Notícias às 13:25

Gabriela Pugliesi sobre coronavírus: ‘Acho que me curei’

Reprodução/Instagram/@gabrielapugliesi

No último domingo (22), Gabriela Pugliesi usou as suas redes sociais para dar uma boa notícia aos seguidores. 

Com uma foto em que ela aparece sentada no chão, a digital influencer contou que já não sente nenhum sintoma do novo coronavírus.

Cobertura completa: Saiba tudo sobre o coronavírus no mundo dos famosos

"Agradeço por estar sem sintomas nenhum. Acho que me curei. Agora é paciência, leitura, meditação, muita oração e a certeza que tudo isso vai passar", escreveu ela.

Rapidamente, a publicação recebeu mais de cem mil curtidas e milhares de comentários.

"Que bom ler isso", escreveu uma internauta.

Gabriela Pugliesi causa revolta com comentário polêmico

Disposição

 

Boas notícias! Gabriela Pugliesi usou o Instagram para contar que voltou a malhar após ser diagnosticada com coronavírus. A digital influencer está no período da quarentena.

"Fiz uma bicicletinha bem de leve. Estou me sentindo muito melhor. Hoje é o melhor dia. Hoje estou ótima. Minha disposição está maravilhosa", disse.

Gabriela Pugliesi sobre coronavírus: 'Só uma fase difícil'

O que é o Coronavírus

 

O Sars-Cov-2 é o mais novo integrante de uma família já conhecida. Ela é formada por vírus que tiveram origem em animais silvestres. Alguns deles infectaram humanos e já causaram outras epidemias. Coronavírus é o nome de uma família desses vírus. O nome vem por conta dos mesmos terem suas estruturas em formato de coroa. Eles costumam circular entre animais, como roedores e morcegos. Mas a doença começou a afetar humanos também. O vírus causador sofre mutações espontâneas e aleatórias, por isso ainda não há uma medicação certeira para combater a doença.

São eles os responsáveis por infecções respiratórias e já provocaram outras doenças.

Saiba mais sobre o coronavírus clicando aqui.

Coronavírus no Brasil

 

Até esta terça-feira (24), o coronavírus teve uma disseminação bastante rápida: já foram infectados até a data, mais de 300 mil pessoas em 164 nações, com um total, 17.226 mortes. Além disso, as Secretarias Estaduais de Saúde contabilizam 1.891infectados em todos os estados do Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, há, até a data, 34 mortes no país.

No país foi decretado estado de emergência na semana passada e ocorreu a recomendação do fechamento de lojas, shoppings, clubes e academias, além da conscientização e proibição do uso de praias, parques, teatros, shows, etc.

Em São Paulo, o governo do Estado recomendou o cancelamento de eventos de lazer, culturais e esportivos, com mais de 500 participantes. Também determinou a suspensão imediata das aulas em universidades públicas e em escolas da rede pública e privada.

China e Coréia do Sul

 

Na segunda-feira (23) a China afirmou ter uma queda na quantidade diária de casos novos de coronavírus. Há 4 dias foram revertidos os casos de aumento e em Pequim, capital do país, foram reforçadas as medidas para combater a quantidade de infectados vindos do exterior.

A China teve 39 casos novos confirmados no domingo (22), de acordo com a Comissão Nacional de Saúde, e estes envolveram viajantes vindos do exterior, muitos deles estudantes chineses que voltavam para casa.

A Coreia do Sul também informou que teve o menor número de casos novos, desde o pico, que aconteceu no dia 29 de fevereiro. Tal queda levou mais esperança de que, o maior surto asiático fora da China, esteja recuando. Por lá, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia (KCDC) disseram que ocorreram 64 casos novos na segunda-feira (23), o que elevou a cifra nacional para 9.037. O total de mortos por lá subiu de 110 para 120. O pico aconteceu no dia 29 de fevereiro, com 909 casos.

Saiba mais sobre o coronavírus no mundo clicando aqui.