Notícias às 08:15

Ex-ator é preso por vandalizar estátua de George Floyd

Ex-ator Micah Beals vandaliza estátua de George Floyd

Foto: Reprodução/ Twitter

Micah Beals, ex-ator da série “Parks and Recreation”, foi preso na última segunda-feira, 25 de outubro, após vandalizar uma estátua em homenagem a George Floyd, afro-americano assassinado em maio de 2020 por um policial branco. A estátua havia sido inaugurada há pouco tempo em um local com outras personalidades do movimento negro, como John Lewis, pioneiro ao combate ao racismo nos Estados Unidos e Breonna Taylor, outra vítima de violência policial.

De acordo com o “The Independent”, Beals teria vandalizado a estátua localizada em Nova York, no último dia 03 de outubro. A Divisão de Crimes de Ódio do Departamento de Polícia de Nova York anunciou a prisão do ex-ator, de 37 anos, na segunda, 25.

Imagens registraram Beals andando de skate em direção à estátua e jogando tinta cinza na homenagem a George Floyd. Testemunhas detalharam a situação à polícia, que divulgou as filmagens no Twitter em busca de mais informações sobre a identidade do responsável pelo vandalismo.

O ex-ator foi acusado de fraude criminosa de segundo grau, o que pode resultar em até sete anos de prisão. Beals já havia sido preso por violar o toque de recolher durante os distúrbios no Capitólio em janeiro deste ano. Até o momento não há informações se ele irá recorrer a acusação de dano criminoso de segundo grau.

Um grupo de voluntários se uniu para limpar a estátua de George Floyd. No início deste ano, neonazistas também vandalizaram um outro monumento no Brooklyn, que também fazia homenagem a Floyd.

Veja +: Assassino de George Floyd é monitorado a cada 30 minutos

GOVERNADORA REPUDIA O VANDALISMO

Kathy Hochul, governadora do estado de Nova York, considerou o vandalismo um ato de “covardia e o ódio”. Nas redes sociais, ela explicou que instruiu a Força-Tarefa para Crimes de Ódio da Polícia do Estado de Nova York a ofereceu assistência na identificação para “encontrar o perpetrador e responsabilizá-lo.”

“Este ato de covardia é ódio e repreensível”, declarou Kathy Hochul.

RELEMBRE A MORTE DE GEORGE FLOYD

Em maio de 2020, o ex-segurança George Floyd, de 46 anos, foi morto após o policial Derek Chauvin pressionar o joelho em seu pescoço, em Mineápolis. George tentou pagar uma conta em uma mercearia com uma nota falsa de US$ 20.

As imagens no local na época mostraram que Floyd não resistiu a abordagem policial e, mesmo assim, foi agredido pela polícia, o que causou uma repercussão mundial da violência policial no Estados Unidos, na forma com que os policiais brancos abordam, agridem e matam homens pobres e negros.

O policial foi afastado e posteriormente condenado a 22 anos e meio de prisão.

Veja +: Indenização da família de George Floyd é equivalente a R$ 150 milhões

Com a morte do ex-segurança, a pauta sobre o racismo trouxe com maior relevância estatísticas reais sobre assassinatos cometidos por policiais no Estados Unidos. Segundo uma pesquisa de um jornal em Washington, mais de mil pessoas foram mortas a tiros no país somente no ano de 2019, sendo a maioria das vítimas negras.

Com toda repercussão, surgiu o movimento #BlackLivesMatter (Vidas Negras Importam), criado em 2013 que repercutiu muito em 2020.

PRINCIPAIS NOTÍCIAS

A Fazenda 13: Eliminada na Roça, Tati Quebra Barraco admite que derrota ‘foi horrível’
Carnaval 2022: Sabrina Sato se esbalda no ensaio da Vila Isabel
André Marques está fora da próxima temporada de ‘No Limite’
Jogador Maurício Souza culpa a ‘turma da lacração’ por demissão
A Fazenda 13: Volta de MC Gui da Roça tem fogos de artifício