Notícias às 06:00

Família Real volta a ser acusada de racismo e discriminação

Grosby Group

O Palácio de Buckinghan volta a estremecer com novas acusações de racismo. Um novo artigo bombástico publicado pelo jornal inglês The Guardian revela que, no passado recente, pessoas negras e imigrantes foram proibidas de servir em funções clericais na equipe da Rainha.

Apesar de existirem leis que protegem os trabalhadores da discriminação, o relatório também afirma que existem documentos que foram elaborados que tornam a Rainha e seus cortesãos isentos de seguir tais regras em relação à discriminação racial e sexual.

Isso teria acontecido “pelo menos” até a década de 1960, embora nenhuma data clara tenha sido fornecida.

Sobre essas novas acusações, o Palácio correu para responder com a seguinte declaração:

“Reivindicações baseadas em um relato de conversas de segunda mão de mais de 50 anos atrás não devem ser usadas para tirar ou inferir conclusões sobre eventos ou operações modernas”, disse um porta-voz do Palácio de Buckingham em um comunicado segundo indicou o programa E!News.

“Os princípios de Aplicação da Coroa e Consentimento da Coroa são há muito estabelecidos e amplamente conhecidos.” , afirmou.

Meghan quer perdoar a Família Real

Segundo o jornal Daily Mail, Meghan Markle, teria decidido 'perdoar' a família real após a morte do príncipe Philip. Uma fonte do palácio assegurou que ela 'quer colocar suas diferenças de lado' nesse momento difícil para todos.

E embora a imprensa tenha comentado que a Duquesa de Sussex não foi autorizada por seu médico a viajar para o funeral do avô do Príncipe Harry, na verdade ela decidiu que não viajaria para o funeral porque 'não queria ser o centro das atenções'.

"Meghan disse que sua principal preocupação agora é apoiar Harry… ela disse que deixou para ele decidir se compareceria ou não ao funeral. Meghan disse que é durante esses tempos que a família deve se reunir, colocar suas diferenças de lado e se unir. Ela afirmou que isso é o que o príncipe Philip iria querer e que ela está disposta a perdoar e seguir em frente.", contou o informante.

E embora não exista nenhum comentário confirmado de Markle nesse sentido, Angela Levin, uma autora real criticou os supostos comentários dela:

Em conversa com o The Sun, Levin comentou:

"Acho surpreendente que alguém que foi membro da família real por um período muito curto de tempo tenha a audácia de pensar que será o centro das atenções em um funeral do homem mais extraordinário de 99 anos que foi marido da rainha por mais de 70 anos. Eu acho que você deve instintivamente sentar-se atrás e se você acha que vai [atrair atenção], não diga nada sobre isso. Você vem e fica muito quieta, senta no banco de trás e se veste de preto como mandam. Se você não quer ser o centro das atenções, fique quieta.", reclamou a mulher.