíram muito para isso", comentou Pathy. "A sexualidade está intimamente ligada ao patriarcado e machismo, por isso é tabu", completou Mel.