Notícias às 15:11

Ex-BBB Paula Amorim leva Breno Simões para primeira aula de vôlei

Leo Franco/AgNews

Paula Amorim já foi jogadora profissional de vôlei e já disputou até a Superliga, sendo também uma antiga participante do BBB20.

Aproveitando o dia ensolarado e de muito calor, ela resolveu levar o namorado e também ex BBB Breno Simões para uma aula de Vôlei.

O fortão curtiu a atividade feita em uma quadra localizada em Moema, sendo bem assessorado pela amada o tempo inteiro.

Breno Simões aprendendo a jogar vôlei

Ainda, o casal apareceu posando ao lado de mais três pessoas, esbanjando todos uma boa forma física.

Breno Simões e Paula Amorim foram jogar vôlei em quadra de Moema

Ex BBB's Paula Amorim e Breno Simões curtem bronzeamento
Paula Amorim faz Lipo LAD e exibe resultado: ‘Tô tão feliz’

Acusação de traição

Ex-BBB Paula é perseguida e acusada de trair Breno Simões

No último dia 07 de novembro, a ex-BBB Paula Amorim contou uma situação inusitada e desagradável que vem passando em sua vida. Nas redes sociais, ela explicou que tem pessoas a perseguindo e a acusando de trair Breno Simões.

Vale lembrar que toda a situação começou quando ela filmou o nascer do sol do quarto de visitas de seu próprio apartamento com o namorado. Entretanto, alguns fãs acharam que ela não estava em casa, mas sim com um amante em outro local.

Mas isso não parou por aí, Paula revelou que começaram a ligar na portaria de seu prédio para saber se ela estava em casa.

"Desde tarde eu não tinha filmado nada porque meu corpo estava doendo bastante [após malhar]. A gente queria desapegar, curtir com amigas, sem ficar na internet. A gente bebeu muitos vinhos, eu, Bruna e Aline, só. Ficamos falando da vida dos outros e eu voltei para casa de manhã", começou Paula.

"Mensagens bem loucas, como 'você está dormindo na rua', me xingando de palavras bem feias, 'você está traindo Breno', 'terminou seu relacionamento', a gente está acostumado, apesar de ser loucura. Mas hoje as pessoas passaram do limite, porque estão ligando no meu condomínio para saber se estou em casa”, contou.

“Ligaram duas vezes, fingindo que tem documento para eu assinar. Não tem nada para eu assinar. 'Paula está em casa?', 'ela vai sair?', 'ela vai ficar em casa até que horas?’. Até a loucura tem limite. Para. Às vezes, a gente fica até com medo. Não sei se eu posso sair na rua hoje. Cuida na sua vida, numa boa. Isso não é legal. Passou do limite", finalizou.