Notícias às 17:33

Flávio Migliaccio deixou escritas peças de teatro inéditas

Reprodução / Patricia Kogut

A última segunda-feira (4) amanheceu triste quando a morte de Flávio Migliaccio foi anunciada. O ator, de 85 anos, foi encontrado morto em seu sítio no interior do Rio de Janeiro. 

Fazendo jus aos seus mais de 60 anos de carreira no cinema, televisão e teatro, com certeza ele deixará muitas saudades e também será lembrado por todos os seus personagens marcantes.

Famosos lamentam a morte do ator Flavio Migliaccio

E nem mesmo no fim da vida ele tinha deixado de trabalhar. Segundo Patrícia Kogut, do jornal O Globo, Migliaccio também deixou peças de teatro inéditas que ele escreveu durante a quarentena. 

"Eu praticamente passo o tempo todo escrevendo. Estou terminando a terceira peça desde o início do confinamento", disse Flávio semanas antes do ocorrido, quando dava entrevista para a colunista. 

De acordo com a publicação, não se sabe quando o material será divulgado, não havendo qualquer previsão para isso por enquanto. 

 

Morre Flávio Migliaccio aos 85 anos

Na manhã da última segunda-feira (4), o ator Flávio Migliaccio, 85 anos, foi encontrado morto em seu sítio, na Serra do Sambê, em Rio Bonito. A última participação do ator na TV foi em 2019 na novela Órfãos da Terra, na Globo, onde interpretou o papel de Mamede Aud.

Relembre os personagens de Êta Mundo Bom, da Globo

De acordo com o jornal O Globo, ele avisou para a afilhada, Morgana, que iria para Rio Bonito, na semana passada. Migliaccio era muito querido no município e participava ativamente da vida cultural e política da cidade.

A morte foi registrada pelo 35º Batalhão de Polícia Militar do estado, após atender a um chamado feito pelo caseiro do sítio do artista.

Segundo informações divulgadas pela polícia e publicadas pela revista Fórum, Flávio deixou uma carta à família. 

Flávio Migliaccio prepara documentário

“Me desculpem, mas não deu mais. A velhice neste país é (…) como tudo aqui. A humanidade não deu certo. A impressão que foram 85 anos jogados fora num país como este e com esse tipo de gente que acabei encontrando. Cuidem das crianças de hoje”, disse na carta.

Na Globo, ele participou de várias produções, além de Órfãos da Terra, como as novelas Êta Mundo Bom, Rainha da Sucata, Perigosas Peruas, A Próxima Vítima, Duas Caras, América, Vila Madalena, Senhora do Destino e Passione, além da série Entre Tapas e Beijos.

Uns de seus papéis mais marcantes foram pelos personagens Xerife na série de TV brasileira Shazan, Xerife e Cia., e pelo papel de Tio Maneco, na série exibida pela TVE.

Flávio Migliaccio é homenageado em Festival de Cinema de Gramado