Notícias às 14:44

Emoção aumenta em nova fase do The Voice +

Reprodução/Globo

Começou neste domingo (14) o Tira-teima no The Voice +. Nesta fase, os técnicos têm que decidir – entre as 12 vozes selecionadas por cada um nas audições às cegas – quais participantes continuam na competição.

Somente oito permanecem ao final dessa etapa. Três de cada time se apresentaram e uma voz foi salva.

Por ordem alfabética, Áurea Catarina, ao som de Dois Corações, da banda Melin, encantou não apenas pela voz doce e afinada, mas pelo look que destacou suas muitas tatuagens.

"Parecia que eu está a assistindo ao show dela. Foi lindo, perfeita interpretação", elogiou Claudia Leitte.

Catarina Neves, de 81 anos, soltou o espanhol em La Barca.

"Ela se vestiu na canção", elogiou Mumuzinho.

O paulista Jorge Darrô, de 64 anos, completou o Time Daniel ao som de Mrs. Robinson, de Simon & Garfunkel.

 

"Essa voz diferenciada, trazendo esse clássico, parabéns", elogiou Daniel.

"A sua voz é a sua identidade", disse Daniel, sobre Áurea.

"Tem que ter experiência e voz para cantar La Barca, você está maravilhosa", disse, sobre Catarina.

A primeira voz salva por Daniel foi Catarina.

"Estar aqui é a glória", agradeceu.

A segunda voz escolhida foi a de Áurea Catarina.

"Mãe, tu falou que queria me ver nesse palco! Já pulei duas fogueiras nele, agora estou gostando!", brincou ela.

Jorge deixou a disputa.

Time Claudia

O Time Claudia Leitte se apresentou na sequência com Mário Figueiredo, Oscar Henriques e Zé Alexandre.

A técnica fez questão de pedir que eles deixassem a emoção fluir. E eles não fizeram por menos.

Mário, de 61 anos, fez uma releitura de Pense e Dance, hit da banda Barão Vermelho.

"Animação total", elogiou André Marques.

"Que atitude!", disse Ludmilla.

 

Oscar Henriques cantou Onde Deus Possa Me Ouvir, de Vander Lee. O cantor de 67 anos deixou todos extasiados.

"Belíssima apresentação", disse Mumuzinho.

 

Zé Alexandre, de 63 anos, fechou o time com Quando Fui Chuva, de Maria Gadú. O parceiro musical de Osvaldo Montenegro foi aplaudido de pé.

"Sempre penso que estou mais experiente, mas o mais importante é viver o presente intensamente. Vocês eternizaram a passagem de vocês neste palco", elogiou a técnica.

A primeira voz escolhida foi a de Zé Alexandre.

"Que negócio! Eu te olho acostumo", disse a técnica.

Em seguida, Claudia Leitte escolheu, com muita dificuldade em decidir, a voz de Oscar.

"Você disse da melhor maneira aquilo que a gente sente e você fez isso brilhar na gente. Transbordou talento, música".

Time Ludmilla

O Time Ludmilla começou com Dudu França. O galã dos anos 70 cantou Yesterday e já no ensaio mostrou que estava determinado.

Essa todo mundo sabe cantar! Dudu França arrebenta cantando ‘Yesterday’, clássico dos Beatles! #TheVoiceMais https://t.co/E30odnWrZE pic.twitter.com/Z6kSPnXXCC

— The Voice + (@TheVoiceBrasil) February 14, 2021


"Queria ele no meu time! Tem malícia e dinâmica pra cantar", disse Daniel.

Dulce, veterana de bares noturnos, escolheu o hit Que Nem Maré, de Jorge Vecilo. A cantora de 68 anos deixou a técnica com os olhos marejados.

"Achei brilhante, alegre, uma energia maravilhosa. É a voz da experiência", destacou Claudia Leitte.

Cheia de ginga, a gaúcha Vera Ambrósio, de 74 anos, soltou a voz no samba Folhas Secas, de Nelson Cavaquinho.

"Estou extasiada. Obrigada por terem me escolhido. Dudu com uma classe pra cantar, Dulce pode ter certeza que estou apreendendo muito. D. Vera, sua maravilhosa! Fiquei muito feliz com o que vi e ouvi", disse Lud.

 

 

A técnica salvou Dudu França e Dulce.

Time Mumuzinho

O Tira-Teima seguiu com o Time Mumuzinho. Celestina Maria, de 79 anos, cantou a música Molambo, sucesso na voz de Maysa. A Miss Idosa do Amazonas empolgou.

"Uma intérprete com voz incrível e um timbre muito agradável, equilibrado, dizendo quem ela é na música, elogiou Claudia Leitte.

Elias Izaias, de 63 anos, apostou em Desafinado, de Tom Jobim.

"Com tantas nuances que tem essa canção e não errar nada, muito bom!", destacou Daniel.

A potência vocal de Yeda Maranhão, de 77 anos, ficou evidente em O Sol Nascerá, clássico de Cartola.

"Estou muito orgulhoso e feliz. Esse momento aqui É só o começo", disse o técnico.

D. Celestina foi a primeira escolha.

"Suas vindas aqui são ensinamentos para as mulheres do Brasil", disse Mumu.

A segunda voz escolhida foi a de Yeda Maranhão.