Notícias às 14:00

Fhelipe Gomes, de Malhação, revela novos projetos

Reprodução/Instagram

Ele é curitibano, tem 18 anos e muita história pra contar. Em sua estreia na Globo, em O Tempo Não Para, em 2018, com o personagem Lucas, um menino todo certinho, ele esbanjou felicidade por conta do seu primeiro trabalho na Vênus Platinada. Antes, ele fez o personagem

Agora, Fhelipe Gomes está em Malhação – Toda Forma de Amar, com o personagem Diego. Antes, ele esteve em Cúmplices de Um Resgate (2015-2016), do SBT, Apocalipse (2017-2018) Record TV, entre outros trabalhos.

Além disso, ele atacou na área de roteirista e tem novos projetos vindo por aí. O ator contou tudo, numa entrevista com OFuxico. 

Confira!

OFuxico – Como está o trabalho em Malhação?

Fhelipe Gomes – Já estamos na reta final dessa temporada de Malhação. Mas com certeza foi um grande aprendizado e uma grande oportunidade de realizar o meu segundo trabalho na Casa. 

OF – É seu 2º trabalho na Globo. Como tem sido o retorno do público?

FG – Apesar de o meu personagem não ter sido tão "bonzinho", por ser amigo do vilão Marquinhos, o retorno do público foi muito bom. Meu personagem, o Diego, teve um lado bem cômico em muitas cenas e acredito que por causa disso o público gostou e se identificou muito.

OF – Você fez um trabalho como roteirista também, no musical A vida de um Liker. Fala um pouco disso pra gente?

FG – Para mim foi uma grande descoberta pessoal. Nunca pensei que teria capacidade para escrever o roteiro de uma peça, e não só isso, mas compus também 8 músicas para essa peça musical. Foi uma experiência muito gratificante para mim, pois foi uma grande oportunidade de passar através da peça musical uma grande mensagem de motivação, vida e esperança para todo o público infanto-juvenil. Foi um trabalho muito educativo, que tenho certeza que mudou o jeito de pensar de muitas famílias e crianças. Onde uma das nossas principais mensagens é sobre nunca desistir dos nossos sonhos! Não importa o que aconteça.

OF – E o musical traz a polêmica sobre bullying. Você já passou por esse tipo de sentimento? Como encarou?

FG – Na escola sempre vemos esse assunto bem vivo até nos dias de hoje, infelizmente. Convivi com muitas pessoas que sofreram bullying e por causa disso tiveram grandes complexos. Eu, como sempre fui bem despojado e nunca liguei muito para as palavras negativas do outros, nunca sofri pelo bullying. Apesar de sempre ser o menor da sala de aula e lidar com brincadeiras sobre isso, nunca deixei isso me afetar, pelo contrário eu entrava na brincadeira e por isso nunca conseguiram me abalar. É isso que procuramos passar com a peça. De nunca deixarmos de sermos que somos por causa do preconceito das pessoas.

OF – Me fala como é para você a importância de discutir sobre esse tema?

FG – Esse assunto é essencial de ser discutido é mostrado para as pessoas. Como já tinha dito, conheci pessoas que foram muito afetadas pelo Bullying e que por causa disso até hoje (muito tempo depois) ainda sofrem com complexos com o corpo, o seu jeito de ser e etc. Procuro sempre passar para as pessoas que elas não devem ouvir as palavras negativas que surgem em suas vidas, mas devem dar valor as pessoas e palavras que procuram o seu bem. É isso que procuramos passar com a peça. De nunca deixarmos de ser quem somos por causa do preconceito das pessoas.

OF – Pra este ano, tem projetos em andamento?

FG – Sim, tenho. Esse ano será minha estreia no Cinema Nacional, onde estou no elenco do filme "Um Tio Quase Perfeito 2" com a direção de Pedro Antônio Paes. darei vida ao personagem Rodrigo. Não posso dar muito "spoiler", mas já adianto que a família do Tio Tony (Marcus Majella) vai aumentar! Um filme para toda família que é muito engraçado e divertido.

OF – Vem aí novas possibilidades na TV?

FG – Acredito que sim. Tenho emendado um trabalho no outro desde que me destaquei com o personagem Téo (um menino cego) na novela do SBT Cúmplices de Um Resgate (2015-2016) Depois disso fiz "Apocalipse" na Record (2017), logo após realizei um dos meu sonhos que tenho desde quando comecei minha carreira (com 7 anos), de um dia trabalhar na Globo. E consegui. Em 2018 fiz a novela "O Tempo Não Para" e em 2019 entrei em malhação (meu segundo trabalho na casa). E sei que esse ano de 2020 coisas boas estão por vir!