Notícias às 08:00

‘Envelhecer faz parte da vida’, afirma Letícia Spiller que redobra os cuidados com o corpo e a mente

Divulgação/Vinicius Mochizuki

Letícia Spiller cresceu sob os olhares do público, realizou o sonho de trabalhar com a Xuxa e ao sair do universo infantil foi construindo uma carreira bem sucedida como atriz na TV, no cinema e no teatro com personagens fortes e marcantes. Mãe de dois filhos, um homem feito, Pedro Novaes, como ela mesmo diz, e uma garotinha, Stella Loureiro. Letícia, 47 anos, esbanja talento, beleza e consciência sobre o seu papel como artista em prol de causas sociais. Ao OFuxico, ela revelou que envelhecer faz parte da vida e que cuidar da alimentação e da mente são primordiais para uma vida tranquila.

Durante o período de isolamento, Letícia passou a dedicar ainda mais atenção à sua casa, em especial ao seu jardim, destaque inclusive no É de Casa, da Globo. Há dez anos vem investindo também na carreira de cantora, no ano passado lançou Lua Cheia, que teve mais de um milhão de acessos, em mais uma  parceria com o músico Dienis ela acaba de lançar um EP Natalina. O projeto ganha contornos ainda mais especiais, porque parte da renda arrecadada será destinada a Acnur, instituição da ONU para refugiados, um trabalho belíssimo e humanitário. Para 2021 ela está cheia de planos para o teatro, cinema como atriz, produtora e diretora.

Confira!

OFuxico: Seu trabalho é muito elogiado na TV e no teatro. Como o lado cantora agrega à sua carreira e o que te motivou a fazer isso?
Letícia Spiller
: Tem dez anos que eu venho praticando mais as técnicas do canto. Comecei com espetáculos musicais. Em Dorotéia, eu conheci o Pablo (Vares), meu marido, que é músico. E isso só estimulou ainda mais a música na minha vida e na nossa casa. Como atriz, eu acredito que temos que ser completos: dançar, cantar… Ter todas as ferramentas à mão. Só que venho me aprofundando mais. Conheci o Dienis, que é um grande amigo e cantor, e criamos uma parceria muito legal. É mais uma forma de me expressar através da arte.

OFuxico: Quais os preparos que você tem para cantar?
Letícia Spiller:
Faço aulas de canto e tenho uma preparadora vocal muito boa, que é muito presente e me ajuda demais no processo. A Patrícia Maia, que é também fonoaudióloga. São cuidados com a voz que eu preciso ter e uma consciência de como usá-la no canto.

Publicação de Letícia Spiller nas redes sociais

OFuxico: O seu lado cantora traz ainda contribuições sociais. Por que uma artista precisa se engajar em causas humanitárias?
Letícia Spiller:
Não posso falar pelos outros. Posso falar por mim. Sou uma atriz, tenho uma imagem pública e um alcance expressivo com a minha voz. Usar isso para fazer o bem é algo que eu vejo como natural. Acho, inclusive, que é a melhor parte de se ter espaço na mídia, porque todo o resto é supérfluo. Gosto de me envolver em causas sociais, de divulgar ações que eu sei que fazem a diferença na vida de tantas pessoas. É o caso do ACNUR, que faz um trabalho humanitário lindo e fundamental com os refugiados. Além de perderem suas terras, neste ano de 2020, eles precisaram lidar com a COVID-19. E muitos desses refugiados são crianças. Sinto como uma missão mesmo. Sou madrinha da rede postinho também, que faz um lindo trabalho nas comunidades do Cantagalo, Pavão e Pavãozinho. Se puder ajudar de alguma forma, eu estou junto.

OFuxico: Como você educa seus filhos pensando no próximo? Exercendo a empatia? Combatendo o machismo, entre outros.
Letícia Spiller:
Pedro já é um homem feito. E eu fico extremamente orgulhosa do cara que ele se tornou. É um rapaz humano, preocupado com o próximo, educado… Escuto tantos elogios dele. Fico boba mesmo. Eu sempre priorizei o diálogo com ele. Eu sou aquela que senta e conversa. E é assim com a Stellinha também. Com ela, eu preciso explicar mais, porque Stella retruca, quer saber mais sobre as coisas (risos). Mas é ótimo, porque temos uma relação verdadeira e sólida. Ela sabe que pode me perguntar as coisas. E eu explico tudo o que é importante. Amo ser mãe. Amo educar! Ser mãe e educar são as missões mais importantes da vida. Passar aos meus filhos a importância da solidariedade, empatia e compaixão é a minha prioridade.

OFuxico: O que a pandemia trouxe de lição, ensinamento?
Letícia Spiller:
A lição é que estamos mais conectados do que nunca. Que a ação de um reflete no coletivo. E que temos que cuidar de nós e dos outros.

OFuxico: O que aprendeu durante o isolamento? Alguma atividade que gostaria de exercer, mas por conta do tempo não conseguia…
Letícia Spiller:
Eu já sou muito caseira. Fiquei boa parte do isolamento no meu sítio, na região serrana do Rio. É um lugar que eu fico em contato com a natureza e isso me faz muito bem. Segui com os meus ritos tibetanos, minha ioga… Meus momentos de reflexão. Fiquei de olho e estudando com a Stellinha. Aproveitamos também e criamos um curta-metragem lá no sítio. Somente nós. Um processo muito legal. Ele se chama Enquanto Seu Lobo Não Vem. Foi um período entre os nossos. Mas eu gostaria de aprimorar o meu francês e inglês, online mesmo.

Letícia Spiller pratica exercícios e tem hábitos saudáveis

OFuxico: Gosta de cuidar da casa, do jardim? No É de Casa você mostrou um pouco do seu jardim.
Letícia Spiller:
Adoro cuidar do jardim e da casa. Gosto de olhar os detalhes, de ter o canto aconchegante. E amo as plantas. Esse contato com elas é praticamente um hobby, um momento de relaxamento.

OFuxico: Como mantém sua saúde física e mental? Yoga, pilates…
Letícia Spiller:
Tenho hábitos saudáveis há muitos anos. É um estilo de vida. Gosto de comer bem, de me exercitar. Mas o que me faz muito bem é o contato com a natureza. Nada se compara. É um momento em que eu recarrego a minha energia e me reconecto comigo.

OFuxico: Tem deixado de consumir carnes e optado por uma alimentação mais saudável… Quais foram os motivos e os resultados que você já alcançou? E tem as lives também..
Letícia Spiller
: Eu evito comer carne. Prefiro buscar outras opções. Mas não é algo radical. De vez em quando, eu como. Mas é cada vez menos. Tento evitar, porque tem tantos motivos envolvidos. Como a questão ambiental, os animais… Tem a ver com uma filosofia de vida.

OFuxico: Da época de paquita o que você mais sente falta?
Letícia Spiller:
Da minha adolescência (risos). Foi uma fase muito gostosa e divertida. Tive uma adolescência diferente das outras meninas, mas era muito gostoso.

OFuxico: Em O Sétimo Guardião sua personagem era dona de uma beleza única. Nas redes as pessoas sempre te perguntam qual é o segredo para manter toda uma jovialidade… Qual é a dica?
Letícia Spiller:
Não tem dica! Mesmo! Envelhecer faz parte da vida. Eu me cuido. E faço isso há muito tempo. Estou colhendo os frutos desse cuidado. Tenho minha dermatologista, sigo as orientações dela. Não bebo. Durmo cedo. São cuidados que eu tenho.

OFuxico: Como define conforto e simplicidade?
Letícia Spiller:
Ficar na minha casa, com uma roupa soltinha e agarrada com meus filhos. Não preciso de mais nada.

OFuxico: Novos projetos com cinema, teatro e TV…
Letícia Spiller:
Estamos divulgando o EP natalino. Tenho duas peças de teatro para 2021. Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembrança e Hamlet Máquina, ambas do diretor Jorge Farjalla. Tenho curta-metragem para lançar. E estou produzindo um longa-metragem com uma história bem especial e que se passa no interior de Goiás. Um filme delicado e muito bonito.