Notícias às 03:00

Entenda por que Pabllo Vittar merece o prêmio de Homem do Ano

Reprodução/Instagram

Na semana passada, a revista GQ Brasil realizou sua anual premiação no mundo dos famosos, revelando os 13 premiados Men Of The Year 2020 (Homem Do Ano 2020) durante sua primeira edição digital.

Pabllo Vittar venceu uma das estatuetas pela categoria Ícone por sua contribuição à música pop brasileira, representatividade da comunidade LGBTQIA+ e pelo uso da sua voz na defesa pela inclusão. 

"Ganhar um Men Of The Year é afirmar que posso, sim, caminhar pelo masculino, pelo feminino e ter sucesso em ambos", comemorou Pabllo no dia.

Porém, muitas pessoas na internet não entenderam a entrega do título, questionando a identidade de gênero da drag queen.

Inclusive, o Deputado Estadual André Fernandes externou sua insatisfação com o feito da drag queen, reclamando em seu perfil no Twitter.

“Um viado de peruca ganhou o prêmio de homem do ano”, escreveu. A declaração homofóbica do parlamentar se deu após Pabllo ter usado exatamente os mesmos termos para comemorar.

“É isso mesmo minhas filhas, o ‘viado’ de peruca ganhou”, disse ela à revista.

E você, ficou com dúvidas do porquê Pabllo Vittar ganhou como Homem do Ano? Calma que deixaremos bastante claro para você!

Veja clipes brasileiros que sofreram censura no Youtube
Hit de Pabllo Vittar vira tema principal de série em Portugal

A arte drag VS Orientação sexual/Identidade de gênero

Essa questão é bem mais simples do que parece e, entendendo o conceito de como funciona a arte drag, fica claro porque Pabllo merece sim sua nomeação.

A arte de drag nada mais é do que uma forma de expressão, muitas vezes com roupas e elementos (como peruca e maquiagem, por exemplo), sendo frequentemente do gênero oposto, mas isso não é uma obrigação.

Ou seja, Pabllo Vittar nada mais é do que uma expressão artística de Phabullo Rodrigues da Silva, que a usa para cantar, dançar, compor e realizar todo o seu trabalho como artista.

Hora do momento principal: você utilizar da arte drag em nada influencia a sua orientação sexual (hétero, homo, bi ou pansexual) ou sua identidade de gênero (cis, trans ou não-binárie), então Phabullo se expressar como a drag queen Pabllo Vittar não o torna uma mulher.

Inclusive, durante seu dia a dia, o artista posa desmontado e várias vezes praticando exercícios físicos, conforme já noticiamos anteriormente.

Pabllo Vittar ganha web ao postar foto sensual desmontado

5 artistas que não pararam na quarentena
Relembre parcerias de sucesso entre cantoras e drag queens

Comunidade LGBTQIA+ e preconceito

A comunidade LGBTQIA+ é bastante diversa e vem, cada vez mais, conquistando seu devido espaço na sociedade. Pabllo Vittar se tornou uma de suas maiores representantes, seja pela arte que desafia as imposições da heterocisnormatividade (sistema que admite apenas pessoas heterossexuais e cisgêneras em local de destaque na sociedade), seja por Phabullo se identificar como gay, se orgulhando de tudo que conquistou até aqui.

Confundir pessoas trans, que se identificam com o gênero (conjunto de construções sociais dada para um sexo biológico) oposto ao atribuído em seu nascimento (com base no sexo biológico), com alguém que utiliza da arte drag (queen ou king) é o mesmo que anular a existência de um dos grupos, sendo que ambos sofrem muito preconceito no dia a dia e muito ainda deve ser feito para que tenhamos um mundo mais justo e igualitário.

Bom, sabendo que se expressar por meio da arte drag não faz a drag queen Pabllo Vittar deixar de ser um homem no final das contas, ser contra a vitória de Homem do Ano é um ato homofóbico, pois significa que você não considera válido um homem gay receber o prêmio, assim como o deputado André Fernandes se apresentou em sua declaração.

Pabllo Vittar é a drag queen com que Phabullo Rodrigues da Silva se expressa em sua carreira artística

Felizmente, a diversidade é cada vez maior e mais presente, e não há intenção de esse movimento perder força tão cedo.

Falando de Pabllo Vittar, a drag queen lançou recentemente o álbum 111 Deluxe, que traz remixes do 111 original e duas canções inéditas. Vale ressaltar que o projeto foi o quarto mais excitado do mundo em seu final de semana de estreia, e todas as parcerias novas lutam diariamente em nome da comunidade LGBTQIA+, mostrando que a artista está disposta a continuar com sua contribuição.

O carro-chefe de 111 Deluxe é o single Bandida, em parceria com Pocah, cujo clipe no Youtube passa dos 7,7 milhões de visualizações.

Que Pabllo Vittar esteja apenas no início de todo o seu sucesso na carreira!